David Stockman sobre inflação, ouro e liberdade pessoal no mundo pós COVID-19

1
Tempo estimado de leitura: 6 minutos

International Man: Você acha que haverá inflação no varejo nos próximos meses?

David Stockman: Acho difícil dizer, porque existem forças opostas em ação.

Por um lado, se você observar algo como petróleo e commodities, geralmente estamos pisando em um terreno em que nunca estivemos antes. A demanda atual por petróleo caiu 30 milhões de barris por dia, onde costumavam se concentrar em blips de 400.000 por dia, mais ou menos.

Este último esforço para apoiar o cartel da OPEP está fracassando muito rapidamente. É provável que esse lado do índice de preços da cesta de compras caia muito.

Por outro lado, as cadeias de suprimentos estão sendo cada vez mais interrompidas.

Estamos vendo essas fábricas de processamento de carne que estão sendo fechadas. Estamos olhando para agricultores que não conseguem colocar seus produtos no mercado e veremos mais disso quando entrarmos na temporada de produção deste ano. E isso apenas na área de alimentação.

Se olharmos para os manufaturados, a China parece ter retomado um pouco a atividade, mas as cadeias de suprimentos entre um ponto e outro foram interrompidas. Existem grandes questões sobre o que – em termos de necessidades e bens discricionários – estará disponível.

Eu acho que você terá alguns preços disparados para coisas que de repente se tornam escassas devido a falhas na cadeia de suprimentos.

Por outro lado, você terá outras coisas caindo – especialmente as commodities que estão em colapso devido ao colapso drástico e sem precedentes na demanda.

Acho que é difícil dizer neste momento como isso se equilibra.

Penso que o problema com a impressão de dinheiro não é o IPC – o problema com a impressão de dinheiro é a inflação maciça de ativos financeiros – as bolhas que eles criam e, em seguida, a consequência do colapso das bolhas na economia em geral.

Não demorará muito para que todas as C-suites dos EUA vejam suas opções de ações derretendo diante de seus olhos e o preço das ações da empresa média caia 30%, 40% ou 50%.

Eles vão começar a se livrardelas na esperança de que, com reestruturação, demissões, fechamento de fábricas e baixas de ativos suficientes, possam convencer o mercado a comprar suas ações novamente.

Além dos danos econômicos causados ​​pelos prefeitos, governadores e autoridades de saúde pública que ordenam paralisações, teremos outra camada causada por C-suites nesta recessão. Enquanto isso continua, as C-suites vão causar ainda mais danos. Essa é a perspectiva que eu vejo.

International Man: O que a pessoa comum pode fazer nesse ambiente volátil para se proteger?

David Stockman: Primeiro, não há sentido em estar no mercado de valores mobiliários – mercado de ações, mercado de títulos, ETFs ou tentar escolher empresas que estão ganhando com o fechamento, como Amazon ou Netflix.

Quando a Dow move mil pontos para cima e mil pontos para baixo de um dia da semana para o outro, claramente não é um lugar seguro para quem não é um day trader. Nem mesmo é um local seguro para os day traders, como aprendemos recentemente.

Eu acho que você deve sair desses mercados. Não faz sentido manter ações ou pelo menos comprar mais.

O que as pessoas precisam fazer é obter liquidez.

Acho que as pessoas precisam possuir ouro porque o regime de banco central – que eu chamo de banco central keynesiano – está finalmente sendo totalmente desacreditado.

Eles gastaram todo esse dinheiro sobre o qual falamos e nada fizeram para impedir o colapso da economia ou mesmo o mercado financeiro.

A coisa a se fazer será permanecer com liquidez, acumular ouro e minimizar os gastos. Não sabemos como ou quando sairemos disso.

Ninguém jamais impingiu esse tipo de destruição à economia em tão pouco tempo e a fechou. Simplesmente não sabemos se isso levará um ano ou dez anos para se resolver.

Portanto, o mais prudente agora é se preparar, minimizar gastos discricionários, aumentar a liquidez, usar dinheiro em espécie e comprar ouro.

Não existe um manual que indique aonde estamos indo. Violamos todas as regras da vida econômica e da racionalidade monetária que já foram criadas nos últimos séculos.

International Man: Quais são seus pensamentos sobre o ouro e seu papel no futuro?

David Stockman: Você deve analisá-lo em termos de portfólio individual versus o que as políticas públicas podem fazer.

Considerando um portfólio individual, manter o ouro agora é mais crítico do que nunca, mesmo sendo apenas uma questão de seguro e preservação de riqueza.

Você precisa possuir quantidades crescentes de ouro quando entramos neste território desconhecido. Além disso, acho muito provável que, se as coisas não relaxarem muito mais, o ouro possa romper o antigo preço de US $ 1911 em 2011.

Depois que esse preço se romper, a corrida começa.

Portanto, há também uma excelente possibilidade positiva especulativa em se ter ouro.

Eu não compraria ouro por isso, mas há uma boa possibilidade especulativa de que ele poderia dobrar, triplicar e quadruplicar o valor.

O ouro é importante como base de seguro e preservação de capital da riqueza que você conseguiu acumular.

Esse é o lado individual – do investidor e do portfólio da família.

Quando se trata de políticas públicas, não faço ideia. Você gostaria de ter uma sensação de voltar ao dinheiro que está vinculado a algo tangível, sólido e que não pode ser manipulado pelos bancos centrais.

Se o desespero crescer o bastante, talvez exista realmente uma maneira de voltar a isso, pois os bancos centrais começam a acumular mais ouro, como alguns estão fazendo – como os russos, os chineses e outros.

Eu acho que é difícil prever para onde isso vai, porque a mentalidade keynesiana e o pensamento de grupo estão tão profundamente enraizados entre os economistas monetários – a maioria dos quais trabalha para o Fed ou Wall Street, bem como para os aparelhos que operam os oito ou dez principais bancos centrais do mundo.

A mentalidade deles é contrária a qualquer noção de dinheiro sólido. Isso porque eles acreditam que o trabalho deles é micro e macro-gerenciar todo o PIB do mundo – os US$ 80 trilhões do PIB no mundo e os US$ 22 trilhões aqui nos EUA.

Se você tem essa mentalidade, dinheiro sólido é a última coisa que você terá até que eles afundem tudo.

Não vejo isso acontecendo tão cedo, mas vale a pena falar sobre isso.

Se você entende o dinheiro sólido e como o padrão-ouro – o padrão-ouro anterior a 1914 – funcionou (trouxe enorme prosperidade ao país e ao mundo), então você sabe a loucura do que estão fazendo hoje.

International Man: em meio ao medo e à histeria do COVID-19, os governos concederam a si mesmos todos os tipos de novos poderes. O que isso significa para o futuro da liberdade pessoal?

David Stockman: Eu acho que é uma ameaça muito grave.

Quando você analisa isso objetivamente, vê que trata-se apenas de uma severa gripe ou vírus de inverno, do tipo que a humanidade tem enfrentado, não apenas por décadas e séculos, mas provavelmente milênios.

Foi transformada em crise existencial e histeria da mídia 24 horas por dia, 7 dias por semana, que abriu as portas para uma expansão da intrusão e do poder do governo.

Não consigo pensar em nenhum precedente para isso, nem mesmo o que fizemos em tempo de guerra durante a Segunda Guerra Mundial ou, o que aconteceu após o 11 de setembro.

Entre outras coisas, trata-se de um roubo de propriedade, em um nível que jamais sequer foi imaginado.

Trilhões de dólares serão perdidos por empresas que foram obrigadas a fechar suas portas sem serem ouvidas, sem a oportunidade de apresentar abordagens alternativas que lhes permitissem permanecer abertas e, ao mesmo tempo, minimizar qualquer ameaça à saúde pública.

Eu acho que haverá uma quantidade enorme de litígios após o ocorrido.

Sempre há aqueles advogados em busca de dinheiro. Eles vão começar a processar todos os prefeitos e governadores que puderem. Espero que sim, porque isso foi feito apenas por decreto – quase sem nenhuma análise, ou de declaração de impacto, e com o mais reles dos poderes estatutários públicos relativos à proteção da saúde pública que os prefeitos e governadores realmente têm.

Será necessário que as pessoas que acreditam na liberdade e na liberdade pessoal apoiem os esforços que, com certeza, serão feitos para que os funcionários públicos que impuseram essas paralisações paguem o preço por sua imprudência irresponsável.

International Man: Exatamente. É sem precedentes.

Deve-se prestar atenção ao fato de que há algo errado com a forma como o poder do governo está mudando, especialmente nos EUA, porque ele tem uma história e tradição de liberdade e liberdade individual.

David Stockman: Eu concordo. Dá ao capricho uma definição totalmente nova.

Entrar e ordenar que todas as empresas fechem as portas e apaguem as luzes.

Eu estou em Greenwich, Connecticut, no momento. É onde estamos nos abrigando dessa tempestade.

Ontem, eu estava andando pela rua, loja após loja fechada, e notei o pequeno imóvel em que o reparador de sapatos trabalha, e está apagado.

Agora, por que diabos o reparador de sapatos não pode trabalhar? Ele pode colocar uma mesa em frente à porta na calçada e dizer se você deseja que seus sapatos sejam consertados, coloque-os aqui, eu vou arrumá-los e você pode buscá-los amanhã.

A natureza sem direção e sem foco dessas ordens de fechamento deve ser passível de processos legais. Elas são um perigo claro e presente para qualquer noção de livre empresa e liberdade pessoal que temos. Sob a lei existente, tem que haver uma punição pesada para as pessoas que fizeram isso.

O que temos são os criminosos do governo que estão fechando a economia, causando o colapso dos ativos financeiros. Os políticos estão resgatando os criminosos no sistema financeiro que estão surfando na bolha por todos esses anos.

É uma situação bastante triste.

 

 

Artigo original aqui.

Tradução de Luis Felipe

 

1 COMENTÁRIO