Líder da UE quer eliminar o Código de Nuremberg para forçar vacina

0
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Seguindo os passos da Áustria e da Alemanha, que prenderam os não-vacinados em casa, líder da UE pede que o Código de Nuremberg seja eliminado em favor da vacinação forçada de todos os dissidentes.

Na quarta-feira, Ursula Van Der Leyen – chefe da Comissão da União Europeia (UE) – disse à imprensa que gostaria de ver o antigo Código de Nuremberg ser completamente ignorado em favor de permitir que os países obriguem a vacinação a qualquer pessoa que se recuse a tomar a picada experimental.

Seus comentários alarmantes vêm poucos dias depois que a Alemanha seguiu o exemplo da Áustria, exigindo um lockdown autoritário apenas para os não-vacinados.

Além de apoiar totalmente o lockdown segregacionista, von der Leyen disse que era “compreensível e apropriado” que os países da UE discutissem as vacinações COVID obrigatórias por causa da nova variante Omicron, que já foi detectada em 12 países da UE.

Da BBC:

    “Os países da União Europeia devem considerar a vacinação obrigatória para combater a Covid e a variante Omicron, disse a chefe da Comissão.

Ursula von der Leyen disse que as vacinas seriam cruciais na luta contra a nova variante “altamente contagiosa”.

Como podemos encorajar e potencialmente pensar sobre a vacinação obrigatória na União Europeia? Isso precisa ser discutido. Isso precisa de uma abordagem comum, mas é uma discussão que eu acho que deve ser conduzida.“

Forçar indivíduos a tomar esta vacina experimental e potencialmente perigosa contra sua vontade seria uma violação direta do Código de Nuremberg que foi estabelecido em 1947 na sequência imediata dos horríveis experimentos médicos e atrocidades de direitos humanos cometidas pelos nazistas durante o Holocausto.

As leis afirmam expressamente que “o consentimento voluntário do sujeito humano é ABSOLUTAMENTE ESSENCIAL”, o que significa que o indivíduo é capaz de “exercer o poder de escolha livre, SEM a intervenção de qualquer elemento de força, fraude, engano, coação, exagero ou outras formas ulteriores de constrangimento ou coerção” – como tirar o seu direito ao trabalho se não estiver vacinado.

Uma das principais causas para a criação do código foi a realização nazista doentia de experimentos médicos em pacientes sem seu consentimento. Esses procedimentos, normalmente realizados sob o comando de funcionários de alto escalão, como o Dr. Josef Mengele, foram alguns dos piores e mais perturbados já documentados. Desde então, o consentimento total e proativo contínuo para qualquer procedimento médico foi exigido por lei nas nações ocidentais que reconhecem o código de Nuremberg.

A única maneira de os países da UE conseguirem escapar impunes de vacinações forçadas contra esse vírus brando, que é uma violação extraordinariamente antiética e atroz dos direitos humanos, seria abolir as leis de Nuremberg ou simplesmente ignorá-las completamente.

Como o estimado professor, Dr. Jordan Peterson sarcasticamente observa: “Ei, é apenas o código de Nuremberg. Apenas o que aprendemos com as atrocidades nazistas, principalmente aquelas atrocidades médicas.”

Então, pouco depois que a Áustria se tornou o primeiro país a tornar as vacinas COVID obrigatórias, a chefe da UE, Ursula von Der Leyen, pede a dispensa do Código de Nuremberg para tornar a vacinação obrigatória em toda a Europa. Aqui, por acaso, está Ursula no mês passado com o CEO da Pfizer, Albert Bourla:

Artigo original aqui