Estudo alemão correlaciona mortes em excesso e vacinação em massa

0
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Estudo exaustivo de dados de mortalidade na Alemanha descobre que o excesso de mortes está fortemente correlacionado com a vacinação em massa

Excesso de mortalidade na Alemanha 2020–2022 é um pré-impressão de Christof Kuhbandner (psicólogo de Regensburg) e Matthias Reitzner (estatístico de Osnabrück) que aplica análises atuariais sofisticadas aos dados de mortalidade por todas as causas disponíveis publicamente fornecidos pelo governo alemão. Acontece que, quando você considera as tendências históricas de mortalidade, o vírus não parece mais tão perigoso e as vacinas não parecem mais tão boas.

Do resumo:

Em 2020, o número de óbitos observado ficou próximo do número esperado em relação ao desvio padrão empírico. Por outro lado, em 2021, o número observado de óbitos foi dois desvios padrão empíricos acima do número esperado. O elevado excesso de mortalidade em 2021 deveu-se quase na sua totalidade a um aumento dos óbitos nas faixas etárias entre os 15 e os 79 anos e passou a acumular-se apenas a partir de abril de 2021. Um padrão de mortalidade semelhante foi observado para natimortos com um aumento de cerca de 11% no segundo trimestre do ano de 2021.

Algo deve ter acontecido em abril de 2021 que levou a um aumento repentino e sustentado da mortalidade nas faixas etárias abaixo de 80 anos, embora nenhum efeito sobre a mortalidade tenha sido observado durante a pandemia de COVID-19 até o momento.

O que aconteceu em abril de 2021 foi o início da vacinação em massa em toda a Alemanha.

Aqui está uma visão geral do déficit ou excesso de mortalidade por faixa etária:

Como já disse muitas vezes, o primeiro ano da pandemia alemã foi um grande nada. Não houve tendência de aumento da mortalidade, exceto entre os grupos mais velhos, brevemente, em dezembro. Em 2021, no entanto, o Ano da Vacinação Máxima, os autores estimam quase 32.000 mortes em excesso. A mortalidade aumentou em geral, especialmente entre os jovens, com aqueles na faixa dos 40 anos vendo 9% mais mortes do que o esperado por seu modelo.

Aqui estão os mesmos números visualizados:

Apenas olhando para o gráfico de 2021, você pode dizer que há algo realmente errado aqui. Se é o vírus que está causando toda essa matança, por que é pior para pessoas de 15 a 79 anos? Como ele está deixando os alemães mais velhos quase inteiramente ilesos?

Os autores também fornecem um detalhamento mês a mês para a faixa etária de 15 a 59 anos:

Eles observam que “o significativo excesso de mortalidade em dezembro de 2020 continua levemente em janeiro de 2021 e, em seguida, é compensado principalmente até março de 2021. Ou seja, no final de março, o excesso de mortalidade acumulado estava próximo de zero”. Estas são o que a indústria funerária chamaria de mortes “antecipadas”. Na Alemanha, o vírus mata principalmente pessoas que estão prestes a morrer de qualquer maneira, de modo que os picos de mortalidade são seguidos por déficits de mortalidade contrabalançados.

Os autores continuam:

Em abril e maio de 2021, observa-se um aumento significativo do excesso de mortalidade, seguido de uma diminuição até agosto. No entanto… o aumento do excesso de mortalidade em abril e maio não é compensado. Em setembro há novamente um significativo excesso de mortalidade, que aumenta em novembro e mais que dobrou em dezembro de 2021.

O aumento de abril obviamente coincide com o lançamento da vacina, enquanto o aumento do outono se alinha bastante bem com a campanha de reforço. Vale ressaltar que a dose 2 não parece tão perigosa quanto a dose 1 ou 3; e que o sinal de mortalidade está fortemente correlacionado com a data da vacinação. Assim que você para de vacinar, o excesso de mortes diminui.

Quanto às pessoas com 60 anos ou mais, há duas tendências distintas: o aumento da mortalidade coincidindo, novamente, com a administração em massa das doses 1 e 3 na faixa de 60-79 anos, e nada de especial na faixa de 80+:

As vacinas obviamente causam a maior parte de seus danos induzindo reações imunológicas adversas e, portanto, são relativamente seguras em idosos, que têm sistemas imunológicos mais fracos. Isso torna os alemães mais velhos um controle útil, pois são os mais sensíveis à mortalidade associada ao vírus e os menos sensíveis à mortalidade associada à vacina. Assim, para quem objeta que é realmente o pico de casos de abril que está fazendo com que as vacinas pareçam ruins aqui, ou que é a Delta causando esses problemas no outono, a resposta é simples: os velhos não estão morrendo em abril ou setembro de 2021, apenas os jovens. O que mata principalmente os jovens e poupa principalmente os velhos? A resposta não é SARS-2.

Como observam os autores:

O fato talvez mais surpreendente é que [2021] produz em todas as faixas etárias um aumento significativo da mortalidade, o que contrasta fortemente com a expectativa de que a vacinação deve diminuir o número de mortes por COVID-19. A única exceção é a última faixa etária [80+] … No entanto, ao interpretar este achado, há que levar em conta que houve um enorme déficit de mortalidade em 2019 e até outubro de 2020 que foi compensado em novembro [e] dezembro de 2020 e janeiro de 2021.

Torna-se muito difícil duvidar que o excesso de mortalidade de 2021 esteja relacionado à vacina, quando você compara a cronologia relativa de mortes e vacinação em massa:

Há também correlações de mortalidade mais específicas por faixa etária. Assim, os autores observam que o que “mais indica” que as vacinas estão implicadas nessas mortes “é o fato de que a faixa etária de 0 a 29 anos tem um pico no excesso de mortalidade em junho de 2021 em vez de abril de 2021”, precisamente quando essas coortes mais jovens estavam fazendo fila para tomar a primeira dose.

Uma descoberta intrigante final diz respeito à relação entre os números oficiais de mortes por Corona e o excesso de mortalidade. Ninguém ficará surpreso ao saber que o número de mortos por SARS-2 é flagrantemente inflado, mas vale a pena dar uma olhada nos padrões de coorte de idade:

Os números oficiais são mais precisos para aqueles em seus 60 e 70 anos. Para aqueles com mais de 80 anos, eles são quase totalmente sem sentido. Este grupo viu menos de 20.000 mortes em excesso em dois anos e meio de Corona, enquanto sua contagem oficial de mortes se aproxima de 100.000.

Não é de admirar que nada – nem lockdowns, vacinas, máscaras, nem todos os testes do mundo – possa reduzir a mortalidade por todas as causas na Alemanha. A maioria das pessoas que o vírus mata está prestes a morrer de qualquer maneira, e se você poupá-las de uma morte por SARS-2, elas morrerão de outra coisa no próximo mês.

 

 

Artigo original aqui