Competição e atividade empresarial

0
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Prefácio da edição americana

Os últimos anos testemunharam um renascimento do interesse nos aspectos microeconômicos dos sistemas econômicos.  A teoria do preço voltou a ser o cerne da análise econômica.  Para a maioria, porém, a teoria contemporânea do preço continuou a ser apresentada dentro de um esquema de equilíbrio.  Isso não só afastou a atenção do processo de mercado, direcionando-a para o equilíbrio, como levou à virtual exclusão do papel empresarial da teoria econômica.

Críticos aguçados da teoria contemporânea do preço começaram, muito recentemente, a chamar atenção para essas deficiências.  Alguns dos escritos de Abbott, Baumol, Brozen, Dewey, Leibenstein, McNulty e D. McCord Wright, a despeito das grandes diferenças entre eles, refletem uma preocupação comum com o fracasso da microeconomia contemporânea em tratar do processo de mercado.  No entanto, durante todo este século tem-se desprezado a existência de pelo menos uma tradição do pensamento econômico que nunca deu margem ao aparecimento de tais deficiências.  Enquanto a tradição anglo-americana derivada da teoria neoclássica do preço continua congelada dentro do esquema de equilíbrio, os autores que se originam dos austríacos têm, consistentemente, trabalhado em linhas que dão à atividade empresarial e aos processos de mercado o seu devido peso.  Este livro pode ser visto ou como uma crítica da teoria contemporânea dó preço, a partir de uma perspectiva “austríaca”, ou como um ensaio sobre a teoria da atividade empresarial, ou sobre a teoria da competição.  Na realidade, seu objetivo é demonstrar que essas visões coincidem.  Além de enfatizar a atividade empresarial, o livro oferece uma nova perspectiva sobre a competição de qualidade, sobre o esforço de venda, bem como sobre a fraqueza fundamental da economia contemporânea do bem-estar.

Entre aqueles com quem mantive conversas ou correspondência que me foram úteis, recordo, reconhecido, J. Buchanan, R.  Coase, D. Dewey, L. Lachmann, H. Demsetz, G. Tullock, e A. Zabarkes.  Acima de tudo, devo a compreensão que tenho do processo de mercado a quase duas décadas de estudo sob a direção de L. Mises, cujas ideias expostas numa vida de trabalho só agora começam a ser devidamente apreciadas.  Agradeço, com reconhecimento, o generoso apoio de pesquisa que recebi da New York University Schools of Business Research Office e da Relm Foundation.  Evidentemente, qualquer responsabilidade pelas falhas deste livro cabe somente a mim.