Breve lista dos estragos sociais deixados pela fraudemia

2
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Alguém me perguntou quais implicações o COVID-19 deixa na sociedade:

  1. Um novo padrão foi estabelecido para o que pode/vai desencadear lockdowns e campanhas de vacinação em massa no futuro. Estabelecemos que uma taxa de mortalidade de 0,4% é suficiente para justificar o fechamento da sociedade.
  2. A saúde é agora uma preocupação/obsessão muito maior do que era antes – as pessoas foram treinadas para se considerarem frágeis, vulneráveis ​​e carentes de autoridades para protegê-las.
  3. O público foi dividido em dois campos, com um (o vacinado) fortemente encorajado a desprezar, ressentir e detestar o outro. Os não vacinados provavelmente continuarão sendo demonizados e usados como bodes expiatórios por quaisquer solavancos na estrada da covid.
  4. As pessoas foram treinadas para “confiar na ciência”, realmente uma forma de encorajar a obediência à autoridade (corrupta). Nesse processo, a própria ciência foi celebrada como fonte de sabedoria e conhecimento – separando ainda mais as pessoas de outras fontes e tipos de sabedoria.
  5. De forma mais prática, o enorme dano econômico se desdobrará nos próximos anos e décadas.
  6. Inúmeras pequenas empresas foram obliteradas.
  7. Transferência maciça de riqueza para corporações globais e oligarcas.
  8. Aumento do estilo de vida casulo de ficar em casa o tempo todo, assistindo a mídia na Internet (condicionando o público).
  9. O público foi encorajado a ficar obcecado com o curto prazo e esquecer o longo prazo – tem sido impossível para a maioria das pessoas planejar com mais de dois dias de antecedência nos últimos dois anos.
  10. Implementação global de tecnologias de vigilância, varredura e rastreamento.
  11. A dependência do smartphone, para a simples vida cotidiana, aumentou bastante.
  12. Efeitos negativos da vacina na saúde (ainda desconhecidos).
  13. Descobrimos que virtualmente todas as instituições de nossa sociedade são corruptas, ou foram corrompidas durante os últimos dois anos. De qualquer forma, a pressão exercida durante esse período e as medidas de fiscalização estabelecidas reduzirão bastante quaisquer tendências persistentes ao livre pensamento nessas instituições – mídia, governo, lobby, finanças, ciência, medicina, educação em todos os níveis, órgãos de direito, etc.
  14. Os governos de todo o Ocidente agora sabem quem é obediente e quem não é, em um nível de granularidade que teria sido impossível antes da campanha de vacinação.
  15. Morrer aos 83 anos agora é visto como uma aberração e uma tragédia. Fomos treinados para querer viver (e esperar viver) muito além dos 80. Fomos treinados para pensar que a longevidade é muito importante – mesmo que exija o fechamento da sociedade.
  16. Tudo o que foi feito foi estudado, e será estudado, pela forma como funcionou com o público. As lições serão aprendidas e as técnicas serão refinadas.
  17. As interconexões entre governos nacionais, conselhos locais, corporações globais, organizações transnacionais e órgãos supranacionais, como a UE, foram fortalecidas e multiplicadas nos últimos dois anos. Isso tem a implicação óbvia de que uma corrupção muito mais harmoniosa agora é possível entre esses órgãos de elite. Também tem a implicação mais sutil de que as pessoas desses escalões agora se sentirão muito mais distantes do populacho.
  18. Promoção entre o público do ID digital reconhecido mundialmente.
  19. Promoção entre a elite (por enquanto) da pontuação de crédito social.
  20. Milhões de crianças pequenas viveram uma experiência bizarra durante seus anos de formação, que sem dúvida afetará sua socialização, seu neuroticismo em relação a outras pessoas, sua capacidade futura de compreender expressões faciais, de se comunicar normalmente. Aparentemente, também teve efeitos em sua fala. Você também pode adicionar o impacto alegado em seu QI, mas isso está longe de ser confirmado ainda.
  21. O público foi persuadido a confiar nas corporações globais em questões em que essas corporações podem obter ganhos financeiros maciços.
  22. A promoção de um dever cívico centrado na saúde, um coletivismo artificial, que suplantou ainda mais o coletivismo natural (étnico).
  23. A elevação da figura do oligarca (exemplos obviamente seriam Bill Gates e Klaus Schwab) – homens que podem “liderar além da autoridade”.

 

O grande Dave Culen fez um vídeo comentando esta lista. Para quem entende inglês, não deixe de assistir:

2 COMENTÁRIOS

  1. Essa lista sempre foi o desejo do sistema, um misto de políticos, empresários psicopatas – elites globalistas desenraizadas, e liberais mal intencionados. O processo foi tão rápido a partir de março de 2020, que provavelmente muitas surpresas desagradáveis ainda vem pela frente. O sistema ainda deve estar surpreso com a facilidade que colocou a humanidade de joelhos, de maneira que a sua imaginação totalitária ainda nem foi colocada em movimento ainda. O que estamos vendo é ainda o processo revolucionário em expansão.