Bitcoin vs. Ouro: o debate continua

2
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Em poucas semanas desde a aprovação da SEC, os fluxos para fundos de ETF de Bitcoin atingiram pouco mais de US$ 59 bilhões na Sexta-Feira Santa, de acordo com btcetffundflow.com. Enquanto isso, o mal-amado e desrespeitado ETF GLD [ouro] detém US$ 54 bilhões, apesar de seu pedigree de mil anos.

O fã de ouro e cético de criptomoedas Peter Schiff debateu o evangelista cripto Raoul Pal no Real Vision por quase três horas, sem nenhum dos dois ceder um centímetro. O calmo Sr. Pal é o cofundador da Real Vision, um alume da Goldman Sachs, e orgulhosamente diz que é “irresponsavelmente longo” adepto do Bitcoin e outras criptos. O dogmático Schiff apareceu inúmeras vezes no circuito de comentaristas financeiros pós crash ’08 e é filho do famoso manifestante contra o imposto de renda Irwin Schiff.

Ambos concordam que o governo dos EUA está rumo ao desastre com a única saída sendo desvalorizar a moeda. Pal estima que a desvalorização seja de 15% ao ano e, portanto, se seus investimentos e renda não estão subindo esse tanto, você está ficando para trás. Schiff não coloca uma porcentagem sobre a impressão de dinheiro ou desvalorização, mas essencialmente concorda. O que uma pessoa deve fazer é onde eles discordam.

“As pessoas que estão saindo do dólar ou do euro e comprando Bitcoin pularam da frigideira para o fogo”, disse Schiff. “Quero dizer, para que você não precise reinventar a roda se quiser sair das moedas fiduciárias, você pode possuir ouro, mas também pode possuir outros bons ativos de hedge de inflação, ativos reais.”

Defendendo o Bitcoin, Pal disse: “Nós memetizamos uma moeda de um trilhão de dólares. Nós já memetizamos. É apenas uma narrativa humana. Mas adivinha? O ouro também é. Assim é tudo o que fazemos, inclusive a religião. Tudo é meme. Então, a memética rege toda a maneira como os humanos entendem o mundo ao seu redor.”

A palavra Meme foi cunhada pelo biólogo evolucionista britânico Richard Dawkins em seu livro de 1976 The Selfish Gene, do grego mimēma “aquilo que é imitado”, sobre o padrão do gene. Assim, essa definição é derivada; “um elemento de uma cultura ou sistema de comportamento passado de um indivíduo para outro por imitação ou outros meios não genéticos.”

Assim, enquanto Schiff defendia a manutenção do ouro porque é um ativo “real”, Pal vê o ouro (e tudo o mais que presumimos) como apenas uma crença. Esqueça que o metal amarelo é o número 79 na Tabela Periódica. Esqueça que o dólar americano já foi representado por 1,60 g (24,75 grãos) de ouro. Esqueça como escreveu Martin Zweig no Wall Street Journal: “Ajustado para mudanças no custo de vida, uma onça de ouro tem aproximadamente o mesmo poder de compra que tinha na Roma antiga há 2.000 anos”.

Ele afirma que o ouro só é valioso apenas porque os humanos acham que é valioso. Nossos antepassados achavam que tinha valor e essa crença nos é passada. Pal acredita que os 14 anos de existência do Bitcoin lhe dão as mesmas qualidades e não será vítima do que o economista Joseph Schumpeter chamou de “o vendaval perene da destruição criativa“.

Schiff rebateu dizendo que o Bitcoin tem preço, mas não tem valor. O fato de um Bitcoin ter passado de menos de US$ 1 para US$ 70.000 não o torna melhor do que os bulbos de tulipa em Amsterdã do século XVII ou Beanie Babies em meados dos anos 1990. O Bitcoin é apenas um veículo para especulação.

A afirmação de Schiff de que os compradores de Bitcoin são “estúpidos” e seu preço irá a zero irritou Pal. Por sua vez, a afirmação de Pal de que o Bitcoin é o ativo financeiro de maior desempenho de todos os tempos irritou Schiff.

“Peter, já se passaram uns 14 anos”, argumentou um exasperado Pal. “Passamos por quatro ciclos em que caiu 90% e ainda é o ativo de melhor desempenho. Então o seu: ‘Oh meu Deus, o cenário de cair 90% [não é grande coisa]’. Eu mesmo já passei por três desses.”

O ex-gestor de fundos de hedge que se aposentou aos 36 anos faz 14 anos soarem como se fosse uma eternidade. Para as pessoas da minha idade, 14 anos atrás parece que foi ontem. A ênfase contínua de Pal nos 14 anos de existência do Bitcoin torna o argumento de Schiff melhor do que o próprio Schiff faria.

“Obviamente, não precisamos desses ETFs. Isto é apenas o fabricante tentando aumentar a demanda. Mas sim, é fácil armazenar seu Bitcoin em relação ao ouro, mas a diferença é que quando você está armazenando ouro, você está armazenando algo. Então, como você tem algo, é preciso algum esforço para armazená-lo”, disse Schiff

“Quando você está armazenando Bitcoin, você não está armazenando nada. Então, qual a vantagem de ser fácil não armazenar nada? Sim, eu tenho um suprimento muito seguro de nada; e o Bitcoin, enquanto as pessoas acharem que vai subir, desde que mantenham essa ilusão e mais pessoas queiram comprá-lo, com certeza, ele terá um preço. E se um número suficiente de pessoas não vende, então algumas pessoas podem vender, certo?”

Pal respondeu que esse era o caso de todos os investimentos. Ao que, Schiff gritou animadamente: “Não, não é. Não, não é. O ouro é uma commodity real que é usada.”

Pal desdenhou este argumento alegando que apenas uma pequena porcentagem de ouro é realmente usada. Ele dispensou o uso de joias. Ao que Schiff rebateu: “Mas eles não estão usando seu Bitcoin”. Schiff mencionou o uso do ouro como condutor de eletricidade. Ele pode ter despertado a atenção de Pal com “o ouro é utilizado para montar chips de processamento em placas-mãe” de computadores.

Entrando novamente no modo ataque, Schiff disse: “Mas eventualmente a história explode. Sabe, as pessoas param de acreditar no conto de fadas. Você sabe, você fala sobre todas essas crianças que pensam que reinventaram a roda e acham que sabem mais do que seus pais ou seus avós. Você sabe, é como, olha, você sabe, as crianças pequenas acreditam em todos os tipos de coisas.

Elas acreditam na fada do dente. Elas acreditam no Coelho da Páscoa e no Papai Noel, sabe, mas não acreditam nessas coisas por toda a vida. À medida que envelhecem, começam a ver a verdade. E acho que a mesma coisa vai acontecer com o Bitcoin. As pessoas vão crescer e vão aprender com os erros da juventude.”

No final da presidência de Jimmy Carter, a Comissão do Ouro foi aprovada e foi formada no início do governo Reagan. A comissão estava repleta de tipos anti-ouro com Ron Paul carregando a tocha da minoria. Paul mandou Murray Rothbard escrever o relatório minoritário com Paul e o empresário Lew Lehrman assinando como autores.

Na nova autobiografia de Lehrman, The Sum of It All, Lehrman se distancia do relatório. No entanto, ele escreve “É provavelmente o maior segredo da história da política monetária moderna”, que depois que o relatório foi divulgado, o Fed de Paul Volcker “seguiu uma regra de preço do ouro por um bom tempo. Isso, de todas as coisas, é onde temos tanto a derrota da estagflação horrível dos anos anteriores quanto o megaboom dos anos 1980 e 1990.”

Paul mencionou em muitos discursos visitar Volcker em seu escritório e o presidente do Fed constantemente querendo saber onde o preço do ouro estava indo. Até esse ponto, escreve Lehrman, “os principais homens do Fed se prepararam para observar o preço do ouro como um falcão por duas décadas”.

Não sabemos se o chair do Fed, Powell, está observando o preço do ouro ou do Bitcoin. O que sabemos é que o valor do dólar americano continua em queda.

O saudoso e grande Burt Blumert uma vez me disse: “Tome sempre posse do seu ouro”. Ainda bom conselho.

 

 

 

Artigo original aqui

2 COMENTÁRIOS

  1. Essa velha guarda austríaca ainda não percebeu que o Bitcoin é o único ativo com função de moeda q é capaz de evitar o governo e permitir transações anônimas e seguras sejam feitas com um ativo com oferta limitada e q não cresce após atingir 21 milhões de unidades. O ouro foi uma boa moeda enquanto o governo não tinha as condições de se apoderar, sabotar e impedir ou desestimular q as transações fossem feita tendo como base seu lastro, o Bitcoin corrigiu esse problema do ouro. Os velhos argumentos cansados de que o Bitcoin não é um “ativo real” ou “não tem valor intrinsico”, fazem duvidar se eles reconhecem a superioridade da teoria subjetiva do valor, falando assim parece q o ouro tem valor porque tem algo na natureza dele que faz ele ser valioso, como se o valor fosse objetivo. Na realidade tudo depende de como cada pessoa valoriza um bem, claro isso não é arbitrário, os bens precisam ter alguma utilidade aos olhos da pessoa, mas depois de todo o material q se tem disponível sobre Bitcoin, com um cara com o Saifedean, q é austríaco, explicando nos mínimos detalhes a importância do Bitcoin pro sistema financeiro sair das garras do estado, tem austríaco q continua com a ideia de comparar Bitcoin compra tulipa… Infelizmente a idade acaba atrapalhando homens q são brilhantes em outros tópicos….

    • Em um cenário apocalíptico, como por exemplo uma terceira guerra mundial com o uso massivo de bombas atômicas que, ao contrário do que muitos especulam, não seria capaz de extinguir a espécie humana mas reduziria bastante a população; quem tivesse ouro ainda teria uma reserva de valor, já os biticonheiros radicais veriam os seus biticoins sumirem para sempre.

      A pequena população mundial recomeçaria a reconstrução do planeta usando ouro, prata, etc… como moeda.
      Demoraria séculos ou até milênios até que as criptomoedas fossem recriadas.

      Quem considera um cenário desses aposta em metais preciosos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui