A apatia do homem comum e o reinado supremo da narrativa estatal

2

“De fato, pode-se dizer com certo grau de certeza que o homem médio nunca pensa de ponta a ponta em sua vida. Há momentos em que suas cogitações são relativamente mais respeitáveis ​​do que de costume, mas mesmo em seus clímax nunca atingem nada que seja adequadamente descritível como um nível de pensamento sério. A atividade mental de tais pessoas é apenas um discurso de clichês. O que eles confundem com pensamento é simplesmente uma repetição do que ouviram. Meu palpite é que bem mais de oitenta por cento da raça humana passa pela vida sem ter um único pensamento original. Ou seja, eles nunca pensam nada que não tenha sido pensado antes e por milhares.” – HL Mencken, Minority Report

Sim, ‘covid’ foi e é uma fraude. Toda a pandemia, conforme declarada, foi uma mentira, pois a verdadeira pandemia é a injeção de arma biológica falsamente chamada de ‘vacina’. Os lockdowns e a destruição econômica que foram propositadamente impostas a sociedade e apenas fortaleceram o estado até agora, foram conspirações planejadas e uma farsa total. A escassez em massa de bens e a inflação extrema foram intencionalmente planejadas e implementadas pelo estado. Os saques violentos, a destruição de propriedades e o terror que foram chamados de ‘protestos’, por aqueles criminosos chamados Vidas Negras Importam e Antifa, foram deliberadamente encenados e permitidos. O controle e a destruição da moeda estão sendo promovidas com sucesso, enquanto os planos para digitalizar o sistema monetário para obter controle tecnológico sobre os cidadãos estão em andamento. E sim, o assassinato de muitos milhões, e até bilhões, é um objetivo da classe dominante, e já está acontecendo diante de nossos olhos, pois o controle tecnocrático da sociedade já está à vista. Quando se trata de governantes e governos, não acredite em nada, não confie em nada e questione tudo.

Nada poderia ser mais óbvio para qualquer indivíduo de pensamento crítico do que a avaliação de Mencken do americano médio e, de fato, do homem médio em todo o mundo. Embora possa parecer, isso não se deve a uma falta geral de inteligência inerente entre as massas, embora as habilidades intelectuais normais tenham sido substancialmente enfraquecidas ao longo do tempo. Isso se deve ao emburrecimento proposital e à doutrinação nas mãos dos agentes estatais, de modo que a maioria hoje não tem o desejo, nem a capacidade de pensar criticamente. Este é um resultado direto da propriedade e controle de todo o sistema de ensino e, claro, o controle de todos os meios de comunicação de massa, que não apenas decide o que será apresentado ao público por todos os principais meios de comunicação, mas também censura qualquer tentativa daqueles que desejam relatar honestamente a história, política e notícias importantes em oposição à falsa narrativa do estado. Isso é uma farsa dissimulada.

As indicações dessa falta de compreensão, essa ignorância cega quanto a qualquer verdade ou sanidade, é no mínimo surpreendente, e é um dos, se não o aspecto mais importante de uma completa perda de razão, lógica e pensamento crítico entre as massas. Este fenômeno sempre foi evidente na sociedade humana, mas não nos níveis vistos hoje. Isso certamente foi um resultado planejado de uma política governamental de longa data, mas nesta era moderna, a falta de qualquer capacidade de discernir a verdade levou à possibilidade de escravidão universal ao estado. Sim, mais e mais pessoas estão questionando algumas das mentiras e farsas óbvias, mas até hoje, eles, como a maior parte da sociedade, não pararam o massacre. Perceber que as coisas não são o que parecem, mas não fazer nada de substancial para parar a carnificina, é semelhante a uma intensa e profunda apatia entre a população em geral.

Essa atitude de muitos é aceitável para os poderes dominantes, porque mesmo que o povo questione até certo ponto, mas ainda esteja com muito medo ou muito dependente para agir em seu próprio nome contra um governo tirânico e seus mestres, então todos os esforços dos poucos que escolhem discordar será engolido pela indiferença das massas. Além disso, aqueles que realmente revidam, aqueles que se recusam a obedecer às ordens, aqueles que clamam e expõem o estado maligno pelo que ele realmente é, serão alvos fáceis, pois são apenas alguns indivíduos que compõem uma vasta minoria.

São constantes os apelos para divulgar notícias positivas e afirmar que “estamos vencendo”, quando, na verdade, as agendas do Estado seguem a todo vapor, mesmo nesse chamado ambiente de ‘despertar’. Despertar significa mais do que aceitar que as coisas não são o que parecem e que as mentiras são evidentes; significa que, quanto mais despertar para a realidade de que a humanidade está sendo levada para o matadouro e a escravidão, os muitos devem resistir firme em massa para impedir que os poderosos capturem e controlem o mundo. É por isso que a consciência individual é fundamental, pois o pensamento de grupo, os remédios políticos e o coletivismo só podem alimentar as feras que são a elite dominante e seus cúmplices corruptos e perversos no governo.

A maior arma do Estado contra todos nós é a enorme máquina de propaganda da grande mídia, que tem a missão de domar as multidões de homens comuns através do medo, mentiras, enganos e divisões. Isso só seria possível devido ao emburrecimento da população, ao mesmo tempo em que tornasse a maior parte da sociedade dependente do Estado para sua própria sobrevivência. Isso foi alcançado ao longo do tempo a ponto de solidificar a avaliação de Mencken de que bem mais de 80% da população está passando pela vida sem ter um único pensamento original. Mantenha as pessoas burras e dependentes, e o controle se torna elementar. Parte desse processo é a destruição da história exata, a eliminação da conexão entre todos, o colapso dos valores morais e tradicionais e o afastamento de qualquer um que não siga a linha da narrativa do estado-nação; causando divisão em massa entre a maioria não pensante.

Em algum momento, para recuperar ou salvar a liberdade, torna-se obrigatório que o rebanho em massa se afaste da multidão e pense e aja como indivíduos; em outras palavras, assumindo plena responsabilidade pelo próprio bem-estar e de sua família. Isso nunca realmente aconteceu na sociedade em geral como um todo, exceto em situações menores e únicas, ou em momentos em que não havia outra opção. Nesta fase do jogo, é evidente que mesmo os mais obtusos entendem que esta é a única solução disponível para manter qualquer sentimento de liberdade. Algo dessa magnitude pode realmente acontecer? Na verdade, pode, porque embora a maioria seja seguidora, e precise dos fortes para motivá-los a se tornarem mais autossuficientes, independentes e despertos, e mesmo que essa atitude seja impulsionada por um número maior de indivíduos discordando a ponto de reverter a atual maré de controle totalitário, a possibilidade permanece.

A contradição aqui é óbvia, mas seguir os poucos esclarecidos devido à autopreservação em busca da liberdade pode levar a um senso mais forte de si mesmo em vez de uma confiança na multidão coletiva ignorante. Este é um caminho melhor. Normalmente, o desastre total deve ocorrer antes que as massas revidem, e então geralmente é tarde demais para mudar o curso. Isso leva a uma revolução violenta em vez da destruição pacífica do corpo governante simplesmente por números que se recusam a obedecer.

Quando a revolução violenta se torna a resposta do povo à tirania, o resultado é um governo mais opressivo e brutal, muitas vezes militarmente estruturado pela lei marcial. Isso deve ser evitado a todo custo, para que o Estado não possa reivindicar sua falsa autoridade por meios ainda mais bárbaros e severos.

Se a história servir de guia, enfrentaremos tempos muito difíceis no futuro próximo. Só podemos esperar uma revolta pacífica, na qual as pessoas agindo em massa como indivíduos se recusem a ser levadas a uma vida de servidão por esses fomentadores de morte e destruição que optaram por reivindicar a propriedade sobre a humanidade.

“A coisa mais sábia do mundo é gritar antes de se machucar. Não adianta gritar depois de ferido; especialmente depois que você está mortalmente ferido. As pessoas falam sobre a impaciência da população; mas os bons historiadores sabem que a maioria das tiranias foi possível porque os homens se mexeram tarde demais. Muitas vezes é essencial resistir a uma tirania antes que ela exista.” – GK Chesterton, Eugenia e outros males: um argumento contra o Estado cientificamente organizado

 

Artigo original aqui

2 COMENTÁRIOS

  1. Seria muito maneiro se o que está acontecendo no Sri Lanka atualmente, começasse a se espalhar pelo mundo inteiro !!. Imagine tudo isso ocorrendo, ao mesmo tempo, nos mais de 250 países do mundo !!!.

    Imagine a cara dos “repórteres” da grande mídia tentando manipular sem sucesso a opinião pública, seria risível…

    Some a isso, o povo fugindo em massa do sistema financeiro internacional, adotando as criptomoedas privadas, descentralizadas e distribuídas, “smart contracts”, etc…

    Imagine uma greve geral das forças de segurança, exigindo salários em dinheiro de verdade e não em papeizinhos coloridos lastreados na honestidade de políticos e instituições supranacionais.

    Imagine a cara dos políticos, dos burocratas das instituições supranacionais e dos bilionários financiadores dessa perfídia, seria impagável a visão.

    Eu sou um sonhador, isso eu sei que sou…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.