Explosão de casos na Argentina e Índia expõe mais uma vez a fraude das máscaras

0
Tempo estimado de leitura: 8 minutos

Passaram-se cem dias do uso da máscara de Biden, e eles falharam miseravelmente em alterar a trajetória natural do vírus. Passou da hora de entrarmos com ações judiciais contra a ordem demoníaca de que até crianças de 2 anos usem máscaras em aviões, assim fazer com que o governo, durante a investigação legal, apresente uma única evidência de que as máscaras fazem alguma diferença até mesmo para adultos.

Dado que o fascismo COVID e o uso de máscaras são um culto, seus membros nunca admitirão que a propagação viral é 100% natural, sazonal e geográfica e que continuará até que todos os países alcancem a imunidade. Mas, dadas as terríveis consequências físicas e psicológicas dessas políticas, é importante que nos lembremos de que todas representaram apenas sofrimento e zero ganho.

A Argentina fez tudo “certo”, segundo os “especialistas” em saúde pública. O país teve um dos primeiros e mais draconianos lockdowns, um decreto de máscara em vigor desde 14 de abril de 2020 e até a cremação compulsória de alguns dos que morreram do vírus contra a vontade de residentes judeus que pediram um enterro adequado.

A Argentina, como muitos dos países ao redor do mundo que quase não experimentaram nenhuma morte por vírus durante os primeiros meses da pandemia, pensou que suas políticas draconianas permitiam ao país se esquivar da bala. Mas quando a primavera se transformou em verão, o número de casos começou a crescer e posteriormente se intensificaram, como vimos em muitos países que à princípio escaparam do vírus. A Argentina foi elogiada pela mídia esquerdista por seguir a ciência e impor uma “quarentena COVID-19 rígida”, que “salvou vidas”.

Dado que a Argentina teve apenas uma grande onda, deveria haver pelo menos mais uma rodada robusta, como todos os outros países já tiveram. O “vírus vai ser um vírus” até que as populações atinjam a imunidade de rebanho, como o que aconteceu na Inglaterra e em muitas partes dos EUA. Todos os lugares que “derrotaram” o vírus agora terão que derrotá-lo novamente; todos os lugares que se saíram melhor do que os atingidos primeiro agora estão pior. É tudo natural e não tem nada a ver com intervenção humana. Algumas pessoas podem ter esquecido a trajetória dos casos na Argentina, mas o inimitável Ian Miller está aqui para nos lembrar:

A Argentina foi um dos primeiros países do mundo a impor máscaras, em 14 de abril, quando os casos eram incrivelmente baixos.
Então uh, por que eles estão tão altos agora, apesar de não removerem o mandato de máscara? Alguém já perguntou ao Fauci?

 

O resultado final é que a Argentina é um país grande e não poderia escapar da propagação total desse vírus, assim como a Califórnia, onde as autoridades pensaram erroneamente que o haviam derrotado por meio do vodu de intervenções não farmacêuticas. No entanto, à medida que os hospitais começaram a encher, o governo argentino redobrou o fracasso, pois o presidente Alberto Fernandez declarou que as restrições anteriores eram “insuficientes”. Ele então anunciou uma limitação de viagens durante a noite porque, é claro, o vírus se espalha mais à noite. Agora, observe a Argentina alcançar o nível de imunidade de rebanho de outros países à medida que essa onda se espalha sem se intimidar com os desmandos dos sedentos de poder, mas eles tentarão levar o crédito pelo inevitável declínio em casos que sempre seguem um aumento acentuado.

Então, é claro, existe a Índia. Durante dezembro, como a maior parte do mundo estava enfrentando sua grande onda de inverno do vírus, a Índia quase não teve qualquer propagação depois de experimentar uma grande propagação durante o verão. O WSJ publicou um artigo em 30 de dezembro intitulado “COVID-19 estava consumindo a Índia, até que quase todo mundo começou a usar máscaras.” Você sabe, porque nunca vimos nenhum lugar na América com todos usando máscaras que tenha sofrido com o vírus! A NPR elogiou o sucesso da Índia em fazer até praticantes de corrida cumprir as ordens de uso de máscara ao ar livre, colocando a polícia na rua para aplicar multas.

Bem, como em qualquer outro lugar do mundo, as máscaras “funcionaram” até a hora da propagação sazonal natural naquela área. Sim, a Índia, devido à sua enorme parcela da população mundial, teve relativamente poucos casos no primeiro ano da pandemia. É por isso que teve a maior disseminação de qualquer país quando chegou a hora – porque havia tantos novos campos desprotegidos pela imunidade de rebanho para o vírus alvejar.

Agora, vamos deixar de lado o fato de que grande parte da Índia já tinha um decreto de máscara estrito no início do ano passado e ainda experimentou uma primeira onda. Como mostra Ian Miller, a Índia sofreu um aumento de 1.400% nos casos desde que o Wall Street Journal citou as autoridades de saúde indianas creditando a seu mandato de máscara universal o sucesso em parar propagação. No entanto, eles nunca darão seguimento à sua reportagem corriqueira. Em cada caso, a mídia credita os períodos de ausência de propagação ao uso da máscara, mas depois se esquece das máscaras quando o vírus se espalha com violência. Então, quando os casos inevitavelmente voltam, são as máscaras, ou talvez mais recentemente, as vacinas.

Na realidade, é um fenômeno totalmente natural. Na Califórnia, onde o vírus se espalhou prolificamente no final do outono/início do inverno, apesar dos primeiros decretos de máscara e quarentenas dos EUA, o vírus já havia atingido o pico antes de uma única vacina ser administrada:

Embora as vacinas pareçam ser muito eficazes, elas simplesmente chegaram tarde demais para fazer diferença nos Estados Unidos.
Covid entrou e saiu (tornou-se endêmico) antes que a vacinação em massa decolasse.
Apenas para o benefício de todos lendo isto, as infecções por COVID da Califórnia atingiram o pico em 14 de janeiro, antes que uma única pessoa abaixo de 65 anos da população geral tivesse recebido uma vacina. Alcançamos o pico porque metade da população de Los Angeles teve COVID apesar dos lockdowns … não por causa de qualquer coisa que a Newsom fez.

 

Vamos agora viajar mais para o leste do que a Índia e descobriremos o fato de que, por alguma razão natural, o vírus mal se espalhou no primeiro ano. É por isso que o Extremo Oriente é o novo ponto crítico do mundo. Existem poucas pessoas lá com imunidade.

O Japão faz parte da onda do Extremo Oriente nesta primavera. Os japoneses têm sido aclamados há meses por sua “cultura de máscara”, mesmo anterior ao vírus. Seria difícil encontrar pessoas mais disciplinadas quanto ao uso de máscaras do que os japoneses. Bem, “funcionou” até quando não funcionou mais.

Você tem que reconhecer que a mídia é extremamente eficaz em esquecer quando eles dão crédito às máscaras por manter os casos em baixa
Todos nós apenas temos que continuar fingindo que não sabemos que a mídia trabalha para proteger a reputação e o ego de especialistas que defenderam uma das políticas mais ineficazes já concebidas

Então, a média de 7 dias do Japão está agora se aproximando do nível mais alto do ano passado, apesar de 98% de conformidade de uso de máscara
Por que as máscaras não funcionam? Alguém importante vai fazer essa pergunta ou vamos todos continuar ignorando a realidade porque ela contradiz os especialistas

 

Mas não precisamos viajar para o outro lado do mundo para descobrir o fato óbvio de que são os fenômenos naturais, e não as intervenções humanas, que estão impulsionando as expansões cíclicas e geográficas. Todos os especialistas alertaram que haveria uma catástrofe quando quase metade dos estados se livrassem de seus decretos de máscara, começando com Texas e Mississippi há dois meses, especialmente com as supostas novas variantes mutantes. No entanto, ao mesmo tempo, foram os estados do nordeste que os casos se espalharam com muito mais severidade, à medida que os casos despencaram nos estados do sul e em outros estados que acabaram com o uso de máscara.

Quantas semanas a mais de dados de hospitalização do Texas serão necessários para que especialistas e personalidades da mídia e do Twitter admitam que estavam errados sobre o fim de decretos de máscara e das restrições e ter estádios lotados e basicamente tudo de volta

 

Em 10/2, depois que o governador de Iowa suspendeu as restrições e o decreto de máscara, o Washington Post publicou um artigo intitulado: “Bem-vindo a Iowa, um estado que não se importa se você vive ou morre”
As mortes diminuíram -91,4% desde então
É muito difícil imaginar estar mais errado do que isso

 

Lembra-se de como o fim do decreto das máscaras era o pensamento do neandertal e causaria picos enormes nos casos, então aconteceu exatamente o oposto; e a mídia questionou incansavelmente Biden, Fauci e Walensky sobre como eles estavam tão errados?
Espere, eles não fizeram isso? Ah! Isso é surpreendente.

 

Acabei de verificar novamente e os 7 principais estados em hospitalizações ajustadas à população ainda têm decretos de máscara
A parte irritante é que literalmente não importa quantas vezes isso aconteça, os especialistas nunca podem admitir que as máscaras não estão funcionando porque as transformaram em uma religião

 

Puxa, por que você acha que a disseminação mais recente ocorreu agrupada nos estados do Meio-Atlântico? Sem decretos de máscara? Bem, nesses estados, as pessoas as usam até mesmo ao ar livre. Não é preciso um Sherlock Holmes para descobrir que tudo isso é natural com base no tempo e na geografia.

Como o WalletHub descobriu em uma análise recente que classifica os 50 estados e D.C. por rigor das restrições, há simplesmente correlação zero entre o rigor e os resultados com o vírus. Nosso governo conseguiu bloquear tudo, menos o vírus.

Na realidade, lockdowns e uso de máscaras eram tão lógicos antes da vacina quanto depois. É por isso que Biden ainda está prometendo que vai usar sua máscara ao ar livre. Isso sempre foi sobre o culto do controle. Da mesma forma, sempre se soube que os alunos de escolas nunca foram os principais vetores de disseminação. Agora que novos e-mails entre o CDC e os sindicatos de professores vieram à tona, está claro que o CDC também sabia desse fato, mas permitiu que os sindicatos de professores reescrevessem sua orientação de fevereiro para limitar sua orientação categórica de retorno ao ensino presencial.

Assim como com o culto de Jonestown na década de 1970, uma sociedade inteira foi programada para cometer suicídio com base na fé ilógica em ídolos e no medo do próximo, em vez de usar o bom senso. Agora que Fauci foi exposto como o Jim Jones de nosso tempo, quantos continuarão acreditando neste perigoso conto da carochinha?

 

Artigo original aqui