Mises_marxA Pequena Grande Crise 3: A Queda do Gigante é a terceira edição da franquia de jogos que tem como alvo as principais crises mundiais. Nesta edição, o jogador assume o comando da política econômica no Brasil em 2011 e, desta vez, conta com uma dupla inusitada de conselheiros: Carlos Max e Milton Mises.

Aumentar ou reduzir os gastos do governo? A Petrobras deve alinhar o preço da gasolina com o mercado internacional? Congelar preços? Utilizar contabilidade criativa nas contas públicas? Utilizar recursos públicos nas obras da Copa do Mundo? Aumentar o papel do estado na economia? São umas das várias questões abordadas ao longo do jogo.

A cada decisão uma consequência, a qual pode ser desde a redução da inflação e crescimento da economia, a hiperinflação e uma série de protestos populares por todo país. E no momento da decisão é possível consultar as opiniões de Mises e Marx. Mises nos ensinou que a economia praxeológica é uma ciência de causa e consequência. Ela se limita a dizer que, se a medida X for adotada, ocorrerá, ceteris paribus, Y; mas não diz nada sobre se Y é desejável ou não.

Mises é apenas um conselheiro do governo, e não possui o poder de fazer tudo que quer — as opções são limitadas. Por exemplo, em certa etapa do jogo, quando perguntado sobre qual deveria ser a taxa de juros fixada pelo governo, Mises diz que essa taxa deveria ser decidida pelo mercado e que se dependesse dele, o Banco Central nem existiria, mas deve-se escolher uma porcentagem para segui o jogo. E para os que conseguirem fazer com que o final do jogo seja um Brasil próspero, terão uma surpresa no encerramento com uma consideração do conselheiro Marx sobre o “Y” alcançado.

Além dos três finais possíveis, outro grande diferencial é que os principais dubladores do país, como Marcio Seixas, Gilberto Baroli, Miriam Fisher, emprestaram suas vozes aos personagens. Mas o surgimento de um jogo de economia extremamente bem produzido como este em que Mises é um dos personagens não é fruto do acaso.

Em janeiro deste ano, o vice-presidente do Mises Brasil relatou em um artigo que percebia que há alguma coisa acontecendo. Ele escreveu:

É possível perceber que já há algo de diferente na atmosfera intelectual.  Não é exagero dizer que já respiramos um ar diferente.  São vários os sintomas que me levam a encarar desta maneira otimista a nossa realidade.

. . . é a irradiação das ideias que irá influenciar o potencial de cada indivíduo em determinado campo.  Quando houver um número significativo de intelectuais conhecedores dos fundamentos das ideias da liberdade, e quando a ideia já estiver disseminada de forma abrangente a ponto de estar em contínuo debate, aí sim a potencialidade dos indivíduos alcançará seu paroxismo em cada campo.

Somente então os empresários entenderão os benefícios e a justiça da liberdade influenciando suas organizações e seus pares, os quais sofrem diariamente com o esbulho estatal.  Produtores culturais colocarão a criatividade a serviço das ideias da liberdade.  Oradores e aglutinadores de talento surgirão como opção política tendo sua formação influenciada pelas ideias da liberdade.  E aí finalmente a mudança na sociedade será sentida e os frutos da liberdade poderão ser vivenciados por todos.

As ideias de liberdade estão ganhando momento e já começam a ser refletidas em iniciativas como estas. Mises ser ouvido pelo governo, mesmo que seja em um jogo virtual, já é uma novidade muito bem vinda deste novo ambiente de conhecimento que começa a tomar forma. Mises ou Marx, os conselhos de quem você irá seguir? O jogo está disponível de forma gratuita no site http://www.pgc3.com.br/.

1529925_860498900642624_1378377801_o.jpg

Imprimir