A confirmação que governos usaram “psicose de formação em massa” para controle populacional

2
Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Detalhes vazados da resposta inicial do governo do Reino Unido à pandemia corroboram as afirmações do Dr. Malone.

As afirmações do Dr. Robert Malone sobre “psicose de formação em massa” no contexto da pandemia COVID-19 são enfatizadas pelo fato de que as autoridades no Reino Unido admitiram o uso de métodos “totalitários” de “controle da mente” para instilar medo na população.

No Canadá, os militares também admitiram o lançamento de uma campanha de operações psicológicas contra seu próprio povo, a fim de manipulá-lo para cumprir as restrições e decretos do COVID-19.

Durante seu podcast viral com Joe Rogan após ser banido pelo Twitter, Malone explicou como a população global estava sendo manipulada para permanecer em um estado constante de ansiedade histérica por meio da psicose de formação em massa.

“O que diabos aconteceu com a Alemanha nos anos 20 e 30? População muito inteligente, altamente educada, e eles enlouqueceram. E como isso aconteceu?” perguntou Malone.

“A resposta é psicose de formação em massa.”

“Quando você tem uma sociedade que se separou uma da outra e tem uma ansiedade flutuante em um sentido de que as coisas não fazem sentido, não podemos entender, e então sua atenção é focada por um líder ou uma série de eventos em um pequeno ponto como a hipnose, eles literalmente ficam hipnotizados e podem ser conduzidos a qualquer lugar”, acrescentou.

“E um dos aspectos desse fenômeno é que as pessoas que eles identificam como seus líderes, aquelas que normalmente chegam e dizem que você tem essa dor e que eu posso curá-la para você. Eu e apenas eu”, explicou Malone, “então eles seguirão aquela pessoa. Não importa se ela mentiu para eles ou o que seja. Os dados são irrelevantes.”

“Tínhamos todas essas condições. Se você se lembra de antes de 2019, todo mundo estava reclamando, o mundo não fazia sentido e todos nós estamos isolados uns dos outros.”

“Então isso aconteceu e todos se concentraram nisso”, afirmou Malone, observando: “É assim que acontece a psicose de formação em massa e é isso que aconteceu aqui”.

O resumo de Malone de como as autoridades de saúde aproveitaram a ameaça unificadora da pandemia COVID-19 e exageraram seu escopo para criar histeria em massa é apoiado por detalhes que vazaram de como o governo do Reino Unido manipulou sua população durante os primeiros dias da pandemia.

Conforme revelado pela primeira vez pela autora e jornalista Laura Dodsworth, cientistas do Reino Unido que trabalham como assessores do governo admitiram usar o que agora admitem ser métodos “antiéticos” e “totalitários” para instilar medo na população a fim de controlar o comportamento durante a pandemia.

O London Telegraph reportou os comentários feitos por membros do Grupo Científico de Influenza Pandêmica sobre Comportamento (SPI-B), um subcomitê do Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências (Sage), o principal grupo de consultoria científica do governo.

O relatório cita um briefing de março de 2020, quando o primeiro lockdown foi decretado, que afirmava que o governo deveria aumentar drasticamente “o nível percebido de ameaça pessoal” que o vírus representa porque “um número substancial de pessoas ainda não se sente suficientemente ameaçado pessoalmente”.

Um cientista do SPI-B admite que “Em março [2020], o governo estava muito preocupado com a conformidade e pensava que as pessoas não gostariam de ser confinadas. Houve discussões sobre a necessidade do medo para encorajar a conformidade, e foram tomadas decisões sobre como aumentar o medo.”

O cientista anônimo acrescenta que “a forma como usamos o medo é distópica”.

O cientista ainda confessou que “O uso do medo foi definitivamente questionável do ponto de vista ético. Foi como um experimento estranho. No final das contas, o tiro saiu pela culatra porque as pessoas ficaram com muito medo.”

Outro cientista separado no subcomitê professou “Você poderia chamar a psicologia de ‘controle da mente’. Isso é o que fazemos … claramente tentamos fazer isso de uma forma positiva, mas foi usado de forma nefasta no passado.”

Outro cientista alertou que “temos que ter muito cuidado com o autoritarismo que está se infiltrando”, acrescentando “as pessoas usam a pandemia para se apoderar do poder e passar por coisas que não aconteceriam de outra forma”.

De acordo com o relatório, outro pesquisador do grupo reconheceu que “Sem uma vacina, a psicologia é sua principal arma”, acrescentando que “a psicologia teve uma epidemia muito boa, na verdade”.

Ainda outro cientista no subcomitê afirmou que eles ficaram “surpresos com a transformação da psicologia comportamental em armas” no ano passado, e alertou que “os psicólogos não parecem notar quando eles param de ser altruísta e se tornam manipuladores.”

“Eles têm muito poder e isso os intoxica”, avisou ainda o cientista.

Além da resposta do governo do Reino Unido, também foi revelado que os militares canadenses lançaram um programa de operações psicológicas contra seus próprios cidadãos nos primeiros dias da ordem pandêmica para amplificar as mensagens do governo e “impedir a desobediência civil”.

“Os líderes militares canadenses viram a pandemia como uma oportunidade única de testar técnicas de propaganda em um público desavisado”, relatou o Ottawa Citizen.

Enquanto isso, seguindo os primeiros esforços para enterrar completamente o termo, o Google agora está desesperadamente manipulando seus resultados de pesquisa para retornar apenas artigos negativos sobre “psicose de formação em massa” e Dr. Malone.

O link dos principais resultados de pesquisa do Google para “psicose de formação em massa” é um artigo da Forbes que recicla afirmações duvidosas que o Dr. Malone já desmascarou durante sua aparição no Rogan.

 

 

 

Artigo original aqui

2 COMENTÁRIOS