Claro que eu sou um libertário

1
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Os libertários geralmente estão na defensiva porque seus princípios parecem tão extremos e alguns dos seus pontos de vista tão radicais. É verdade que o adversário ou crítico do libertarianismo é liberal, conservador, um democrata, um republicano, um centrista, um populista, um socialista, um moderado ou um progressista. Todos estão unidos em seus ataques aos libertários em muitas áreas.

Mas são esses grupos que deveriam estar na defensiva. Todos eles acreditam que é apropriado para o governo em algum nível:

(1) prender, multar, aprisionar ou punir as pessoas por se envolverem em ações inteiramente privadas, pacíficas, voluntárias e consensuais que não agridem a pessoa ou propriedade dos outros,

(2) Fomentar projetos de educação, pesquisa, cultura e construção,

(3) regulamentar, supervisionar e, às vezes, proibir a atividade comercial entre os compradores dispostos e os vendedores dispostos, e

(4) Tomar os recursos das pessoas contra a sua vontade, pela força, se necessário, e transferir ou redistribuí-los para outros cidadãos ou estrangeiros da maneira que o governo achar melhor.

O libertarianismo é uma filosofia da liberdade, propriedade e paz. Como escrevi em outros lugares sobre o libertarianismo:

O libertarianismo é a filosofia que diz que as pessoas devem estar livres de interferências individuais, sociais ou governamentais para viver suas vidas de qualquer maneira que desejarem, perseguirem sua própria felicidade, acumularem tanta riqueza quanto puderem, avaliarem suas próprias escolhas, fazerem suas próprias escolhas, se relacionarem comercialmente com qualquer pessoa que esteja disposta a retribuir, participarem de qualquer atividade econômica pelo seu próprio lucro, e gastarem os frutos de seu trabalho como desejarem desde que suas ações sejam pacíficas, suas associações sejam voluntárias, suas interações sejam consensuais, e eles não violem os direitos pessoais ou de propriedade dos outros.

O libertarianismo respeita a privacidade pessoal, a privacidade financeira, o pensamento livre, a responsabilidade individual, a liberdade de consciência, a livre troca, os mercados livres e a propriedade privada.

O libertarianismo celebra a liberdade individual, a atividade pacífica, a interação voluntária, o Laissez Faire, a liberdade empresarial, a liberdade de associação e a liberdade de expressão.

O credo do libertarianismo é o axioma de não-agressão: todos devem estar livres de agressão contra sua pessoa e propriedade, desde que ele respeite a pessoa e propriedade dos outros. Enquanto as pessoas não infringirem os direitos dos outros, cometendo, ou ameaçando cometer, atos de fraude, roubo, agressão ou violência contra sua pessoa ou propriedade, o governo deveria apenas deixá-los em paz. Mas porque o governo é o maior violador de direitos pessoais e de propriedade, os libertários se opõem e buscam limitar, por meios pacíficos, a intervenção, a regulação e o controle do governo.

Em vez de estar na defensiva e dando desculpas ou se afastando dos princípios libertários, os libertários devem dizer corajosamente: Claro que eu apoio isso e aquilo! Claro, eu me oponho a isso e aquilo! Claro, sou um libertário.

Por exemplo:

Claro que eu apoio a maconha medicinal! Não é o negócio do governo decidir quais tratamentos médicos são apropriados. O governo não deve ter nada a ver com a prática da medicina.

Claro que eu me oponho as leis de controle de armas! Se as armas forem proibidas, apenas os foras da lei terão armas. Criminosos que querem cometer roubo armado ou assassinato não são dissuadidos por leis de controle de armas. Deve haver um mercado livre em armas como qualquer outro produto.

Claro que eu me oponho a educação pública! Não é o trabalho do governo educar os filhos de alguém ou forçar alguém a pagar pela educação dos filhos de outra pessoa. Todas as escolas, vouchers, concessões e empréstimos devem ser privados.

Claro que eu apoio a descriminalização de todas as drogas! Vícios não são crimes. Todo crime precisa de uma vítima tangível com danos mensuráveis. Não é o trabalho do governo proibir ou controlar o que um homem quer fumar, cheirar, engolir, injetar ou introduzir em seu corpo.

Claro que eu oponho aos serviços médicos estatais! Não é o trabalho do governo fornecer ou pagar pelos serviços de saúde ou seguros de saúde. E é imoral forçar alguns indivíduos a pagar pela saúde de outros indivíduos.

Claro que eu me oponho a toda a ajuda externa! Nenhum país deve receber ajuda externa por qualquer motivo. O que o governo dá em ajuda externa deve primeiro ser retirado dos indivíduos. Nenhum indivíduos é perguntado se ele quer que uma parte de seus impostos vá para ir a algum país em particular. Se os indivíduos querem ajudar um determinado país , eles devem escrever um cheque.

Claro que eu apoio todas as isenções e deduções fiscais! A redução de isenções fiscais e deduções aumenta a receita do governo da mesma maneira que aumentar as taxas de imposto. É sempre melhor quando os indivíduos podem manter mais dinheiro em seus bolsos e fora das mãos do estado.

Claro que me oponho aos militares fornecerem alívio de desastres, “missões de paz” ou pavimentação de rodovias! O único propósito dos militares é defender o país. O propósito dos militares nunca pode ser fornecer alívio de desastres, mesmo nos Estados Unidos.

Claro que eu apoio o direito das pessoas de venderem seus órgãos! Se há algo que um homem possui de maneira inconteste, é seu próprio corpo. Todo mundo tem o direito natural de vender seus órgãos para o maior lance enquanto ele está vivo ou depois que ele está morto.

Claro que eu me oponho as bolsas alimentação! Não é o trabalho do governo alimentar alguém. Toda a ajuda alimentar deve ser realizada por organizações privadas.

Claro que eu me oponho todas as leis de salário mínimo! Não é o trabalho do governo estabelecer um preço mínimo para o trabalho mais do que é o trabalho do governo estabelecer um preço mínimo para bananas.

Claro que eu apoio o livre comércio! O comércio gerenciado pelo governo não é nada além de planejamento central de estilo soviético. Não é o trabalho do governo “proteger” indústrias à custa dos consumidores ou calcular o “deficit comercial”. Indivíduos e empresas têm o direito natural de exportar mercadorias para ou importar mercadorias de qualquer país que escolherem.

Claro que eu me oponho ao seguro desemprego do governo! Não é o trabalho do governo pagar as pessoas para não trabalharem. O seguro de desemprego deve ser fornecido pelo setor privado, assim como o seguro de carro, da vida e contra incêndios.

Claro que eu me oponho a todas as leis antidiscriminação! Essas leis são um ataque à propriedade privada, liberdade de associação, liberdade de contrato e liberdade de pensamento. Em uma sociedade livre, qualquer indivíduo, empresa, empregador ou organização teria o direito de discriminar contra qualquer um por qualquer motivo.

Claro que eu apoio a prática dos cambistas de ingressos! Cambistas de ingressos executam um serviço valioso para organizadores e frequentadores de eventos. O que poderia estar errado com uma troca de ingressos por dinheiro entre um comprador disposto e um vendedor disposto, desde que sua atividade não viole os direitos de propriedade do proprietário do solo onde eles fazem sua troca?

Claro que eu me oponho ao assistencialismo! É imoral tomar dinheiro daqueles que trabalham e dar para aqueles que não – mesmo quando o governo faz isso. Toda a caridade deve ser privada e voluntária.

Claro que eu me oponho as regulamentações profissionais! Por que alguém deveria ter permissão do governo para abrir um negócio, envolver-se no comércio, trabalhar em certas ocupações, ter uma vocação particular ou fornecer um serviço para clientes dispostos? Por que alguém precisa de permissão do governo para trabalhar? Toda a certificação ocupacional poderia e deveria ser feita pelo setor privado.

Claro que eu apoio essas coisas! Claro que eu me oponho a essas coisas! Claro, sou um libertário! “Libertários”, como o economista Robert Higgs disse: “nunca devem conceder a superioridade moral àqueles que insistem em interferir coercitivamente na liberdade”.

 

Artigo original aqui.

1 COMENTÁRIO