anti1O atual estágio do ensino de economia e ciências sociais no Brasil é desolador.  O keynesianismo e o marxismo são dominantes.  Nas ciências sociais, abilolados conceitos marxistas, como o “valor-trabalho” e a “mais-valia” — e a inevitável “teoria de exploração”, que é derivada destes dois primeiros — permeiam todas as disciplinas, as quais condenam o livre mercado de trocas voluntárias e fazem apologia ao estado, que é visto como uma instituição benevolente e essencial para reparar injustiças sociais.

Na economia, todos os dias, milhares de alunos vão para as salas de aulas perder preciosas horas de sua vida ouvindo “professores” keynesianos ensinarem teorias que não fazem o mínimo sentido, e que mais se parecem com propagandas soviéticas que exortam o dirigismo estatal da economia.  Todas essas teorias já totalmente refutadas pelos economistas da Escola Austríaca de Economia.

A maioria dos alunos aceita passivamente estes “ensinamentos” e conclui suas formações sabendo literalmente menos do que sabiam quando ingressaram no curso, já que as teorias aprendidas desvirtuam — e esse é justamente o objetivo — até mesmo o bom senso mínimo necessário para rejeitar todo o besteirol acadêmico.

Mas alguns alunos percebem que há algo de muito errado em tudo isso, e correm atrás de respostas que sejam ao menos condizentes com a lógica. Muitos desses alunos acabam encontrando a Escola Austríaca por meio de sites como o do Mises Brasil e outros.

Um fenômeno interessante é que estes estudantes organizam por conta própria palestras sobre a Escola Austríaca em suas faculdades, e o Mises Brasil já está tendo dificuldades em atender a todos os pedidos que recebe para enviar membros e acadêmicos ligados ao Instituto para palestrar.  Embora o conteúdo disponível seja o suficiente para uma sólida formação autodidata — agora complementada pelos cursos on-line —, há uma carência por uma forma sistemática de estudo.

estudantes_liberdadeNa completa ausência de um curso superior austríaco, o Mises Brasil, em conjunto com oEstudantes Pela Liberdade, está agora oferecendo uma parceria a esses bravos alunos que não estão apenas atrás de um diploma, pois também querem realmente aprender.  Grupos de estudos de Escola Austríaca que se formarem com um mínimo de membros e planejamento, receberão guias, apostilas e livros. Para dar início à parceria após a formação de um grupo, preencha as informações abaixo.

Imprimir