Genericídio

3
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

“As novas Diretrizes para a Psicologia de Meninos e Homens da APA esforça-se para reconhecer e enfrentar estes problemas em meninos e homens enquanto continua atenta ao passado androcêntrico deste campo. Elaborado durante 13 anos, conta com 40 anos de pesquisa mostrando que a masculinidade tradicional é psicologicamente prejudicial e que socializar meninos para reprimir suas emoções causa danos que repercutem tanto interna quanto externamente”

American Psychological Association Janeiro 2019, Vol 50, No. 1

A guerra mais demoníaca da história do mundo está sendo travada atualmente. Não é nada menos do que uma onipresente guerra terrorista, porém esse terrorismo não está sendo encabeçado pelos antigos arqui-inimigos islâmicos da Cristandade, mas pelas próprias nações ocidentais que foram o local de nascimento e de defesa da própria Santíssima Fé. Esta era pós-cristã de terror é sobretudo um terrorismo contra a família e, como tal, um terrorismo contra o gênero e o matrimônio. Esta guerra é de armas terroristas realmente de destruição em massa, pois são armas da grande mídia e de um politicamente correto pervasivo e perverso imposto por políticas sociais, judiciais e econômicas totalitárias.

Destrua o significado de gênero e você destrói o significado do casamento, pois gênero é o que torna o matrimônio possível. Destrua o significado de casamento e você destrói a sacrossanta integridade da família, pois é o casamento que dá vida e une a família. Destrua a sacrossanta integridade da família e você destrói uma ordem sociopolítica justa, correta e sólida, pois a ordem sociopolítica é formada à partir da família e devidamente direcionada a promoção da família. Assim o pré-requisito do casamento e família – suas premissas básicas – é o gênero dado por Deus. Não é de se espantar que nestes tempos de “confusão de gênero” a condição do casamento, da família, sociedade e da comunidade eclesial está em um estado avançado de decadência.

A maneira mais eficaz de destruir a família é destruindo a distinção de gênero, isto é, promulgar o genericídio. Não apenas a rejeição de gênero dá um golpe fatal no casamento e na família, que são a célula básica da sociedade e da Igreja, como também implica na rejeição da mais elementar e essencial demarcação da pessoa humana como um ser encarnado criado a imagem de Deus. Rejeitar as realidades de gênero é o resultado final da rejeição da natureza contingente e dependente do homem, portanto é o resultado da rejeição e da revolta contra Deus e Sua lei natural.

A agenda generecida que está sendo promovida hoje no Ocidente pós e agora anti cristão não é por acaso. Sim, a perversa cultura popular permite o estado total, que por sua vez controla as corporações subservientes, a grande mídia anestésica mental, e as instituições de educação (leia-se doutrinação) politicamente corretas; tudo isso combinado em um golpe fatal orquestrado contra a família. Mas pode ter certeza, o condutor desta campanha infernal não é ninguém menos que o próprio Maligno. Acredite nesta conspiração, pois ela não é uma teoria. Utilizando-se tecnologia científica, controle de opinião da grande mídia e coerção governamental, a campanha diabolicamente orquestrada contra o gênero, contra a feminilidade e a maternidade, contra hombridade e a paternidade, contra a sacrossanta família está se acelerando furiosamente. E não tenha dúvida, é o magistério moral perverso do estado – o sistema de saúde mental de psicologistas, psiquiatras, orientadores etc. – que continua a encabeçar este ataque ideológico contra o gênero e a família.

 

Tradução de Fernando Chiocca

Artigo original aqui.

3 COMENTÁRIOS

  1. Em universidades em que o curso de psicologia faz parte das ciências biológicas, o nível do ensino é muito mais sério do que naquelas em que faz ele parte da área das ciências humanas. Não é nenhuma novidade dizer que cursos de humanas são uma porta aberta para insanidade e para o besteirol, com raríssimas exceções.

    Aviso: O endereço do blog na linha de cima está errado.