Herói interrompe Papa para afirmar que máscaras “não pertencem a Igreja de Deus”

3
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Um manifestante interrompeu o Papa Francisco durante seu discurso semanal no Vaticano, gritando “as máscaras não pertencem a Igreja de Deus!”

O incidente aconteceu durante a Audiência Geral do Papa na manhã de ontem.

“A Igreja não é como Deus quer”, afirmou o homem, antes de acrescentar: “as máscaras não são da Igreja de Deus!” enquanto ele removia sua máscara e a segurava no alto.

De fato, como o Revmo. Sr. Pe. Samuel Bon, do Priorado de São Pio X de Lisboa explicou em sua homilia em 2020, as máscaras são um símbolo de rituais ocultistas e não devem ser usadas por fieis católicos na Santa Missa:

Imagens de vídeo do indivíduo o mostraram calmamente expondo seu argumento sem recorrer a qualquer tipo de comportamento maluco.

O homem continuou falando em italiano enquanto era escoltado pela polícia e por um guarda suíço.

Ele também teria dito: “O Papa não é um rei”.

O Papa Francisco respondeu posteriormente à perturbação, afirmando: “Gostaria de terminar rezando por ele, nosso irmão que está sofrendo, coitado”.

“Pobre homem, ele está gritando porque está sofrendo. Não sejamos surdos às necessidades deste irmão”, acrescentou.

Esse é um tom um pouco diferente de como o papa caracterizou anteriormente seus críticos, que os acusou de estarem fazendo “o trabalho do diabo”.

O Papa Francisco apoiou veementemente as restrições COVID, incluindo obrigatoriedade de vacinas, apesar de seus próprios guardas suíços terem sido suspensos após se recusarem a tomar vacina.

Como destacado no vídeo abaixo, o Papa também está apoiando os ‘verificadores de fatos’ e a Big Tech na censura de informações relacionadas aos efeitos colaterais da vacina:

3 COMENTÁRIOS

  1. É curioso que todas as ditaduras e indivíduos com pensamento totalitário tem o mesmo padrão: chamar seus críticos de malucos. E no geral, este comportamento é bem comum na vasta maioria dos indivíduos, não se restringindo evidentemente aos assuntos políticos. Os indivíduos quando desafiados em suas crenças não precisam necessariamente agir de maneira violenta fisicamente ou através de palavras pesadas para demonstrarem toda a sua dissonância cognitiva, basta dizer “nosso irmão que está sofrendo, coitado”. Coitado? alguém com todos os membros do corpo inteiros e um cérebro não é um coitado.

    Eu jamais trato alguém de maluco por causa de suas idéias, nunca. O famoso psicólogo Jordan Peterson é atacado o tempo todo. Eu nunca vi ele colocar sanidade do seu oponente em dúvida. Mas não posso negar que é um ataque eficiente e desestabiliza muita gente.

    De toda a forma, a maior parte dos debates que eu vejo por aí dificilmente vão além da fase 3 da pirâmide da argumentação do Graham. E isso mesmo entre pessoas de alto nível, quando colocadas em lados opostos. Isso funciona como atração, mas é pouco provável que se tires algo de substancial ao ponto de mudar o ponto de vista dos debatedores. Até porque não deve ser essa a intenção.

    • Curiosamente esse é um tema que eu já havia refletido bastante! Eu percebi que invariavelmete quem mente e quem tenta enganar e trapaciar as pessoas recorrentemente adota uma estratégia:
      – Primeiro o discurso cheio de mentiras rebuscadas
      – Quando isso falha e algum dos seus ouvintes percebe! A argumentação parte para o ataque pessoal como forma de descredibilizar o ouvinte que questionou os pontos corretos!

      Podemos parar a analise por aqui! Mas vamos levar a sério a ideia e vamos pensar que qualquer postura psicológica raramente é original e existe reflexões na literatura!

      O primeiro ponto que temos que perceber é que existe duas e apenas duas ideologias, existe duas e apenas duas posturas em relação a propriedade e o corpo dos outros:
      O capitalismo e o socialismo!

      Quando você acredita nos direitos de propriedade, na liberdade individual, na lógica a priori como única forma de obter a verdade: Você é um capitalista!

      Quando você quer atacar essas ideias você é um socialista!

      Como referência aqui temos o excelente livro de hoppe: Uma teoria do socialismo e capitalismo!

      https://rothbardbrasil.com/uma-teoria-do-socialismo-e-do-capitalismo/

      Bom o que os marxistas ensinam sobre a argumentação, a lógica e a busca pela verdade?

      O primeiro ponto: Marxistas acreditam que a verdade só pode ser obtida por métodos empírcos, ou você testa algo na prática ou não pode afirmar nada sobre ele!

      O socialismo nunca foi testado! Então você não pode argumentar sobre ele sem testar!

      O segundo ponto: Marxistas acreditam que a lógica não é universal e sim vem do contexto da classe social que você está inserido!

      Empresários tem uma lógica diferente e raciocínio diferente de trabalhadores! E o que é verdade lógica para um grupo pode não ser para o outro!

      Aqui temos como referência o maravilhoso livro de mises sobre o tema: Socialismo – Uma análise econômica e sociológica

      https://rothbardbrasil.com/socialismo-uma-analise-economica-e-sociologica/

      O marxismo pode ser visto como o arcaboço intelectual de quem quer trapacear, enganar, corromper e expropiar as pessoas! Se você quer obter sucesso nessas atividades, necessariamente você precisa dominar o marxismo: Seja por leitura, por conversas com pessoas que dominam o tema ou por intuição!

      E as pessoas que dominam o marxismo sabem que ao você ir contrário aos valores socialistas, sua lógica não pertece as classes trabalhadoras e sim é uma lógica burguesa e o ataque pessoal decorre naturalmente desse arcaboço intelectual!

      Se você acredita que a lógica não é universal (que depende do contexto social do interlocutor), e que a argumentação e o raciocínio lógico não chega na verdade (apenas a experiência prática)! Rapidamente seus debates vão começar a ser marcados por ataques pessoais aos seus opositores!

      O ataque pessoal é característico e deriva da lógica “cientifica” do marxismo

      • Excelente! Um bom argumentador tem que ler esse livro do Mises, sem dúvida nenhuma.
        Um dos ataques que os marxistas e estatistas em geral fazem a escola austríaca e acham que são gênios, é justamente alegar que a escola austríaca não é empírica. Mas na verdade, essa é a sua força. Por ser dedutiva, não precisaríamos matar milhões de indivíduos empiricamente para saber as consequências lógicas do comunismo. Na melhor das hipóteses, poderíamos aceitar um socialismo democrático como temos hoje em dia, não a revolução. Mas isso é claro, não se aplica aos libertários, que são anti-democratas e defendem a abolição do estado.