A renúncia do Palhaço BoJo

0

Teatro de Marionetes: Boris Johnson renuncia, enquanto o Reino Unido procura o próximo fantoche globalista

Um líder nacionalista outrora promissor termina o mandato como marionete aprovada pelo FEM e compatível com ESG.

Não consigo pensar em um único líder mundial que tenha causado mais danos à humanidade, desde 2019, do que Boris Johnson. E, no entanto, seu reinado de terror sobre um outrora grande império não foi suficiente para os proponentes da agenda do Grande Reinício e do Build Back Better.

Johnson gerou mais histeria COVID do que qualquer outro líder mundial.

Ele perseguiu dois anos inteiros de governo autoritário, impondo lockdowns implacáveis, implementando passaportes de vacinas, instalando um estado de vigilância e zombando dos direitos inalienáveis ​​dos cidadãos do Reino Unido.

Ele atendeu a todos os slogans e iniciativas políticas da máfia globalista do Fórum Econômico Mundial.

E ainda assim, o primeiro-ministro do Reino Unido foi rapidamente dispensado de seus deveres de marionete por não mover as alavancas de seu país com rapidez suficiente na direção da tirania global.

Tendo assegurado o papel de primeiro-ministro graças à sua liderança no Brexit, Johnson rapidamente se afastou de qualquer aparência de líder nacionalista interessado em proteger os direitos do povo britânico. Seu mandato rapidamente se tornou uma busca política implacável para vender seus próprios compatriotas a uma agenda mundial, compatível com ESG e aprovada pelo FEM.

Depois de dois anos privando os cidadãos de suas liberdades básicas, Johnson resumiu sua agenda como “Reconstruindo de forma mais verde, mais justa e mais igualitária e, como devo dizer… de uma maneira mais neutra em termos de gênero e talvez mais feminina”.

Johnson confirmou sua saída na manhã de quinta-feira. “É claramente agora a vontade do Partido Conservador parlamentar que haja um novo líder… e, portanto, um novo primeiro-ministro”, disse o primeiro-ministro britânico.

O que exatamente é “conservador” nos conservadores no Reino Unido, você pergunta?

Bem, como seus colegas do Partido Republicano dos EUA, eles agem para “conservar” o status quo. E se isso significa conservar o comunismo, os conservadores ficam felizes em cumprir esta missão. O status quo na Grã-Bretanha é o globalismo progressista, suicida e autoritário. Portanto, os “conservadores” estão cumprindo seu papel com perfeição.

Em suma, não espere que um líder nacionalista, populista ou mais libertário assuma o show em seguida. O Palhaço BoJo foi posto de lado por seu próprio governo porque não estava se movendo rápido o suficiente para implementar uma agenda totalitária. Portanto, deve-se esperar que seu sucessor acelere o movimento na direção do despotismo.

 

 

 

Artigo original aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.