O Bitcoin não tem futuro como moeda.

3
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Eu amo o Bitcoin, não apenas porque já lucrei bastante com ele (obrigado Daniel Fraga) mas foi a primeira moeda a mostrar na prática que uma moeda sem o estado pode ser infinitamente melhor que lixos como dólar, iene, real, etc.

Apesar desse carinho que tenho pelo Bitcoin vamos ser realista, uma sociedade escravizada não tem a menor condição de se libertar da moeda estatal ainda mais com o crescente déficit público em todo planeta.

O Bitcoin atende todas as características que uma moeda precisa ter: é portátil, divisível, resistente e segura, difícil fraudar. A fraqueza das moedas estatais é a facilidade que um burocrata tem de fraudar e essa é a grande vantagem do Bitcoin. Mas um criminoso armado não liga para isso, se a intenção dele é justamente fraudar a moeda para ganho próprio e autofinanciamento, qual chance dele permitir que a sociedade use outra moeda que ele não tenha controle? Nenhuma.

Claro que você pode sonegar comprando alguns produtos, drogas ou pagando striptease virtual com criptomoedas mas a eficiência econômica depende da produção em grande escala e nisso o Bitcoin falha.

O Bitcoin não tem um exército maior e mais forte que a gangue estatal e as empresas que produzem em escala seja celular, fogão, microprocessadores ou soja são grandes demais para se esconder. É impossível construir um terminal marítimo com containers, caminhões e navios trazendo e levando mercadorias acreditando que está invisível ao estado só porque está usando Bitcoin, não tem como. Da mesma maneira não é possível ter uma plantação de milho de alguns hectares discretamente, quanto maior mais você é visto.

Ainda que algum país permita o uso de criptomoedas e isso reduza os custos de transação isso só será tolerado enquanto o estado não criar uma solução de transação tão barata e rápida quanto as criptomoedas e até quando não gerar um problema de financiamento do próprio estado.

O Bitcoin teve a chance de incomodar o estado mas não conseguiu, ainda é mais difícil usar Bitcoin do que ter uma conta em banco tradicional para 99% das pessoas e essa dificuldade deu tempo para a gangue estatal copiar a ideia e lançar suas próprias moedas digitais que vão ser bem recebidas pelo público em geral que desconhecem a boa teoria econômica. Vendo a reação da imensa maioria com as ordens do estado na epidemia de histeria do Covid fica difícil imaginar que escolham a liberdade ao invés da submissão.

Existe ainda outro uso para o Bitcoin, servir de reserva de valor e proteção contra a inflação da moeda estatal e novamente o Bitcoin se mostra uma excelente alternativa mas que esbarra no mesmo problema de antes, ainda existe um ladrão armado do outro lado. Não é difícil para o estado taxar exchanges, bolsas de valores que adotem Bitcoin e grandes fundos que são fiscalizados com lupa pelo estado, tornando essa reserva de valor pouco eficiente no quesito “se livrar do estado”, ainda que possa sim substituir o ouro como principal reserva de valor.

Ainda é possível lucrar com Bitcoin? A verdade que quem investe em Bitcoin está mais interessado em lucrar do que lutar contra o estado e talvez ainda seja possível lucrar e muito especulando um futuro uso de reserva de capital mas isso não é garantido, e óbvio que haverá todo lixo regulamentador que será aceito por todas as instituições.

Não se enganem, o ladrão nunca vai permitir sua liberdade econômica e nem da sociedade, há muita inflação ainda a ser criada para financiar a gangue que não está muito disposta a abrir mão disso.

3 COMENTÁRIOS

  1. Se um minerador aceitar as transações censuradas e os nodes validarem, todo esse trabalho de censura vai ser em vão. Sempre vão existir mineradores dispostos a aceitarem as transações, tem mineradores na Venezuela, no Irã, na Coreia do Norte, em países e locais que vocês nem conhecem direito, em locais que não respondem a nada que os EUA comandam.

    Bitcoin continua cada vez mais forte e a tecnologia vai avançando cada vez mais e não tem o que o estado fazer para impedir isso. Já foi tudo pensado previamente e toda ação estatal será motivo de piada lá no fórum do bitcointalk.

  2. Não entendi bem o texto. O Estado não é um deus, não tem como se estar em todos os lugares ao mesmo tempo, se metade da população usasse criptomoedas, seja por aplicações em segunda camada (que é o mais factível) ou bruto mesmo, não iria haver nada o que fazer, Bitcoin é essencialmente anárquico, isso significa que não iria fazer o menor sentido por exemplo injeção de liquidez, isso seria um tiro no pé, sem isso não teria como o Estado se financiar já que é só papel, ele se esfacelaria sozinho. Bitcoin é simplesmente uma forma de você não depender de nenhum governo sobre as suas finanças.

    Sobre as moedas digitais: Isso é bullshit sinceramente, não sobre o controle financeiro mas sobre o Bitcoin, atualmente por que as pessoas usam Bitcoin? Como reserva de valor, e isso não muda, as CBDCS ainda são apenas uma promessa de políticos de manter o valor do seu “dinheiro”, a única diferença é que agora ao invés de papéis coloridos são um bando de zeros e uns, não tem como eles censurarem o Bitcoin já que ainda é P2P, nada impede você de negociar pessoalmente ou usando uma VPN.

    E sobre a facilidade de uso acho que o autor está muito apressado kkkk, Bitcoin ainda tem apenas 12 anos de idade, é um bebê ainda, particularmente eu acredito que no futuro vai ficar tão fácil usar quanto mandar um whatsapp com as aplicações de segunda camada, a pessoa não precisaria saber o que é Blockchain, Hashrate, ou qualquer coisa apenas do aplicativo e do ID que seria mandado como qualquer app de fintech.

    Resumindo: Estado é essencialmente centralizado e isso faz ele ser lento e inefetivo quando se trata de coisas que não exigem planejamento central. Uma coisa é você acabar com uma cooperativa de taxis, outra coisa bem diferente é você tentar acabar com cada zé ruela que usa arcade city ou manda o número do WPP para bater uma corrida por alguns SATs, isso é impossível.