Destrua a Economia, Ganhe um Prêmio Nobel

0

O ex-presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, recebeu o Prêmio Nobel de Economia de 2022 por seus escritos sobre como o governo deve responder a falências de bancos. Honrar Bernanke por seus conselhos sobre o que o governo deve fazer quando os bancos quebram é como dar um prêmio de segurança contra incêndio a um incendiário.

Bernanke era presidente do Fed quando a bolha imobiliária, criada por seu antecessor Alan Greenspan na sequência do estouro da bolha tecnológica de Greenspan e dos ataques de 11 de setembro, explodiu. Quando o mercado imobiliário entrou em colapso, Bernanke trabalhou com o Congresso e o governo Bush para socorrer grandes bancos e empresas de Wall Street.

Nos anos que se seguiram ao colapso, o Fed liderado por Bernanke tentou “estimular” a economia por meio da criação maciça de dinheiro, taxas de juros próximas de zero e “quantitative easing”, onde o Fed injeta liquidez no mercado por meio de compras de ativos financeiros, incluindo títulos do Tesouro.

As políticas pós-colapso do Fed produziram, na melhor das hipóteses, um crescimento lento, enquanto preparavam as bases para a próxima quebra. Um sinal de que o próximo crash estava chegando veio em setembro de 2019, quando o Federal Reserve começou a injetar bilhões de dólares por dia no mercado de “recompra”, que os bancos usam para fazer empréstimos noturnos uns aos outros, para evitar que as taxas de juros desse mercado subam acima da taxa-alvo do Fed. Os lockdowns de covid então deram ao Fed uma desculpa para empurrar as taxas de juros para zero e expandir massivamente o quantitative easing.

As ações do Fed são o principal culpado por trás da inflação de preços que assola a economia americana. O Fed respondeu à inflação de preços aumentando as taxas de juros, embora as taxas permaneçam muito mais baixas do que seriam em um mercado livre. O fato de que mesmo esses aumentos relativamente pequenos ajudaram a empurrar a frágil economia para a recessão mostra a instabilidade de nosso sistema econômico baseado em dívidas.

Bernanke e o Congresso deveriam ter respondido ao colapso deixando a recessão que se seguiu ao colapso seguir seu curso. Essa é a única maneira pela qual a economia pode se ajustar às distorções de mercado causadas quando o Fed aumenta a oferta de moeda e reduz as taxas de juros.

Aqueles que se preocupam que essa abordagem “não faça nada, fique aí parado” infligiria sofrimento econômico de longo prazo ao povo americano deveriam considerar a depressão econômica de 1920. Durante essa depressão, o Fed se absteve de tentar “estimular” a economia, e o Congresso realmente cortou gastos. O resultado foi que a crise acabou rapidamente. Infelizmente, as lições de 1920 são amplamente ignoradas pelos principais historiadores econômicos.

Em resposta ao meu questionamento em uma audiência do Comitê de Serviços Financeiros, o então presidente do Fed, Ben Bernanke, admitiu que não considerava ouro dinheiro. É claro que ouro e outros metais preciosos são dinheiro porque os indivíduos os selecionaram sempre que tiveram a liberdade de escolher uma moeda. Uma razão para isso é que os metais preciosos são especialmente adequados para servir como uma unidade de conta estável. Em contraste, os governantes do estado favoreceram a moeda fiduciária precisamente porque ela nunca pode servir como uma unidade de conta honesta devido ao seu valor ser constantemente manipulado pelos banqueiros centrais. Isso geralmente é feito a mando de políticos sedentos de poder.

Portanto, sob um sistema monetário fiduciário, não podemos conhecer o verdadeiro valor dos bens e serviços. É por isso que, para criar uma economia sólida que proporcione prosperidade, devemos auditar e depois acabar com o Fed.

 

 

 

 

Artigo original aqui

Artigo anteriorPrecisamos de verdade e beleza
Próximo artigoQual a verdadeira taxa de mortalidade do Covid?
é médico e ex-congressista republicano do Texas. Foi candidato à presidente dos Estados Unidos em 1988 pelo partido libertário e candidato à nomeação para as eleições presidenciais de 2008 e 2012 pelo partido republicano. É autor de diversos livros sobre a Escola Austríaca de economia e a filosofia política libertária como Mises e a Escola Austríaca: uma visão pessoal, Definindo a liberdade, O Fim do Fed – por que acabar com o Banco Central (2009), The Case for Gold (1982), The Revolution: A Manifesto (2008), Pillars of Prosperity (2008) e A Foreign Policy of Freedom (2007). O doutor Paul foi um dos fundadores do Ludwig von Mises Institute, em 1982, e no ano de 2013 fundou o Ron Paul Institute for Peace and Prosperity e o The Ron Paul Channel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.