A Ciência Econômica e o Método Austríaco

0

. Prefácio

Um dos momentos mais trágicos da história do pensamento foi quando a economia, a rainha de todas as ciências sociais, adotou os métodos associados às ciências naturais: o empirismo e o positivismo. Esta mudança no ímpeto do pensamento econômico ocorreu — não por coincidência — na mesma época em que os intelectuais e os políticos passaram a acreditar na eficácia do planejamento estatal. Apesar de todas as suas falhas, a fé nas duas doutrinas permanece inabalada até os dias de hoje.Neste trabalho extraordinário, Hans-Hermann Hoppe desenvolve o argumento de Ludwig von Mises de que os métodos associados as ciências naturais não podem ser apropriados pela teoria econômica. Assim, o professor Hoppe defende a existência do conhecimento a priori, a validade da teoria pura, o uso da lógica dedutiva, a implacabilidade da lei econômica, e a idéia de que a ciência econômica não é nada além de um ramo de uma disciplina maior, a praxeologia: a ciência da ação humana.

Se os economistas quiserem se livrar da falsa suposição de que eles podem prever com precisão o futuro e, portanto, que o estado pode planejar a economia melhor do que o mercado, eles terão que rever erros metodológicos fundamentais. Quando isso acontecer, o professor Hoppe, o mais incrível praxeologista em atividade, terá desempenhado um papel indispensável.

Llewellyn H. Rockwell, Jr.
Ludwig von Mises Institute

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.