Consequências indesejadas e o desastre energético que congelou o Texas

1
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Na semana passada, o Texas passou por uma onda de frio que resultou em sérios danos, morte e destruição em todo o estado. O colapso da rede de energia do estado deixou milhões de texanos no escuro e congelando por dias a fio. Tragicamente, pelo menos 30 pessoas morreram.

Existem muitas razões pelas quais o Texas se tornou um país do Terceiro Mundo, e devemos ter cuidado para não atribuir toda a culpa a apenas um fator. Mas parece claro que o desastre foi em grande parte causado por decisões políticas de mudança em direção à energia “sustentável” gerada a partir da energia solar e eólica e pelas restrições autoritárias de Covid do governador Abbott.

Abbott, que ganhou o prêmio de “liderança eólica” neste mês, supervisionou o quase colapso da geração de energia eólica na semana passada. No entanto, a politização da geração de energia em favor de alternativas “sustentável” em relação ao gás natural e outros combustíveis fósseis levou à consequência indesejada de congelar os texanos que sofrem com vários milhões de dólares em danos à propriedade e coisas piores.

Além disso, as emissões federais e outras restrições forçaram o Texas a implorar a Washington permissão para gerar energia em níveis mais altos em antecipação a uma demanda sem precedentes. O governador Abbott finalmente recebeu permissão do Departamento de Energia em 14 de fevereiro, mas a essa altura muitas instalações estavam desligadas devido ao frio congelante.

Por que o governo federal deveria ter permissão para congelar texanos até a morte em nome do controle das emissões das usinas de geração de energia? É um exemplo clássico de política acima de pessoas. Eu acho que se você quiser fazer um grande omelete sustentável, você tem que quebrar alguns ovos.

Enquanto o governador Abbott se apressou em culpar as geradores de energia e até mesmo o Conselho de Confiabilidade Elétrica do Texas, a NBC News em Dallas relatou que o CCET “não conduziu nenhuma inspeção no local das usinas de energia do estado para ver se elas estavam prontas para esta temporada de inverno. Devido ao COVID-19, eles conduziram exercícios virtuais – mas apenas em 16% das instalações de geração de energia do estado.”

As ordens executivas autoritárias da Covid do governador Abbott, pelo menos indiretamente, levaram à negligência na inspeção, manutenção e preparação para o inverno de usinas de geração de energia eólica e outras.

Mas o Texas não congelou apenas por causa das restrições da Covid de Abbott. Durante a maior parte do ano, milhares de empresas foram destruídas. Viciados em drogas e alcoólatras em recuperação tiveram uma recaída. Depressão e suicídios dispararam. As crianças foram privadas de educação.

E para quê? O Texas com as restrições da Abbott não se saiu melhor do que a Flórida, sem restrições quando se trata de casos e mortes de Covid. O governador do Texas sabia disso meses atrás, quando os dados da Flórida provaram que quarentenas, máscaras e outras restrições não surtiram efeito. Mas ele se recusou a mudar de curso. Ele se recusou a seguir a liderança corajosa do governador da Flórida Ron DeSantis e abrir o Texas completamente.

Políticos teimosos ou temerosos demais para mudar de curso quando os fatos ditam o contrário não merecem permanecer no cargo. Os governadores Gavin Newsom na Califórnia e Andrew Cuomo em Nova York estão finalmente enfrentando as consequências de seu autoritarismo Covid. Quando a fumaça se dissipar – e está se dissipando rapidamente – muitos mais desses tiranos mesquinhos cairão. Essa lista de tiranos Covid depostos pode muito bem incluir o governador do Texas Greg Abbott – e a adormecida legislatura estadual do Texas – também.

Esperemos que os texanos – e todo o mundo – aprendam com isso e exijam com mais vigor a liberdade concedida por Deus!

 

Artigo original aqui.

Artigo anteriorMeu caminho até a Escola Austríaca de Economia
Próximo artigoOs homens se esqueceram de Deus; é por isso que tudo isso aconteceu
é médico e ex-congressista republicano do Texas. Foi candidato à presidente dos Estados Unidos em 1988 pelo partido libertário e candidato à nomeação para as eleições presidenciais de 2008 e 2012 pelo partido republicano. É autor de diversos livros sobre a Escola Austríaca de economia e a filosofia política libertária como Mises e a Escola Austríaca: uma visão pessoal, Definindo a liberdade, O Fim do Fed – por que acabar com o Banco Central (2009), The Case for Gold (1982), The Revolution: A Manifesto (2008), Pillars of Prosperity (2008) e A Foreign Policy of Freedom (2007). O doutor Paul foi um dos fundadores do Ludwig von Mises Institute, em 1982, e no ano de 2013 fundou o Ron Paul Institute for Peace and Prosperity e o The Ron Paul Channel.

1 COMENTÁRIO