Mentiras da mídia alimentam falsa narrativa da Ucrânia

0
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

A ideia de que a Ucrânia e Zelensky vão “ganhar a guerra” é uma fantasia absoluta. É delirante ao extremo. E, no entanto, muitos no Ocidente foram condicionados a realmente acreditar nisso.

Se você está obtendo sua narrativa e informações da grande mídia de uma nação da OTAN, meus sentimentos. Entenda que sua realidade externalizada nesta guerra nada mais é do que um testemunho do poder da propaganda ocidental. Temos uma máquina de realidade de consenso de última geração que faria Goebbels pirar e faria o Pravda de Stalin parecer o Nickelodeon.

Muito mais perto da verdade é isto: a Ucrânia não está apenas perdendo, mas está se preparando para uma queda histórica. Se os relatórios diários do Ministério da Defesa da Rússia são parcialmente verdadeiros (a maioria deles também é apoiada por evidências visuais), então, no atual ritmo de 200-300 por dia, as Forças Armadas da Ucrânia perdidas em combate podem, muito em breve, se aproximar do nível de perdas de soldados dos EUA no Vietnã. Em apenas 6 meses. Lembre-se, os EUA levaram dez anos para perder 56 mil soldados em uma guerra infrutífera.

Está ficando cada dia mais claro que as Forças Armadas da Ucrânia parecem ter uma política de não contar seus mortos, ou contá-los como desaparecidos, para evitar um colapso no moral militar (e mais desertores reais), e o inevitável conflito internacional e consequências domésticas de ter que anunciar que têm 20 mil ou 30 mil soldados mortos, muitos dos quais não treinados na linha de frente equipada – forçados ao recrutamento por um regime desesperado de Zelensky ansioso para agradar suas novas fontes de financiamento em Washington e Bruxelas. Se seus números verdadeiros fossem anunciados publicamente a cada semana, o que você acha que aconteceria com o apoio dos EUA, Reino Unido e UE a Zelensky e suas brigadas nazistas? E por quanto tempo os ucranianos apoiariam a guerra do moedor de carne por procuração da OTAN? Não por muito tempo. Acabaria ontem.

Como o ator Zelensky, nossos governos também estão vendendo uma fantasia embalada ao público. O apoio a uma guerra perdida terminaria em um piscar de olhos se a verdadeira situação se tornasse a realidade consensual no Ocidente.

Quando a luta finalmente cessar, talvez os homens mais espertos sejam os estimados mais de 5 mil soldados ucranianos que já se renderam às forças russas e da RPD. Afortunados serão aqueles que se afastaram do desastre suicida dirigido pelo ego de seu fantoche ocidental.

Os números prováveis ​​que estamos vendo aqui em geral são simplesmente sem precedentes no recente conflito moderno, e cada ponto de dados confunde toda e qualquer projeção pós-modernista fantasiosa que sai de nossa mídia ocidental corrupta e autorreferencial e papagaiando políticos que estão claramente se alimentando de suas próprias entranhas de propaganda agora. É mais do que nojento. Desculpe ser franco aqui, mas isso está rapidamente se tornando a maior bolha de propaganda na história do aventureirismo militar ocidental.

E isso quer dizer muita coisa.

E não espere um mea culpa do bando de charlatães que temos executando a política externa e de “defesa” nos EUA, Reino Unido, Europa e no resto das nações periféricas indiferentes da OTAN. Eles simplesmente dobrarão a aposta e continuarão atacando quaisquer dissidentes de sua linha partidária fanática, acreditando que esmagar a liberdade de expressão e o debate de alguma forma ajudará a impedir que sua bolha de propaganda esvazie mais rápido do que já está.

Claro, é um exercício de futilidade, mas infelizmente esperamos da legião de burocratas e tecnocratas globalistas incompetentes com um histórico de repetidos fracassos e cuja única realização real foi gastar trilhões em dinheiro público destruindo sistematicamente outros países, sempre sob algum imperativo moral inventado. A propósito, além de ser a sociedade e o governo mais corruptos da órbita ocidental, como está agora, a Ucrânia está muito, muito mais longe de ser uma “democracia” independente, soberana e livre do que a Rússia.

Quanto mais tempo os gênios da OTAN e nossa mídia continuarem alimentando sua guerra por procuração de atividades hostis e sem fim executadas para cansar o inimigo, mais território Kiev perderá. E o que quer que eles percam, eles nunca vão recuperar. Isso é pela simples razão de que as pessoas nessas regiões não querem viver em um estado falido, descontroladamente corrupto, controlado pelo ocidente e dominado por sectários nazistas, também conhecido como Ucrânia.

Então, da próxima vez que ouvir alguém trombeteando “Eu estou com a Ucrânia!”, pare e pergunte:

“Teria uma linha de número de soldados ucranianos mortos que se ultrapassada você mudaria esse apoio? Quanto território Kiev terá que perder antes de dizermos que é o suficiente?”

E não os deixe ir até que eles lhe deem uma resposta coerente.

 

 

 

Artigo original aqui