Por que as crianças da época COVID podem se tornar libertárias

1
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

A crise do Coronavírus atingiu as crianças com tanta força quanto qualquer outro segmento da população. Todas as rotinas familiares foram subitamente arrancadas delas. Milhares ainda estão estudando online. Muitos decretos de máscaras estaduais incluem crianças pequenas.

Para as crianças com idade suficiente para se lembrar no futuro, o ano do Coronavírus, será um evento significativo em suas infâncias. Provavelmente contarão a seus próprios filhos e netos histórias sobre como foi viver esta época.

Mas como elas lembrarão desta crise quando chegarem à idade adulta? E como isso moldará sua visão de mundo?

Para os adultos, o debate sobre como lidar com a pandemia foi altamente politizado por algum tempo. No entanto, agora estamos entrando em uma fase de reabertura em que padrões diferentes sobre o que é permitido e o que não é, serão óbvios até para crianças.

Por exemplo, na semana passada, um grande amigo quis organizar um piquenique para meus três filhos pequenos. Ele preparou pequenos sanduíches e muitos lanches divertidos, mas, quando chegamos ao parque local, um guarda nos abordou para dizer que não podíamos trazer comida. Isso normalmente é permitido, mas está proibido durante o COVID-19 porque comer exige a remoção da máscara. Meus filhos começaram a chorar. Meu amigo e eu tentamos – em vão – convencê-los de que fazer um piquenique na sala de casa também é divertido.

A pior parte dessa situação, no entanto, é que sempre passamos por restaurantes em nossa vizinhança que estão abertos – tanto com mesas internas quanto externas. Qual é a diferença entre fazer um piquenique no parque e comprar um sorvete de casquinha e comê-lo no terraço do restaurante? Por que um é um perigo para a saúde e o outro não? Não consegui explicar essa discrepância para meus filhos. É simplesmente injusto. Por mais jovens que sejam, meus filhos intuem isso.

As crianças têm um senso de justiça profundamente enraizado. Peter Gray, um professor de psicologia, escreve na Psychology Today que as crianças compreendem desde cedo que a justiça é necessária para brincar umas com as outras.

Qualquer pessoa que já passou algum tempo observando as crianças brincando independentemente do controle do adulto sabe que elas se preocupam muito com a justiça. ‘Isso não é justo’ é uma das frases mais comuns que você vai ouvir. …

Há uma razão simples pela qual a brincadeira deve ser justa. A justiça não vem de alguma filosofia moral pomposa nem de altruísmo profundo. As crianças não são filósofos nem anjos. … A justiça vem da simples realidade de que brincar com os outros só é possível se for justo.

As crianças estão vendo que suas escolas ainda estão fechadas, mas que outros tipos de encontros são permitidos. Algumas atividades são permitidas, enquanto outras – apesar de serem essencialmente a mesma coisa – são proibidas. Dependendo da idade, essas observações os impactarão profundamente. As crianças percebem que isso é injusto. Nem todo mundo está jogando pelas mesmas regras.

Pesquisas futuras provavelmente nos dirão muito sobre quais restrições impostas pelo governo realmente combateram o vírus e quais eram inúteis. Teremos também uma compreensão muito melhor dos efeitos colaterais dessas medidas. Os adultos que eram crianças durante esta pandemia provavelmente acompanharão esses desenvolvimentos com grande interesse.

Os artigos sobre o impacto da pandemia nas crianças tendem a se concentrar na educação que perderam devido ao fechamento das escolas. Mas também é importante notar que as crianças estão testemunhando repetidas violações de seu senso inato de justiça. Isso pode muito bem deixá-los com uma sensação de desconfiança em relação às instituições e autoridades. Será que o COVID-19 vai criar uma geração de libertários?

 

Artigo original aqui.

1 COMENTÁRIO

  1. O pior é ver uma elite fraca e submissa colocando focinheira nos seus filhos, enquanto as crianças da periferia ficam livres para brincar entre si sem focinheira.

    O que esperar de jovens que tem pais tão fracos? A elite natural irá surgir do que hoje não são nem parte da elite, sem duvida nenhuma.