As teorias austríacas também se aplicam aos mercados financeiros?

0
Tempo estimado de leitura: 6 minutos

[Lee esto en Español]

Como Murray N. Rothbard explicou em seu magistral tratado econômico Homem, Economia e Estado com Poder e Mercado,

       “A característica distintiva e crucial no estudo do homem é o conceito de ação. A ação humana é definida simplesmente como um comportamento proposital. Todo o domínio da praxeologia e sua subdivisão mais bem desenvolvida, a economia, baseia-se em uma análise das implicações lógicas necessárias desse conceito.”

Todas as leis da economia são derivadas dos fatos fundamentais da ação humana. Por exemplo, uma das leis mais importantes da economia é a lei da oferta e da procura. Essa lei estabelece que, à medida que os preços de um bem ou serviço sobem, a demanda cai e a oferta aumenta. Por outro lado, à medida que os preços de um bem ou serviço caem, a demanda aumenta e a oferta cai. O preço de equilíbrio de um bem ou serviço é o preço onde a demanda encontra a oferta.

Rothbard aplica a lógica da ação humana aos mercados econômicos, onde bens e serviços são comprados para consumo ou produção. O comprador de um bem ou serviço econômico pode determinar racionalmente o preço que está disposto a pagar por um bem ou serviço com base em a) o valor subjetivo pessoal para ele com base na utilidade do bem ou serviço se for um bem de consumo ou b) o potencial de lucro se for usado para produção.

No entanto, Rothbard não aplicou a praxeologia (o estudo da ação humana) aos mercados financeiros. Mas como os seres humanos compram e vendem investimentos nos mercados financeiros, a praxeologia pode ser usada para analisar o comportamento do mercado financeiro.

Neste artigo, fornecerei uma breve visão geral de uma abordagem praxeológica dos mercados financeiros e discutirei como esse entendimento pode ajudar os economistas a prever com mais precisão e os investidores a investir de forma mais lucrativa.

Os mercados financeiros são muito diferentes

Para quem não percebeu, os mercados financeiros são muito diferentes dos mercados econômicos. O motivo para comprar investimentos nos mercados financeiros – como ações, títulos, commodities e criptomoedas – não é para consumo ou produção pessoal, mas para potencialmente lucrar com um futuro aumento no preço do investimento. Assim, a pergunta chave para um investidor é: “Alguém pagará mais por esse investimento no futuro?”

Como ninguém pode saber a resposta para essa pergunta com certeza, essa motivação diferente para comprar resulta em profundas diferenças entre o comportamento dos preços do mercado financeiro e os preços do mercado econômico.

Uma diferença fundamental é que os compradores de investimentos no mercado financeiro não podem determinar racionalmente o valor de um investimento. Por exemplo, um investidor em ações da Apple, ouro ou bitcoin não tem como determinar com precisão o valor do investimento para ele, já que não o está usando para consumo ou produção.

O gráfico abaixo mostra a relação entre o valor das ações dos Estados Unidos em comparação com o valor adicionado bruto das empresas, incluindo as receitas externas estimadas ao longo do século passado. Esse índice de avaliação do mercado de ações é semelhante à métrica de avaliação favorita de Warren Buffett, que é o valor total do mercado de ações dividido pelo produto interno bruto. Esse índice provou ser a métrica de avaliação mais precisa para estimar retornos de longo prazo (dez a doze anos) para o índice de ações Standard and Poor’s 500. Como mostra este gráfico, os investidores avaliaram as ações de 0,35 a mais de 2,80 vezes o valor adicionado bruto das empresas, incluindo as receitas externas estimadas, dependendo de quão otimistas (como em 1929 e agora) ou pessimistas (como no início da década de 1940) eles eram sobre o futuro. Isso é mais de oito vezes a diferença entre as faixas de avaliação alta e baixa com base no humor social e na psicologia de massa.

Figura 1: Relação entre os valores das ações dos Estados Unidos e o valor adicionado bruto das empresas

Fonte: Hussman Strategic Advisors.

Se a oferta e a demanda impulsionassem os mercados financeiros da mesma forma que impulsionam os mercados econômicos, os preços do mercado financeiro permaneceriam relativamente estáveis em um valor de equilíbrio até que houvesse novas informações significativas. Mas os preços do mercado financeiro mudam significativamente o tempo todo. Não há preço de equilíbrio. Há apenas ondas de alta e queda de preços impulsionadas pelo comportamento de manada que alterna entre otimismo e pessimismo.

Mercados financeiros são impulsionados pelo comportamento de manada

Uma vez que os investidores estão sempre comprando e vendendo em condições de extrema incerteza sobre o valor de um determinado investimento, a maioria das decisões de compra e venda são tomadas com base no comportamento de manada em vez de um comportamento racional de maximização do lucro.

Por exemplo, em um mercado econômico como os computadores, não se compraria mais computadores apenas porque os preços dispararam no dia anterior ou não se compraria um computador apenas porque os preços haviam caído significativamente no dia anterior. Mas isso acontece o tempo todo nos mercados financeiros. Nos mercados financeiros, a oferta geralmente permanece fixa, enquanto a demanda tende a aumentar à medida que os preços sobem e descem à medida que os preços caem, o que é o comportamento oposto visto nos mercados econômicos.

Há inúmeros exemplos desse comportamento. Um exemplo é mostrado no gráfico abaixo da média móvel de vinte semanas do Índice de Exposição da National Association of Active Investment Managers (NAAIM) (clipe superior) e do índice de ações Standard and Poor’s 500 (clipe inferior). O Índice de Exposição NAAIM mostra a “exposição” ou alocação média que os gestores profissionais de carteiras têm em ações. Eles tendem a ter a maior exposição a ações perto de topos do mercado de ações (linhas verticais vermelhas) e a menor exposição perto de fundos de mercado de ações (linhas verticais verdes). Esse comportamento de manada é o oposto do comportamento racional de maximização do lucro.

Figura 2: Índice de exposição NAAIM

Fonte: StockCharts.com .

O comportamento de manada é um mecanismo de sobrevivência desenvolvido pelo homem através da evolução. Por exemplo, se você visse todos em sua tribo correndo em uma direção, você geralmente seria sábio se corresse com eles para evitar ser comido por um leão.

O comportamento de manada tornou-se incrustado na psicologia humana muito antes da criação dos mercados financeiros. Como resultado, em vez de racionalmente “comprar na baixa e vender na alta” para lucrar nos mercados financeiros, a maioria dos investidores no agregado segue a manada e compra na alta e vende na baixa.

Ciclos Econômicos Boom-Bust e Mercados Financeiros

O fenômeno do ciclo econômico “boom-bust” foi explicado pela teoria austríaca do ciclo econômico. Essa teoria aponta que, quando as autoridades monetárias criam dinheiro do nada para fazer novos empréstimos, as taxas de juros são artificialmente reduzidas abaixo dos níveis do livre mercado. Isso incentiva as empresas a pegar emprestado o dinheiro recém-criado e gastá-lo em novos projetos de investimento de longo prazo. Isso leva à fase de “boom” do ciclo econômico. Eventualmente, o crescimento da oferta monetária desacelera e as empresas descobrem que não há recursos escassos suficientes para concluir seus projetos, levando à fase de “quebra” do ciclo econômico.

Como isso se relaciona com o comportamento de manada dos mercados financeiros? As mesmas ondas de otimismo e pessimismo que levam os mercados financeiros a tendências de alta de “bull market” ou de “bear market” também contribuem para o ciclo econômico. Quando a maioria das pessoas na sociedade está otimista em relação ao futuro, então os bancos estão mais dispostos a emprestar e os mutuários estão mais dispostos a tomar empréstimos e investir em projetos futuros, o que leva a mais criação de dinheiro sob um sistema bancário de reservas fracionárias. Por outro lado, quando a maioria das pessoas na sociedade está pessimista em relação ao futuro, então os bancos estão menos dispostos a emprestar e os mutuários estão menos dispostos a tomar empréstimos e investir em projetos futuros (e também são mais propensos a pagar ou dar calote na dívida), o que leva a menos criação de dinheiro sob um sistema bancário de reservas fracionárias.

Assim, embora seja verdade que o ciclo econômico boom-bust é impulsionado por bancos criando dinheiro do nada, a motivação para emprestar e tomar emprestado é, em última análise, impulsionada pelo otimismo ou pessimismo sobre o futuro, que é impulsionado pela psicologia de massa e comportamento de manada.

Ninguém, nem mesmo os burocratas do Banco Central, pode forçar os bancos a emprestar ou as empresas a contrair empréstimos. Vimos isso no início dos anos 2000 e nas recessões de 2008-9, quando o Fed cortou as taxas de juros, mas não conseguiu evitar essas recessões e os mercados de ações em baixa porque o humor social era pessimista.

Investindo no Mercado Financeiro

Os investidores que desejam investir de forma mais rentável devem aprender a analisar os principais indicadores econômicos.

O mercado de ações tem sido considerado um dos principais indicadores econômicos pelos economistas. Por exemplo, o índice de ações The Standard and Poor’s 500 é um dos dez componentes do US Leading Economic Index do Conference Board.

A razão pela qual o mercado de ações lidera a economia é porque é muito mais fácil e rápido comprar e vender ações em comparação com a contratação de novos trabalhadores, a construção de uma nova fábrica, etc.

Investidores altamente bem-sucedidos, como Warren Buffett, entendem o comportamento irracional dos participantes do mercado financeiro e o usam a seu favor para lucrar consistentemente nos mercados financeiros. O fato de haver poucos investidores que são altamente bem-sucedidos mostra como é difícil não seguir o comportamento de manada nos mercados financeiros.

 

 

 

Artigo original aqui

Leia também

Murray Rothbard como consultor de investimentos

“Já que você é tão esperto, por que não está rico?”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui