Israel confirma o fracasso da vacina contra a Omicron

0
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

“A conclusão é que a vacina é excelente contra as variantes Alfa e Delta, mas para a Omicron não é boa o suficiente”, disse o professor Gili Regev-Yochay, que liderou um experimento israelense para avaliar a eficácia da vacina contra a variante mais recente do corona.

Você percebe o que isso implica?

Dado o fato de que as vacinas não funcionam contra a Omicron e que a Omicron é agora a cepa Covid globalmente dominante, não faz sentido lógico ou médico continuar vacinando e injetando doses de reforço neste momento.

Afinal, por que alguém em sã consciência injetaria desnecessariamente nas pessoas proteções fracassadas que possuem o risco de reações adversas graves.

Neste momento, estamos sem opções de vacina. Nenhuma vacina atualmente à nossa disposição pode proteger as pessoas de contrair e transmitir a infecção Omicron ou reduzir a gravidade de seus sintomas.

Vimos que na verdade ocorre o contrário: os vacinados e os com doses de reforços estão contraindo Omicron a taxas mais altas do que os não vacinados.

Isso significa que não há nada que possamos fazer por meio de intervenção vacinal com as vacinas que estão disponíveis no momento.

Aqui está a realidade da nossa situação: chegamos – pelo menos por enquanto – ao fim da estrada da vacina no que diz respeito ao Covid-19. Neste momento, simplesmente não possuímos uma vacina eficaz para combater esta doença.

Isso pode mudar no futuro, mas por enquanto esta é a realidade da nossa situação, e é imperativo que a compreendamos e aceitemos claramente para que não inflijamos nenhuma lesão desnecessária ou morte.

Como as vacinas são ineficazes contra a variante predominante, toda a injeção de Covid precisa parar. Distribuir mais doses dessas vacinas – que sabemos que não funcionam – é insensato e medicamente irresponsável.

Continuar a vacinação nas circunstâncias atuais não pode trazer nenhum benefício e só resultará em danos desnecessários. Expor inutilmente pessoas saudáveis ​​a possíveis lesões constituiria má conduta médica.

Apelamos, portanto, às autoridades de saúde, políticos, empregadores e escolas para que sigam a ciência e o bom senso.

A ciência e o bom senso mostram claramente que todos os decretos de vacinas e reforços precisam ser suspensos.

Pedimos que isso seja feito imediatamente e sem demora.

Pedimos também que todos os esquemas de passaportes Covid sejam revogados. Os passaportes sanitários da Covid não servem a nenhum propósito legítimo, pois os vacinados não estão protegidos contra a infecção e, de fato, os dados mostram que eles estão sendo infectados mais rapidamente do que seus colegas não vacinados. Por alguma razão, a Omicron parece ter como principal alvo os vacinados.

Durante toda essa pandemia, nossos políticos e autoridades de saúde nos disseram para seguir a ciência. É hora de eles finalmente agirem de acordo com seus próprios ensinamentos.

Pedimos a eles que façam o que é certo nesta situação: Acabem com todos os decretos de vacinas e esquemas de passaportes sanitários.

Diante do fracasso da vacina, fazer qualquer outra coisa seria medicamente negligente e cientificamente injustificável.

 

 

 

Artigo original aqui