Mantendo a perspectiva da Covid

0
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Aqui está uma resposta um tanto quanto modificada que postei outro dia no Facebook para uma amiga querida que recentemente perdeu o pai para a Covid-19:

Cara F.W .:

Lamento sinceramente, profundamente, por você e por sua família a perda de seu pai em virtude da Covid-19 e por seu sofrimento devido a esta terrível doença. Para que fique registrado, no entanto, o que chamo de Síndrome de Perturbação Covid não é o medo justificado e as respostas prudentes a uma doença inegavelmente real, dolorosa e anormalmente letal para os idosos.

Em vez disso, o que acredito ser perturbador é o fracasso em colocar a Covid-19 na perspectiva correta. Esse fracasso, infelizmente, é crônico e calamitoso. O que tenho certeza que seja perturbador é a prática atual de tratar todos como tão vulneráveis ​​à Covid quanto os idosos. E não tenho menos certeza de que a histeria em massa resultante é igualmente perturbadora.

No entanto, ainda mais perturbadora é a confiança que tantos hoje depositam em funcionários do Poder Executivo, em todos os níveis de governo, para exercer poderes ditatoriais sem limites para responder a essa histeria em massa de Covid. A aceitação desta ditadura é perturbadora – sinto muito, não conheço um termo mais descritivo. E é perturbador se comportar como se os riscos que a Covid representam para alunos do jardim de infância, universitários e jovens saudáveis ​​sejam indistinguíveis dos riscos que a Covid representava para seu pai idoso, ou mesmo para mim, um homem de 62 anos.

Vou mais longe: essa perturbação atual é um péssimo desserviço para pessoas como seu pai. Tratar a Covid como uma distribuidora indiscriminada da morte é diminuir – mascarar – a singularidade e a importância do sofrimento suportado pelas pessoas na demografia de seu pai, combinando seu sofrimento muito real e intenso com o excesso emocional injustificado das pessoas que não correm nenhum risco real com a Covid.

Você está justamente perturbado porque a Covid encurtou a vida de seu pai. Assim como, você também deve ficar perturbado com o fato de que pessoas saudáveis ​​– pessoas jovens e vigorosas, pessoas que não correm nenhum risco real de padecerem com a Covid – estão sendo mal informadas pela mídia e pelos políticos de que têm a mesma probabilidade de serem atingidas gravemente pela Covid que seu pai. Você deve estar perturbado que essas (não) vítimas da Covid sejam levadas por mentiras institucionais a acreditarem que são “vítimas” comparáveis ​​a seu pai.

Se eu fosse você, essas mentiras me enfureceriam.

Atenciosamente,

Don

 

Artigo original aqui.

Artigo anteriorSerá que Biden vai ouvir a ciência?
Próximo artigoA ascensão do politicamente correto
é membro sênior do American Institute for Economic Research e do F.A. Hayek Program for Advanced Study in Philosophy, Politics and Economics no Mercatus Center da George Mason University; é Membro do Conselho do Mercatus Center; e um professor de economia e ex-chefe do departamento de economia da George Mason University. Ele é o autor dos livros The Essential Hayek, Globalization, Hypocrites and Half-Wits, e seus artigos aparecem em publicações como o Wall Street Journal, New York Times, US News & World Report, bem como numerosos jornais acadêmicos. Ele escreve um blog chamado Café Hayek e uma coluna regular sobre economia para o Pittsburgh Tribune-Review. Boudreaux é PhD em economia pela Auburn University e bacharel em direito pela University of Virginia.