Quem são os vencedores e perdedores na guerra da Ucrânia

0
Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Vamos examinar vencedores e perdedores na crise da Ucrânia. Comecemos pelos perdedores.

O maior perdedor é o povo da Ucrânia. Eles estão sendo mortos, feridos e mutilados pela invasão russa de seu país. A invasão também está destruindo suas casas, negócios e, bem, todo o país.

O povo ucraniano também é o grande perdedor por causa da pessoa que tem como presidente, Volodymyr Zelenskyy. Sim, eu sei, a grande mídia dos EUA compara Zelenskyy a George Washington, mas o fato é que Washington nunca teria sacrificado seus próprios cidadãos para agradar a uma potência estrangeira. Foi isso que Zelenskyy fez. Ele está disposto a sacrificar dezenas de milhares de cidadãos ucranianos para agradar os burocratas do governo dos EUA.

Afinal, quando tudo estiver terminado, restará que Zelenskyy foi confrontado com uma escolha: desistir de qualquer interesse da Ucrânia se juntar ao velho dinossauro da época da  Guerra Fria controlado pelo Pentágono-CIA conhecido como OTAN ou sofrer uma invasão mortal e destrutiva pela Rússia que inevitavelmente causaria morte e destruição em massa na Ucrânia. Zelenskyy escolheu seu amor pela OTAN sobre sua lealdade ao povo ucraniano. Quando ele escolheu a OTAN, ele sabia muito bem que o preço dessa escolha seria uma invasão russa que mataria, feriria e mutilaria dezenas de milhares de seus compatriotas e destruiria uma quantidade incalculável de casas, empresas e infraestrutura.

Eu com certeza não gostaria que ele fosse meu presidente. Há algumas coisas pelas quais vale a pena lutar, como a liberdade. Mas lutar pelo direito de se juntar a um dinossauro da época da Guerra Fria velho, corrupto, burocrático, controlado pelo Pentágono-CIA como a OTAN não é uma daquelas coisas pelas quais vale a pena lutar. Não vale a pena sacrificar a vida de um único cidadão.

Por que Zelenskyy escolheu a OTAN ao invés do povo ucraniano? Meu palpite é que o Pentágono e a CIA o induziram de alguma forma a escolher eles e não com o povo ucraniano. Independentemente disso, o fato é que se Zelenskyy tivesse escolhido rejeitar o velho dinossauro da época da Guerra Fria OTAN, todos aqueles ucranianos mortos ainda estariam vivos porque a Rússia nunca teria invadido a Ucrânia, e o país ainda estaria intacto.

Outro perdedor é o povo da Rússia. Seu governo está agora atolado em uma invasão mortal e destrutiva de um país estrangeiro, assim como o governo dos EUA tem estado atolado em guerras estrangeiras no Iraque, Afeganistão, Vietnã, Coréia e outros lugares. Tropas estão sendo mortas, deixando familiares em luto. Outras tropas voltarão para casa mutiladas ou gravemente feridas. A economia russa está em parafuso porque é isso que as guerras fazem. As brutais sanções dos EUA empobrecerão e possivelmente matarão russos, incluindo crianças, assim como contribuíram para a morte de centenas de milhares de crianças iraquianas na década de 1990.

O povo americano também é perdedor nesta crise. Com o fortalecimento do estado de segurança nacional, a destruição de seus direitos e liberdades durante a Guerra Fria se tornará mais solidificada. Os gastos federais, a dívida e a inflação continuarão subindo fora de controle. As consciências individuais continuarão a ser embrutecidas à medida que as pessoas continuarem a se submeter ao establishment da segurança nacional para mantê-las seguras e protegidas da série de inimigos assustadores que o Pentágono e a CIA continuam a gerar, sendo o mais recente a Rússia. Talvez o pior de tudo é que muitos americanos continuarão a incorporar as palavras de Johann Goethe: “Ninguém é mais escravizado do que aqueles que falsamente acreditam que são livres”.

Então, há algum vencedor na crise da Ucrânia? Na verdade, há um grande vencedor. Esse grande vencedor é o establishment de segurança nacional dos EUA, a entidade que provocou esta crise em primeiro lugar, ameaçando absorver a Ucrânia em seu dinossauro corrupto da época da Guerra Fria, a OTAN, sabendo muito bem que a Rússia invadiria a Ucrânia para impedir bases militares dos EUA, mísseis, tanques e tropas sejam estabelecidos na fronteira da Rússia.

Considere os benefícios do jogo malévolo e engenhoso da CIA e da estratégia política do Pentágono e da CIA. Os americanos não estão mais discutindo as ocupações mortais e destrutivas de décadas do Pentágono e da CIA no Iraque e no Afeganistão, juntamente com todas as mentiras que as sustentavam. Isso é tudo história antiga agora. O foco agora está na Rússia e seus supostos planos de conquistar o mundo. É essencialmente um redux da Guerra Fria, com a Rússia em vez da União Soviética como o novo bicho-papão oficial que supostamente está vindo para nos pegar.

Não há mais discussão sobre conter os gastos e dívidas federais – não quando quantidades cada vez maiores de generosidade financiada pelos contribuintes devem continuar a inundar o establishment de “defesa” para nos manter “seguros”. De que outra forma eles podem nos proteger da ameaça vermelha, quero dizer, russa.

Considere a tempestade perfeita de inimigos oficiais e crises que o Pentágono e a CIA geraram.

Há a guerra contra o comunismo. Isso é refletido pela China Vermelha, Coréia do Norte, Cuba e possivelmente até mesmo Vietnã. Costumava incluir a Venezuela, mas a mídia dos EUA está relatando hoje que as autoridades dos EUA estão agora atrás do petróleo da Venezuela, que eles precisam para financiar sua própria máquina de guerra. Portanto, funcionários públicos dos EUA em breve comunicarão ao povo americano que a Venezuela passou das fileiras de inimigos oficiais para as fileiras de amigos oficiais.

Há a guerra contra o terrorismo e a guerra contra o mal. Ainda há muitos terroristas e um mal considerável no mundo para erradicar.

Há a guerra contra os muçulmanos e o islamismo. Não se esqueça da conspiração muçulmana para estabelecer um califado mundial que remonta a séculos e que visa levar a Sharia às comunidades americanas.

E depois há as muitas ameaças subsidiárias assustadoras para os EUA, representadas pelo Irã, Síria, traficantes de drogas, imigrantes ilegais e muitos mais.

Todos esses monstros assustadores deveriam nos lembrar que precisamos do Pentágono, da CIA e da NSA mais do que nunca. Teremos apenas que adiar a restauração de nosso sistema fundado como uma república de governo limitado algumas décadas a mais para que a indústria de “defesa” possa nos manter “seguros” enquanto continua se alimentando do erário público sustentado pelos contribuintes. E apenas teremos que atrasar a restauração de nossos direitos e liberdades que o establishment da segurança nacional continuamente destruiu desde que foi criado para combater sua farsa da Guerra Fria.

Sim, a crise da Ucrânia produziu muitos perdedores e um grande vencedor.

 

 

Artigo original aqui