Mais dados sobre a total inutilidade das máscaras

0

As infecções e mortes por COVID na Nova Zelândia subiram acima das da vizinha Austrália, apesar de a Nova Zelândia manter decretos rígidos de máscara e a Austrália abandoná-las quase inteiramente.

Outro país onde a máscara é ainda mais onipresente, Cingapura, também tem números de casos mais altos do que a Austrália.

Uau, até parece que as máscaras não funcionam. Imagina, claro que funcionam…

Os dados são explicados em um artigo do Daily Mail intitulado “Os dados surpreendentes que podem provar que as máscaras não funcionam”.

As máscaras são obrigatórias em todos os lugares em Cingapura e os neozelandeses  são forçados a usá-las em todos os espaços públicos fechados.

Em comparação, a Austrália praticamente abandonou os decretos de máscaras, ainda sendo obrigatórias apenas no transporte público e em casas de repouso e centros de saúde.

No entanto, Cingapura e Nova Zelândia agora têm números de casos mais altos do que a Austrália.

As taxas de mortalidade per capita por COVID na Nova Zelândia também ultrapassaram a Austrália em março, apesar de seus rigorosos decretos de máscara, e permaneceram mais altas desde então.

“Em Cingapura, as taxas de mortalidade caíram abaixo da Austrália em abril, depois de aumentarem entre outubro e o Natal, mas agora estão aumentando descontroladamente e devem ultrapassar a Austrália mais uma vez”, relata o Daily Mail.

“Claro, este é apenas o exemplo mais recente que mostra que as máscaras fazem pouco ou nada para impedir a propagação de vírus no ar e podem piorar as coisas”, escreve Will Jones.

A própria investigação do governo do Reino Unido descobriu que as evidências da eficácia das máscaras que impedem a propagação do COVID-19 nas escolas “não são conclusivas”.

Anteriormente, relatamos os comentários do conselheiro SAGE do governo do Reino Unido, Dr. Colin Axon, que descartou as máscaras por praticamente não fazerem nada, observando que a partícula do vírus COVID-19 é até 5.000 vezes menor que os buracos na máscara.

“Os tamanhos pequenos não são fáceis de entender, mas uma analogia imperfeita seria imaginar bolinhas de gude atiradas nos andaimes dos construtores, algumas podem atingir um poste e ricochetear, mas obviamente a maioria passará”, disse Axon.

Um estudo na Dinamarca envolvendo 6.000 participantes também descobriu que “não houve diferença estatisticamente significativa entre aqueles que usavam máscaras e aqueles que não usavam quando se tratava de serem infectados pelo Covid-19”, informou.

Apesar dos dados esmagadores de que as máscaras são inúteis ou podem até agravar o problema, alguns países já estão se preparando para reintroduzi-las.

Como destacamos na segunda-feira, a Alemanha deve reimpor seu decreto de máscara em setembro, apesar da onda de COVID do verão já “perder força”, indicando que essas regras estão se tornando permanentes.

 

 

 

Artigo original aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.