“Mulher é mulher, homem é homem”: Putin Vs “obscurantismo de gênero” do Ocidente

0

Durante sua maratona anual de perguntas e respostas em entrevista coletiva de fim de ano, que este ano durou cerca de quatro horas, o presidente russo, Vladimir Putin, mais uma vez prometeu defender a sociedade russa contra a intrusão dos valores corrompidos do Ocidente, em particular detonando o “obscurantismo de gênero” promovido pelos Estados Unidos e Europa.

“Eu sou um defensor da abordagem tradicional de que uma mulher é uma mulher e um homem é um homem”, afirmou Putin, o que nem é preciso dizer que também reflete a Biologia básica e a autocompreensão dos humanos por milhares e milhares de anos. Ele continuou nos comentários sobre gênero: “Uma mãe é uma mãe, um pai é um pai. E espero que nossa sociedade tenha a proteção moral interna ditada pelas denominações religiosas tradicionais da Federação Russa.”

Ao longo dos comentários, ele chamou de “bom senso” básico – o que sugere fortemente que o oposto é atualmente a regra na América e no Ocidente em geral, onde as pessoas temem ser “canceladas” em seus empregos e publicamente se não confirmarem os conceitos de ‘fluidez de gênero’ e cirurgias de reatribuição estilo Frankenstein, que estão cada vez mais sendo pressionadas em crianças.

Putin estava respondendo a uma pergunta de um jornalista sobre as recentes controvérsias de gênero no Ocidente e também sobre a forma como isso impactou os esportes femininos.

    “E aprendemos a nos tratar com respeito. E o que isto quer dizer? Isso também significa tratar os fundamentos de nossa cultura espiritual tradicional com respeito. Todos os povos da Federação Russa, gostaria de enfatizar, todos eles têm uma certa proteção moral interna contra esse obscurantismo que você acabou de mencionar”, disse o líder russo.

“Se alguém pensa que uma mulher e um homem são a mesma coisa, eles são bem-vindos [a opinião deles], mas um certo bom senso deve existir.”

Sustentando os valores tradicionais de seu país como o “antídoto” para a “nova ética”, ele também parecia aludir aos “valores espirituais” da Igreja Ortodoxa Russa, que há muito tempo é dominante na sociedade russa.

Foi quando ele comparou as tentativas do Ocidente de incitar essas coisas na Europa Oriental a uma infecção viral … “assim como a pandemia de coronavírus”, disse ele

    “Assim como com a pandemia de coronavírus, não se pode escapar deles [valores não tradicionais vindos do exterior]. Precisamos procurar um antídoto.”

Referindo-se indiretamente aos Jogos Olímpicos do verão passado em Tóquio, que viram a halterofilista transgênero da Nova Zelândia Laurel Hubbard – que é um homem biológico – competir como mulher, Putin descreveu situações em que agora é tão simples quanto alguém “declarar que é mulher e começa a competir em levantamento de peso“.

“E é preciso lutar contra isso não com ordens diretas e gritos e denúncias, mas com o apoio dos nossos valores tradicionais”, afirmou ainda. Além disso, de acordo com uma descrição de seus comentários no TASS, ele “citou o exemplo de um incidente nos Estados Unidos quando um criminoso que cumpria pena por estupro declarou que era mulher e, após ser transferido para uma prisão feminina, cometeu o mesmo crime em sua cela.”

Os comentários também vêm em um momento em que várias controvérsias esportivas surgiram nos Estados Unidos em relação a competidores trans, particularmente a saga em andamento de um nadador “homem-para-mulher” da Universidade da Pensilvânia que está quebrando todos os recordes …

Em comentários no início deste ano, Putin chamou a imposição de ensino transgênero às crianças um “crime contra a humanidade” …

Todos os anos durante o que os Estados Unidos designaram como “mês do orgulho” em junho, as embaixadas americanas ao redor do mundo hastearam a bandeira do arco-íris na maioria das embaixadas em todo o mundo, incluindo em Moscou e em todo o Leste Europeu, onde países como a Polônia tendem a ser mais conservadores que Europa Ocidental.

Claro, há uma exceção notável: as embaixadas dos EUA em nações muçulmanas conservadoras como a Arábia Saudita e o Iraque não hastearam a bandeira do arco-íris este ano. Os sauditas, deve-se lembrar, são o aliado e parceiro árabe mais próximo dos EUA.

Como os comentários de Putin sugeriram, todo o movimento trans e LGBTQ ++ parece estar vinculado à política externa dos EUA. Nos meses anteriores, funcionários do Kremlin acusaram ONGs americanas de tentar intencionalmente influenciar a sociedade russa com essa “nova ética” – resultando em um limite repressivo quanto grau em que podem operar livremente. Isso porque a Rússia tem leis que tornam ilegal a propaganda para crianças sobre essas questões sem o consentimento dos pais.

 

 

Artigo original aqui

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.