Apêndice II

0
Tempo estimado de leitura: < 1 minute

O presente trabalho expõe conceitos elementares da teoria libertária. Porém, o leitor se equivocará irreparavelmente se presumir já estar totalmente a par do libertarianismo por tão-só tê-lo lido, visto que este trabalho, embora notadamente sistemático, constitui uma espécie de tratado introdutório ao libertarianismo, o qual provém basilarmente do liberalismo clássico.

À vista disso, as obras, p. ex., de John Locke, um liberal-clássico, são mais que imprescindíveis ao entendimento amplo do libertarianismo, uma vez que Locke foi sabidamente pioneiro ao pôr a existência de direitos naturais inalienáveis em contraposição diametral à abrangência progressiva do aparato estatal. Absolutamente, o mesmo vale para as de Immanuel Kant, principalmente no tocante à compreensão da natureza dos juízos (a posteriori e a priori) e do conhecimento em geral, visto que a ética libertária (i. e., a ética argumentativa de Hans-Hermann Hoppe) demonstra-se aprioristicamente.

Por fim, resolvi finalizar recomendando uma série de leituras indispensáveis à apreensão do pensamento libertário/liberal-clássico, inclusive as das obras que citei ao decorrer do livro, a fim de instigar o leitor à nutrição da vontade de saber, mesmo que divirja arrebatadoramente do que exibi aqui:

  1. A Lei, de Frederick Bastiat
  2. Estado? Não, Obrigado!, de Marcello Mazzilli
  3. Anatomia do Estado, de Murray N. Rothbard
  4. A Ética da Liberdade, de Murray N. Rothbard
  5. Uma breve história do homem: Progresso e declínio, de H. H. Hoppe
  6. Uma Teoria do Socialismo e do Capitalismo, de Hans-Hermann Hoppe
  7. Democracia: o Deus que Falhou, de Hans-Hermann Hoppe
  8. Definindo a Liberdade, de Ron Paul
  9. Além da Democracia, de Frank Karsten e Karel Beckman
  10. A Mais Perigosa Superstição, de Larken Rose