E veja só o que o YouTube agora permite que você diga

0
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Ora, ora, ora.

Adivinhe o que de repente o YouTube se dignou a nos permitir dizer em sua plataforma.

Até agora, seu conteúdo poderia ser banido se questionasse a eficácia das máscaras, um dos fracassos mais óbvios da história da saúde pública.

Na verdade, uma de minhas entrevistas com um congressista americano, Thomas Massie, foi retirada do YouTube exatamente por esse motivo.

Mas na lista recente de coisas que o YouTube diz que você não pode dizer, questionar a relevância das máscaras desapareceram.

Veja como era a lista antes da atualização, cortesia de Tim Pool:

E aqui está como está agora:

Essas restrições malucas contribuíram significativamente para o surgimento de plataformas alternativas como Rumble, BitChute e Odysee.

(Na verdade, meu episódio deletado com Thomas Massie, é claro, ainda está no Odysee.)

Agora, aqui está o que o regime – cujos lacaios da mídia e porta-vozes do governo são os maiores disseminadores de desinformação na história mundial – pensa sobre essas plataformas:

Os libertários da moda estremecem quando ouvem a mídia os descreverem como inimigos do povo. Ora, isso não é algo que pessoas respeitáveis ​​dizem! Como você espera que sejamos levados a sério pelo New York Times se falarmos assim?

Mas o que mais podemos dizer sobre uma mídia que age assim?

Por muito tempo, eu mesmo tive um grupo privado no Facebook como um dos benefícios que dou aos meus apoiadores no podcast. Mas, como o YouTube, o Facebook tornou a discussão racional impossível.

Então eu mudei esse grupo para uma plataforma sem censura e estamos muito contentes desde então.

Pessoas inteligentes e simpáticas que nunca caíram nas imbecilidades defendidas pelos Faucis da vida, e que souberam como surfar através de um mundo enlouquecido.