20 razões pelas quais as máscaras são inseguras, ineficazes e imorais

1
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Nove perigos potenciais e comprovados do uso de focinheiras

1. Cáries: os dentistas de Nova York estão relatando que metade de seus pacientes sofre de deterioração dos dentes, retração nas gengivas e mau hálito por usar máscaras. “Estamos vendo inflamação nas gengivas de pessoas que sempre foram saudáveis ​​ e cáries em pessoas que nunca as tiveram antes”, disse o Dr. Rob Ramondi à FOX News.

2. Deformidades faciais: colocar máscaras em crianças desencadeia a respiração pela boca que, como foi demonstrado, causa “faces longas e estreitas, bocas estreitas, abóbadas palatinas altas, má oclusão dentária, sorrisos gengivais e muitas outras características faciais pouco atraentes”, de acordo com o Journal of General Dentistry.

3. Acne: umidade e germes acumulados na máscara causam “lesões na pele do rosto, dermatite irritante … ou piora da acne” (de acordo com a Saúde Pública de Ontário), que estressa o sistema imunológico, pode causar cicatrizes permanentes e está associada à depressão e pensamentos suicidas (de acordo com o Journal of Dermatologic Clinics). As crianças também desenvolvem impetigo, uma infecção bacteriana que produz feridas vermelhas e pode causar danos aos rins (de acordo com a Mayo Clinic).

4. Aumento do risco de COVID-19: “O uso de máscaras pelo público em geral pode estar associado a um risco teórico elevado de COVID-19 por meio de … autocontaminação”, declara a Public Health Ontario em Using Masks in Public e COVID-19. “Ao usar uma máscara, os vírus exalados não serão capazes de escapar e se concentrarão nas passagens nasais, entrarão nos nervos olfativos e viajarão para o cérebro”, teoriza o neurocirurgião certificado, nacionalmente reconhecido, Dr. Russel Blaylock, MD (em um artigo do The Center for Research on Globalization).

5. Pneumonia bacteriana: Em uma coletiva de imprensa em Oklahoma, o Dr. James Meehan, MD, testemunhou: “Relatórios vindos de meus colegas em todo o mundo estão sugerindo que as pneumonias bacterianas estão aumentando” como resultado da umidade acumulada nas máscaras.

6. Supressão imunológica: as máscaras são frequentemente usadas por criminosos que tentam esconder sua identidade enquanto cometem um crime (roubo, violência, estupro, assassinato, etc.). Elas produzem ansiedade e medo subconscientes. O medo e a ansiedade ativam o sistema nervoso de lutar ou fugir, que desregula o sistema imunológico, conforme mostrado em um estudo da American Psychological Association.

7. Germofobia: As máscaras criam um medo irracional de germes e uma falsa sensação de proteção contra doenças, levando a um comportamento anti-social (ou mesmo hostil) em relação àqueles que não usam máscara. (Veja o artigo no Journal of Obsessive-Compulsive and Related Disorders intitulado “COVID-19, transtorno obsessivo-compulsivo e formas de vida invisíveis que ameaçam a si mesmo”).

8. Toxicidade: Muitas (senão a maioria das) máscaras e coberturas faciais (incluindo tecidos) são feitas com produtos químicos tóxicos e cancerígenos, incluindo retardador de fogo, fibra de vidro, chumbo, NFE, ftalatos, produtos químicos polifluorados e formaldeído que emitem gases e são inalados pelo usuário. (Veja “5 principais produtos químicos perigosos em roupas da China nomeados” por Fashion United).

9. Psicologicamente prejudicial: “Acredito que a verdadeira ameaça agora é o que estamos fazendo para sabotar a saúde mental, emocional e física de … nossos filhos, cujo desenvolvimento depende de interações sociais, contato físico e expressões faciais”, escreve o Dr. Joseph Mercola da Mercola.com. “Entre o uso de máscaras e o distanciamento social, temo que o impacto nas crianças em particular possa ser de longo prazo, se não permanente”.

Seis provas que máscaras não reduzem infecções

1. Insubstancial: Uma revisão financiada pelo CDC sobre o uso de máscaras em maio de 2020 chegou à conclusão: “Embora os estudos mecanísticos apoiem o efeito potencial da higienização das mãos ou máscaras, as evidências de 14 ensaios clínicos randomizados dessas medidas não apoiam um efeito substancial sobre transmissão de influenza confirmada em laboratório … Nenhum dos estudos domésticos relatou uma redução significativa nas infecções secundárias do vírus da influenza confirmadas em laboratório no grupo de máscara.” Se as máscaras não podem parar a gripe normal, como podem parar o SAR-CoV-2?

2. Irracional: “A evidência de que o uso de máscaras como fonte [de] controle resulta em qualquer redução material na transmissão foi escassa, anedótica e, no geral, deficiente … [e o uso obrigatório de máscaras] é o oposto exato de ser razoável”, decidiu o mediador de um hospital em uma disputa entre a Ontario Nurses’ Association e a Toronto Academic Health Science Network.

3. Ineficaz: “As máscaras orais em indivíduos saudáveis ​​são ineficazes contra a propagação de infecções virais”, escrevem os médicos belgas em uma carta aberta publicada no The American Institute of Stress, 24 de setembro de 2020.

4. Anti-higiênico: “Nunca foi demonstrado que o uso de máscaras cirúrgicas diminui as infecções pós-operatórias”, escreve Göran Tunevall, M.D. no World Journal of Surgery. “Pelo contrário, uma redução de 50% [em infecções bacterianas] foi relatada após a omissão das máscaras.”

5. Sem proteção: “Havia 17 estudos elegíveis. … Nenhum dos estudos estabeleceu uma relação conclusiva entre o uso de máscara⁄respirador e proteção contra infecção por influenza”, conclui uma revisão de pesquisa na revista Influenza and Other Respiratory Viruses.

6. Não comprovado: A ministra holandesa de Assistência Médica, Tamara van Ark, afirmou que “do ponto de vista médico, não há eficácia comprovada das máscaras” após uma revisão do Instituto Nacional de Saúde em 29 de julho de 2020 (de acordo com a Reuters).

Cinco maneiras em que o uso obrigatório de máscara é imoral

1. Imprudência: “Ao fazer recomendações sobre o uso de máscaras e políticas para o público em geral, ou ao tolerar expressamente a prática, os governos ignoraram as evidências científicas e fizeram o oposto de seguir o princípio da precaução”, escreve Denis Rancourt, PhD em seu estudo de 2020 As máscaras não funcionam.

2. Manipulação: Dr. Andreas Voss, membro da equipe de especialistas da Organização Mundial da Saúde e chefe da microbiologia em um hospital holandês em Nijmegen, em 24 de julho de 2020, disse ao I Am Expat que as máscaras foram tornadas obrigatórias “não por causa de evidências científicas, mas por causa da pressão política e da opinião pública”.

3. Incitação de medo: “Na verdade, não há nenhum estudo que sugira que faz algum sentido para indivíduos saudáveis ​​usar máscaras em público”, escrevem a Dra. Karina Reiss, Phd e o Dr. Sucharit Bakdi, MD em Corona, False Alarm? “Pode-se suspeitar que a única razão política para fazer cumprir a medida é fomentar o medo na população.”

4. Totalitarismo: “Se você olhar para a história dos regimes totalitários … todos eles fazem a mesma coisa, que é tentar esmagar a cultura e esmagar qualquer evidência de auto-expressão…” explica Robert F. Kennedy, Jr. em uma entrevista sobre máscaras. “E qual é o vetor final para a autoexpressão? São as suas expressões faciais … [Ainda assim] todos nós fomos instruídos a colocar a burca e ser obedientes.”

5. Sinalização de virtude: “As máscaras são totalmente inúteis”, testemunhou o Dr. Roger Hodkinson, um patologista certificado pelo Royal College of Physicians and Surgeons of Canada, em uma reunião do conselho municipal. “… máscaras são simplesmente sinalização de virtude … É totalmente ridículo ver essas pessoas infelizes e sem educação – não estou dizendo isso em um sentido pejorativo – andando como ovelhas, obedecendo sem qualquer base de conhecimento, ao colocar a máscara em seus rostos.”

 

Artigo original aqui.

1 COMENTÁRIO