É hora de dizer a Biden ‘NÃO!’ à Guerra Nuclear!

0

Na semana passada, o New York Times publicou um artigo chocante alegando que a comunidade de inteligência dos EUA acredita que o governo ucraniano é responsável pelo ataque de agosto que matou Darya Dugina, filha de um proeminente filósofo russo.

Certamente a narrativa estabelecida de que a Ucrânia é um modelo de democracia ocidental que defende nossos valores compartilhados contra um invasor russo agressivo é prejudicada com a notícia de que Kiev realizou um ataque ao estilo da Al-Qaeda contra um civil inocente dentro da Rússia. O assassinato de Dugina foi uma definição clássica de terrorismo, que é “o uso da violência ou a ameaça de violência, especialmente contra civis, na busca de objetivos políticos”.

Pouco mais de um mês depois, os gasodutos Nordstream foram explodidos, aparentemente encerrando pelo menos no curto prazo a possibilidade de a Alemanha encontrar uma maneira de salvar sua economia restabelecendo as relações com seu principal fornecedor de energia. Um importante político polonês agradeceu aos EUA por realizarem este serviço.

Então, no fim de semana, a ponte que liga a Rússia continental à Crimeia foi bombardeada, matando pelo menos seis civis e deixando parte da ponte debaixo d’água. O tráfego foi restabelecido horas após o ataque, mas o presidente russo, Vladimir Putin, colocou a culpa no serviço de inteligência da Ucrânia. Todos nós sabemos que a Ucrânia confia em seus mestres dos EUA, então podemos assumir que os EUA forneceram a inteligência que permitiu atingir a ponte.

Existe um padrão aqui. Cada vez mais ataques descarados estão sendo lançados contra a Rússia e Washington está fazendo pouco para esconder as impressões digitais dos EUA. Por quê?

O governo Biden parece estar nos aproximando de uma guerra nuclear na Ucrânia e o próprio Biden parece saber disso. Na semana passada, ele disse, Putin “não está brincando quando fala sobre o uso potencial de armas nucleares táticas ou armas biológicas ou químicas …” Pela “primeira vez desde a crise dos mísseis cubanos, temos uma ameaça direta do uso [de armas nucleares ] se de fato as coisas continuarem no caminho que estão seguindo.”

Portanto, a questão é se ele sabe que sua guerra por procuração contra a Rússia está nos aproximando do impensável – aniquilação nuclear – por que seu governo persiste em cruzar linha vermelha após linha vermelha? Aparentemente, os “especialistas” de Biden acreditam que Putin está blefando e não fará nada sobre o assassinato de Dugina, a sabotagem do gasoduto Nordstream e o ataque à Ponte Kerch.

Mas e se eles estiverem errados?

Normalmente, a ação de política externa deve ser ponderada com base no custo/benefício. A adoção de uma política específica beneficiará os Estados Unidos mais do que os riscos envolvidos? Nesse caso, não há absolutamente nada de positivo. A segurança e a prosperidade dos Estados Unidos se beneficiarão mais com a mudança de regime na Rússia do que sofreriam se uma guerra nuclear eclodisse?

Não parece tão difícil saber. Não.

Então o que está acontecendo aqui? Por que o governo dos EUA – com o apoio da maioria dos republicanos no Congresso – continua a enviar dezenas de bilhões de dólares em ajuda militar e nos leva a uma guerra nuclear por causa de um conflito que nada tem a ver com os Estados Unidos?

A hora de acabar com a participação dos EUA nesta guerra é ontem. E se milhões de americanos nas ruas protestarem pacificamente enquanto exigem que seus representantes parem com essa loucura, então que façam isso logo. Amanhã poderá ser muito tarde.

 

 

 

 

Artigo original aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.