Introdução

0
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Jörg Guido Hülsmann e Stephan Kinsella

 

Hans-Hermann Hoppe é um dos estudiosos mais importantes de nosso tempo. Ele fez contribuições pioneiras para a sociologia, economia, filosofia e história. Ele é o decano da atual Escola Austríaca de Economia, e é mundialmente famoso como filósofo libertário. Ele e seus escritos inspiraram estudiosos em todo o mundo a seguirem seus passos e fornecerem uma base científica para a liberdade individual e uma sociedade livre. As páginas a seguir são uma tentativa modesta de homenagear a ocasião do 60º aniversário do Professor Hoppe. Os contribuintes são ex-alunos, colegas e colaboradores, unidos em admiração e amizade pelo laureado.

Hans-Hermann Hoppe nasceu na cidade alemã de Peine, em 2 de setembro de 1949. No final dos anos 1960 e no início dos anos 1970, ele estudou história, sociologia e filosofia nas universidades de Saarbrücken e Frankfurt am Main. Sua tese de doutorado de 1974, publicada em 1976, tratou dos fundamentos praxeológicos da epistemologia. Sua tese central era que todos os processos cognitivos e, portanto, as ciências, são apenas formas especiais de ação humana. Concluiu-se que as leis da ação também eram as leis básicas da epistemologia. Hoppe logo descobriria que, alguns anos antes dele, o economista austríaco Ludwig von Mises chegara essencialmente à mesma conclusão. Esse foi seu primeiro contato com o austro-libertarianismo e foi o início de um processo ao longo do qual o jovem Hoppe, na época um estatista de esquerda, passou a revisar suas convicções políticas. O processo se acelerou quando ele começou a ler Murray Rothbard e descobriu que a economia “subjetivista” de Mises poderia ser combinada com a filosofia política objetiva. Mas ele primeiro continuou seus estudos filosóficos, desenvolvendo uma nova epistemologia e metodologia das ciências sociais, com base nos insights que recebeu de Mises e Rothbard.

Eventualmente, Hoppe se tornou um austríaco completo quando, no início dos anos 1980, foi para os Estados Unidos com uma prestigiosa bolsa de estudos do programa Heisenberg. Desta vez, seu projeto de pesquisa dizia respeito à filosofia política, mas foi novamente construído com base na economia austríaca. Em 1986, então, ele se tornou colega de Rothbard na Universidade de Nevada, Las Vegas (UNLV), onde lecionaria pelos próximos vinte anos. Após a morte prematura de Rothbard em 1995, o professor Hoppe assumiu um lugar de liderança incontestável entre os estudiosos austro-libertários, tornando-se editor do Journal of Libertarian Studies, co-editor da Review of Austrian Economics e, em seguida, co-editor do Quarterly Journal of Austrian Economics. O Professor Hoppe, agora Professor Emérito de Economia na UNLV e Distinguished Fellow do Ludwig von Mises Institute, também atua no conselho editorial da Libertarian Papers. Além de ser autor de vários artigos acadêmicos, seus livros importantes incluem Handeln und Erkennen (1976), Kritik der Kausalwissenschaftlichen Sozialforschung (1983), Eigentum, Anarchie, und Staat (1987), Uma Teoria do Socialismo e do Capitalismo (1989), A Economia e a Ética da Propriedade Privada (1993, 2ª edição ampliada em 2006), Democracia: O deus que falhou (2001) e O Mito da Defesa Nacional (editor, 2003). Suas obras foram traduzidas para pelo menos 21 idiomas, sem contar o inglês.[1]

Entre as muitas realizações do professor Hoppe, devemos destacar em particular: sua brilhante crítica da metodologia positivista aplicada às ciências sociais; uma nova abordagem praxeológica da filosofia política; uma análise comparativa abrangente do socialismo e do capitalismo; e uma teoria da secessão como meio de reforma política. Mais importante ainda, em seu livro Democracia: O deus que falhou, o professor Hoppe fez uma crítica profunda da democracia, bem como uma reinterpretação original da história ocidental no século XX, ambas as quais geraram debates internacionais na academia e entre os mais amplos públicos. Outras obras influentes de sua pena trataram do papel das migrações em uma sociedade livre e do papel dos intelectuais públicos nos processos de transformação política. Além disso, ele se destacou como historiador do pensamento e fez contribuições inovadoras para outras áreas, como a teoria do monopólio; a teoria dos bens públicos; a sociologia da tributação; a metodologia positiva das ciências sociais; a teoria do risco; a produção de segurança; a transformação de países anteriormente socialistas; e a evolução das instituições monetárias e seu impacto nas relações internacionais. E o trabalho do Professor Hoppe continua: ele está atualmente trabalhando em um grande projeto de livro que irá reafirmar e elaborar seu trabalho anterior nos campos da epistemologia e da ética – de forma mais geral, a natureza da racionalidade humana. O objetivo do livro é fornecer “uma reconstrução sistemática e interdisciplinar da história humana (pré-história, sociedades de caçadores-coletores, sociedades agrícolas, sociedades industriais).”[2]

A lista anterior revela que o professor Hoppe não é apenas um acadêmico e estudioso, mas também um intelectual público de primeira ordem. Ele abordou assuntos importantes e controversos, mesmo quando isso provavelmente o colocaria em conflito com colegas, políticos, empresários e a sabedoria convencional. Ele não se esquivou de propor ideias provocativas, mas o fez de uma maneira cuidadosa e bem definida que, na maioria das vezes, recebeu aclamação entusiástica em salas de aula e entre leitores em todo o mundo. Sua verve competente inspirou alunos e colegas, como aqueles que contribuíram para o presente volume.

Finalmente, o professor Hoppe demonstrou liderança não apenas no domínio das ideias, mas também por meio da promoção prática da investigação científica e do debate aberto. Mais notavelmente, em agosto de 2005, ele iniciou a fundação da internacional Property and Freedom Society, que finalmente realizou sua reunião inaugural em maio de 2006, e o elegeu para presidente.

O objetivo da Property and Freedom Society é promover o debate científico das questões politicamente relevantes de nosso tempo, independentemente das preocupações da política partidária. Ele reconhece a conveniência do radicalismo libertário intransigente, que, a longo prazo, é o caminho mais seguro para uma sociedade livre. Portanto, busca promover o austrolibertarianismo, que remonta aos economistas franceses do século XIX, Frédéric Bastiat e Gustave de Molinari. Ela defende

a propriedade privada justamente adquirida, liberdade de contrato, liberdade de associação – o que logicamente implica o direito de não se associar com, ou de discriminar contra, qualquer pessoa em suas relações pessoais e comerciais – e livre comércio incondicional. Condena o imperialismo e o militarismo e seus fomentadores, e defende a paz. Ela rejeita o positivismo, o relativismo e o igualitarismo em qualquer forma, seja de “resultado” ou “oportunidade”, e não esconde sua aversão pela política e pelos políticos.[3]

O presente liber amicorum é um testemunho do fato de que esses ideais têm um apelo universal e inspiram estudiosos de todo o mundo. Portanto, é adequado que o nome da amada Property and Freedom Society de Hoppe inspire o título do presente volume.

Os editores desejam expressar seu agradecimento pela entusiástica cooperação de todos os que ajudaram neste projeto. Nossos agradecimentos especiais aos colaboradores, bem como ao Sr. Llewellyn Rockwell por seu apoio incansável na produção e publicação deste belo volume. Também reconhecemos com gratidão a eficiente assistência editorial da Sra. Judy Thommesen e da Sra. Kathy White, ambas do Mises Institute.

 

Jörg Guido Hülsmann, Angers, França

Stephan Kinsella, Houston, Texas

Maio de 2009

 

______________________________

Notas

[1] A maioria das publicações do professor Hoppe, incluindo links para traduções e uma bibliografia detalhada, estão disponíveis em seu site, www.hanshoppe.com.

[2] “Hans-Hermann Hoppe: Potret Intelektual Anti-Intelektual” [“Entrevista com Hans-Hermann Hoppe, um Intelectual Anti-Intelectual”], entrevista por Sukasah Syahdan, Akal dan Kehendak (Indonésia) (28 de abril de 2008).

[3] “Princípios da Property and Freedom Society,” disponível em www.propertyandfreedom.org (citando a Declaração de Abertura da Reunião Inaugural: Bodrum, Turquia, maio de 2006).