Nove fatos sobre Covid: uma pandemia de medo incitado e ignorância

3
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Desde que a suposta pandemia estourou em março passado, a grande mídia tem espalhado um fluxo ininterrupto de desinformação que parece ter como foco gerar o máximo de medo entre os cidadãos. Mas os fatos e a ciência simplesmente não dão suporte ao grave quadro pintado de um vírus mortal varrendo a face da Terra.

Sim, temos uma pandemia, mas é uma pandemia de pseudociência criada disfarçada como um fato imparcial. Aqui estão nove fatos apoiados por dados, em muitos casos do próprio CDC que pinta um quadro muito diferente do medo e pavor sendo implacavelmente martelado no cérebro de cidadãos desavisados.

1) O teste de PCR é praticamente inútil

De acordo com um artigo no New York Times de 29 de agosto de 2020, o teste para o vírus Covid-19 usando o método popular de PCR resulta em até 90% dos testados apresentando resultados positivos que são totalmente enganosos.

Funcionários públicos em Massachusetts, Nova York e Nevada compilaram dados de teste que revelaram que o teste PCR NÃO pode determinar a quantidade de vírus em uma amostra. (carga viral) A quantidade de vírus em até 90% dos resultados positivos revelou-se tão minúscula que o paciente ficava assintomático e não representava ameaça para outras pessoas. Portanto, os testes positivos de Covid-19 são virtualmente insignificantes.

2) Um teste positivo NÃO é um CASO

Por alguma razão, todo teste Covid-19 positivo é imediatamente considerado um CASO. Como vimos no item 1 acima, até 90% dos testes de Covid-19 positivos resultam em quantidades minúsculas de vírus que não adoecem o indivíduo. Historicamente, apenas os pacientes que demonstraram sintomas reais de uma doença foram considerados um caso. Publicar resultados de teste positivos como “CASOS” é totalmente enganoso e desnecessariamente alarmante.

3) Os Centros de Controle de Doenças reduziram drasticamente a contagem de mortes Covid-19

Em 30 de agosto, o CDC divulgou novos dados que mostraram que apenas 6% das mortes anteriormente atribuídas à Covid-19 foram devidas exclusivamente ao vírus. A grande maioria, 94%, pode ter tido exposição ao Covid-19, mas também tinha doenças preexistentes como doenças cardíacas, obesidade, hipertensão, câncer e várias doenças respiratórias. Embora tenham morrido com Covid-19, NÃO morreram exclusivamente de Covid-19.

4) O CDC relata a taxa de sobrevivência da Covid-19 acima de 99%

O CDC atualizou sua “Melhor estimativa atual” para a sobrevivência da Covid-19 em 10 de setembro, mostrando que mais de 99% das pessoas expostas ao vírus sobreviveram. Outra maneira de dizer isso é que menos de 1% das exposições são potencialmente fatais. De acordo com o CDC, a grande maioria das mortes atribuídas à Covid-19 estava concentrada na população com mais de 70 anos, perto da expectativa de vida normal.

5) O CDC revela que 85% dos casos positivos de Covid usavam máscaras sempre ou frequentemente

Em setembro de 2020, o CDC divulgou os resultados de um estudo conduzido em julho, onde descobriu que 85% dos sujeitos positivos do teste Covid relataram usar uma máscara de pano sempre ou frequentemente por duas semanas antes do teste positivo. A maioria, 71% dos testados relataram sempre usar uma máscara de pano e 14% relataram usar frequentemente uma máscara de pano. A única conclusão racional deste estudo é que as máscaras de tecido oferecem pouca ou nenhuma proteção contra a infecção por Covid-19.

6) Existem terapias comprovadas e baratas para Covid-19

O médico PhD Harvey Risch, dirige a Escola de Epidemiologia da Universidade de Yale. Ele escreveu “A chave para derrotar a Covid-19 já existe. Precisamos começar a usá-la”, publicado na revista Newsweek em 23 de julho de 2020. O Dr. Risch documenta a eficácia comprovada do tratamento de pacientes com diagnóstico de Covid-19 usando uma combinação de hidroxicloroquina, um antibiótico como a azitromicina e o suplemento nutricional zinco. Médicos em todo o mundo relataram resultados muito positivos usando este protocolo, especialmente para pacientes com Covid em estágio inicial.

7) A taxa de mortalidade NÃO está subindo

Se Covid-19 fosse o assassino letal, seria de se esperar um aumento significativo no número de mortes relatadas. Mas isso não aconteceu. De acordo com o CDC no início de maio de 2020, o número total de mortes nos Estados Unidos foi de 944.251 de 1º de janeiro a 30 de abril. Na verdade, isso é um pouco menor do que o número de mortes durante o mesmo período em 2017, quando 946.067 mortes totais foram relatadas.

8) A maioria das mortes por Covid-19 ocorre no final de uma vida normal

De acordo com o CDC, a partir de 2017, os homens dos EUA podem esperar uma expectativa de vida normal de 76,1 anos e as mulheres de 81,1 anos. Um pouco mais de 80% das mortes suspeitas de Covid-19 ocorreram em pessoas com mais de 65 anos. De acordo com um artigo do New York Post de 28 de junho, quase metade de todas as mortes suspeitas de Covid ocorreram em lares de idosos que predominantemente abrigam pessoas com problemas de saúde pré-existentes perto ou além de sua expectativa de vida normal.

9) Dados do CDC mostram risco mínimo de Covid para crianças e jovens adultos

O CDC relatou em sua atualização de 10 de setembro que a taxa de mortalidade por infecção estimada para crianças de 0 a 19 anos foi tão baixa que 99,97% das pessoas infectadas com o vírus sobreviveram. Para pessoas de 20-49 anos de idade, a taxa de sobrevivência foi quase tão boa em 99,98%. Mesmo aqueles com 70 anos ou mais tiveram uma taxa de sobrevivência de 94,6%. Para colocar isso em perspectiva, os dados do CDC sugerem que uma criança ou jovem de até 19 anos tem uma chance maior de morrer por algum tipo de acidente do que por Covid-19.

Com tudo isso, deve ser óbvio que o Covid-19 é bastante semelhante aos vírus típicos da gripe que aflige algumas pessoas anualmente. A grande maioria é capaz de combater com sucesso o vírus com o sistema imunológico natural do corpo. Precauções de bom senso devem ser tomadas, particularmente por aqueles com mais de 65 anos que sofrem de problemas médicos pré-existentes.

A reação torpe dos líderes de governos a esta doença está causando muito mais sofrimento físico, emocional e financeiro do que o vírus sozinho. O resultado final é que NÃO há pandemia, apenas uma temporada típica de gripe que foi totalmente exagerada pela propaganda da mídia 24 horas por dia, 7 dias por semana e possibilitada pelas massas paralisadas pelo medo irracional.

Os governos estaduais e locais, em particular, têm ignorado os direitos das pessoas e instituído ataques ultrajantes à liberdade e a autonomia que foi comprada e paga com o sangue e sacrifício de nossos antepassados.

Lentamente, as pessoas estão reconhecendo a grande fraude perpetrada contra elas por burocratas e políticos eleitos que juraram defender os direitos e as liberdades enunciados na Constituição. Chegou a hora de responsabilizar esses criminosos, utilizando o sistema legal para levá-los à justiça.

Ou agimos agora para preservar a liberdade e a autonomia para nossos filhos e gerações futuras ainda não nascidas, ou nos submetemos humildemente aos tiranos que anseiam por mais poder e controle. Eu não vou obedecer!

 

Artigo original aqui.

 

3 COMENTÁRIOS