Só 7% tomaram todas as doses da vacina. Fauci culpa a “desinformação”

0

Falando em uma cerimônia de premiação no fim de semana, o burocrata aposentado Anthony Fauci expressou sua consternação pelo fato de os americanos parecerem totalmente desinteressados ​​em obter as últimas doses de reforço da Pfizer e da Moderna.

Temos uma vacina contra a COVID e um reforço que combina muito bem com o vírus circulante e, no entanto, apenas cerca de 15% das pessoas que foram vacinadas receberam o reforço, isso é terrível”, disse Fauci, parecendo um representante farmacêutico que não conseguiu cumprir sua meta de vendas. “Temos que fazer melhor do que isso.”

No total, apenas cerca de 7% de todos os americanos tomaram a nova injeção, de acordo com o CDC.

Os reforços foram testados apenas em camundongos, mas aprovados para uso emergencial por meio da parceria do FDA com a Pfizer e a Moderna.

Não há evidências de que os reforços façam algo benéfico para ajudar a combater o Covid-19. Estudos recentes de Columbia e Harvard descobriram que os novos reforços não são mais eficazes do que as antigas injeções de mRNA expiradas. A Pfizer, que obviamente tem um conflito de interesses no assunto, divulgou seu próprio “estudo” alegando o contrário.

No evento, Fauci paradoxalmente recebeu um prêmio humanitário que homenageia Muhammad Ali, o ícone do boxe anti-establishment e da contracultura que foi perseguido por burocratas de carreira como Fauci por sua recusa em servir no Vietnã. Fauci, por sua vez, evitou o recrutamento ao ingressar no NIH.

Em seu discurso de aceitação, o burocrata descontente expressou seu desgosto com os americanos que se recusam a seguir as ordens de saúde do governo.

“Quero encorajar os jovens aqui hoje, mas realmente em todo o país, a rejeitar um mal crucial que atualmente está destruindo a sociedade civil”, começou ele.

“O que eu chamo de normalização de inverdades. Colocando de forma mais direta, a normalização das mentiras que vemos ao nosso redor. Agora, ajudados pelas mídias sociais, fatos e falsidades agora coexistem como às vezes iguais, semeando deliberadamente confusão e discórdia e distorcendo a realidade”, continuou ele. “É fácil ficar tão acostumado com a onipresença da desinformação que simplesmente a aceitamos.”

Falando em mentiras e desinformação…

 

 

Artigo original aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.