A conformidade ao uso de máscaras e distanciamento “social” é uma ameaça à soberania individual de todos

0
Tempo estimado de leitura: 4 minutos

“A liberdade, então, é a soberania do indivíduo, e nunca o homem conhecerá a liberdade até que todo e qualquer indivíduo seja reconhecido como o único soberano legítimo de sua pessoa, tempo e propriedade, cada um vivendo e agindo às suas próprias custas .” – Josiah Warren

A essência da liberdade é baseada na soberania individual, enquanto a essência da servidão é baseada na conformidade e obediência à falsa autoridade. Qualquer autoridade alegada é ilegítima se não for voluntária e, portanto, exercida pela força. Isso significa que toda autoridade governamental é indevida, a menos que cada indivíduo concorde com esse governo e também tenha a capacidade de dispensa-lo e ir embora a qualquer momento que quiser. Nunca vivemos sob um sistema que permitisse liberdade real neste país.

Para que a liberdade exista, cabe ao povo em geral garantir que nenhum governo tenha poder suficiente para infringir a liberdade de qualquer cidadão. Obviamente, o povo falhou miseravelmente em qualquer esforço para garantir a independência individual, já que cada aspecto da vida neste país agora é vigiado, regulamentado, monitorado e controlado por um governo que afirma ser soberano sobre o indivíduo, e tudo isso é executado por meios brutais e violentos. Para que as pessoas despertem e percebam sua própria servidão e se importem o suficiente para correr o risco de mudar, elas precisam ter incentivo individual suficiente para buscar isso por conta própria. Isso ainda não é evidente e, como as pessoas ainda clamam por serem lideradas em vez de governar a si mesmas, a situação está piorando a cada momento.

O aspecto mais revelador desse fenômeno é a adesão quase total da população em geral ao uso obrigatório de máscaras e ao distanciamento social. Ao consentir com essas ordens da classe política, é evidente que as massas não passam de escravos e são totalmente indiferentes ou ignorantes à respeito de qualquer realidade relativa ao seu próprio bem-estar ou de qualquer desejo natural de liberdade. Quando as pessoas em massa estão dispostas a receber ordens de uma força controladora chamada governo, elas se tornam a maior ameaça para o todo, o que significa que são a maior ameaça à soberania individual de todos.

Pensar nisso em termos lógicos deveria assustar qualquer pessoa sã. Como pode um país que afirma ser o mais livre da terra, um país com bem mais de 300 milhões de pessoas, desistir de tudo pelo que trabalharam e ganharam na vida, tudo o que lhes é caro, e se encolher e se esconder nas sombras esperando que será garantido por seus mestres um retorno parcial à normalidade se elas obedecerem? Elas fazem isso porque foram enganadas ao acreditar que uma gripe comum vai atacar e matar todos elas. Não importa que não haja mortes adicionais, não haja pandemia e que nenhum vírus tenha identificado. Nunca foi isolado ou separado, nunca foi identificado e nunca satisfez os Postulados de Koch para provar que é mesmo real. Como tantos puderam ser enganados por uma mentira tão óbvia? Será simplesmente por causa do que os propagandistas mestres afirmam quando dizem que quanto maior a mentira, mais eles acreditarão? Ou será que muitos se tornaram dependentes de outros que lhes dizem o que fazer e como viver por tanto tempo que não têm mais nenhum desejo ou capacidade de questionar a falsa autoridade?

O uso de máscaras e o distanciamento social nada mais são do que testes de conformidade usados ​​pela “elite” controladora para ver o quão fraca e patética esta população se tornou. Isso era necessário para saber se este país estava pronto para ser dominado pelos poucos oligarcas no poder. Todas as indicações são de que os EUA do passado veio e se foi, e tudo o que resta é uma terra outrora dinâmica e forte, agora cheia de cidadãos estúpidos e obtusos com personalidades robóticas esperando pela próxima ordem. Como escrevi recentemente:

“O uso forçado de máscaras através do controle político sobre as pessoas é um aspecto importante da resposta tirânica a essa “pandemia” viral fraudulenta. Distanciamento social, testes obrigatórios, quarentenas, fechamento obrigatório de empresas, checagem de temperatura, vigilância em massa e quaisquer outras invasões atrozes de privacidade são humilhantes e opressoras, mas as ordens estaduais e locais apoiadas pelas organizações políticas e de “saúde” nacionais de usar máscaras são especialmente instrutivas quanto à verdadeira agenda buscada. Essa agenda é clara como o dia e está sendo implementada não apenas como um teste de conformidade da sociedade em massa, mas também para separar as pessoas e remover a proximidade, a expressão e a emoção da psique humana. Este é um exercício de estado proposital com a intenção de destruir o espírito do público, deixando apenas uma sociedade de robôs insensíveis e obedientes aguardando a próxima ordem proferida do alto.”

Pessoas que vivem em constante medo não têm capacidade de pensar ou raciocinar. Seu objetivo principal é buscar segurança, independentemente das consequências. Sua capacidade de amar e cuidar dos outros é diminuída, e sua compaixão pelos amigos e familiares desaparece no esforço de alcançar o que elas falsamente acreditam ser autopreservação. Ao se tornarem completamente indiferentes ao ambiente e aos relacionamentos pessoais, elas se tornam perigosas para si próprias e para os outros. A classe dominante compreende perfeitamente essa dinâmica e a tem usado para obter uma posição vantajosa de poder sobre todo o país. Estamos no meio de um golpe que está jogando uns contra os outros e todos contra todos. As próprias pessoas estão sendo usadas para destruir umas às outras, e todos aqueles que cumprem as diretrizes do Estado de esconder o rosto com uma máscara, de eliminar a expressão e de se isolar de amigos e familiares, não estão apenas destruindo suas próprias vidas, mas são um grande risco para todos os outros. Não há desculpa para este comportamento.

Máscaras e distanciamento levarão à vacinação e, assim que a maioria receber qualquer vacinação fraudulenta da Covid, os problemas físicos e mentais aumentarão e a doença se tornará predominante. Cada aspecto do plano do estado para controle populacional, aquisição e reinício global depende da conformidade do rebanho em cada estágio da tirania. Enquanto a multidão continuar a se submeter a essas ordens draconianas, o plano poderá ser levado adiante. O maior impulso para levar adiante essa agenda nefasta está chegando, e a obediência contínua por parte do povo garantirá um estado de governo totalitário.

“A soberania não é dada, é tomada.” – Mustafa Kemal Ataturk

Artigo original aqui.