Opositores da quarentena, uni-vos

5
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

“Você é um assassino de vovózinhas.” “Você não é um cientista.” “Você mataria pessoas para salvar a economia.” “Você deve confiar nos especialistas.” “Eu sabia que você recorreria a teorias da conspiração.” Todas essas frases têm um propósito: silenciar você, para controlar a narrativa alternativa. O fato de que eles querem envergonhar e intimidar para fazer você obedecer é uma evidência de que seus pensamentos são perigosos – mais uma razão para gritá-los bem alto. É altamente desejável e crucial questionar os motivos, criticar os especialistas e pensar por si mesmo. Quando isso não acontece, a força da multidão prevalece e o desastre ocorre.

Quantos de nós questionamos a veracidade deste quadro? Todos nós os vimos nas redes sociais, nos bombardeando com uma campanha de astroturf projetada para nos convencer de que o apoio a quarentena era universal. Afinal, quem não estaria disposto a simplesmente se retirar da “cadeia” da infecção, “salvando vidas”? A maioria das pessoas aceitou a história. Elas colocaram o filtro “fique em casa, salve vidas” em seus perfis de mídia social. Elas entraram no time, angariando dinheiro para os “heróis da linha de frente” e sumariamente condenaram ao ostracismo os que não se juntaram ao esforço. Nada disso é surpreendente: temos acesso a uma mídia ilimitada, mas muito poucos de nós têm conhecimento sobre gerenciamento de pandemias. Esta é uma combinação explosiva.

A propaganda da mídia escondeu a verdade ao nos convencer de que exatamente o oposto era verdade. Na verdade, uma doença tão disseminada não pode ser interrompida com intervenções não farmacêuticas, como o distanciamento social. Requer imunidade de rebanho, quanto mais rápido melhor, desenvolvida por jovens e saudáveis ​​enquanto isola os de alto risco. O não cumprimento deste protocolo resulta em milhões de mortes desnecessárias. Eles nos enganaram e agora estão ansiosos para cobrir seus rastros. Eles equipam os soldados da propaganda com uma série de armas para nos silenciar, as mais difundidas das quais são discutidas abaixo.

‘Você é um teórico da conspiração!’

Não há nada de louco em suspeitar de uma conspiração. Conspirações acontecem o tempo todo. Enron, Watergate, esquemas Ponzi, Irã Contra, o assassinato de Júlio César, assaltos a banco, assaltos a arte, a crucificação de Jesus Cristo – todas conspirações. Quando as circunstâncias não combinam, você pode e deve considerar a possibilidade de uma conspiração.

No momento, a sociedade está tratando como Peste Negra um tipo comum de vírus com as seguintes características: (1) uma taxa de sobrevivência de 997/1000, (2) idade média de morte acima da expectativa de vida – com principais co-morbidades, (3) ) não causou mortalidade excessiva significativa em países e estados que não fizeram “quarentena” (quarentena é um evento de mortalidade em si), (4) mata menos crianças do que raios, (5) não apresenta nenhum sintoma em 60+% dos casos, e (6) para os quais 80% das pessoas já têm imunidade pré-existente de células t.

Nossa reação a esta doença eminentemente controlável não faz sentido, mas, longe de mudar o rumo do navio, continuamos ardentemente no curso. Algo está impulsionando isso e todos devemos tentar descobrir o que é esse algo.

‘Você não é um cientista!’

Essa pequena e triste declaração costuma ser o último recurso de um oponente de debate encurralado. Você não precisa ser um cientista para interpretar dados, entender como as doenças funcionam e investigar como as pandemias devem ser gerenciadas. Os humanos fazem essa coisinha chamada “aprendizado” o tempo todo, todos os dias. Qualquer pessoa com capacidade de leitura, mente curiosa e dedicação para compreender pode decifrar o quebra-cabeça do COVID19.

‘Você deve confiar nos especialistas!’

Muitas vezes chamados de “o argumento da autoridade”, eles significam “você deve confiar cegamente em nossos especialistas, sem a capacidade de testar substancialmente suas recomendações!” Isso é uma falácia de retórica e lógica. Aprenda com um advogado: você poderia encontrar um especialista igualmente qualificado para contradizer tudo o que seu especialista está dizendo.

No reino do COVID19, por exemplo, temos Anthony Fauci, dos Estados Unidos, e Anders Tegnell, da Suécia. Cada um deles tem credenciais, fãs-clubes fervorosos e abordagens completamente divergentes sobre o COVID19. Fauci adora quarentena; Tegnell diz que é insustentável e difícil de sair depois de implementada. Essas metodologias concorrentes só podem ser julgadas com justiça em seus resultados, e agora esses resultados estão disponíveis.

A Suécia tem muito menos excesso de mortalidade por todas as causas em 2020 do que áreas fortemente fechadas como Nova Jersey e Michigan. Tegnell venceu. Veja o que “confiar em especialistas” como Fauci sem questionar teria causado?

“Examine as coisas como parecem à sua mente; considere objetivamente o que é dito pelos outros e, em seguida, estabeleça suas próprias convicções. Não confie em nada e em ninguém além de você. ” – Epiteto

‘Você não vai mudar de ideia. Você não é objetivo!’

Que truque inteligente para evitar admitir que um oponente esteja certo! Eles tentam levá-lo ao ponto de vista deles, dizendo que você precisa admitir que estava errado; se você não fizer isso, prova que você está errado. Uma sinuca de bico!

Se você está confiante de que estava certo desde o início, mantenha sua posição. Você não tem nada a temer. Apoie diretamente sua decisão. Eles odeiam isso!

‘Você é um apoiador do Bolsonaro!’

O que Bolsonaro tem a ver com o fato de termos a capacidade de conter a COVID19? Qualquer menção a tendências políticas permite que você saiba que a pessoa que fala vê a COVID19 como uma guerra política para marcar pontos. Agora você sabe o que motiva suas ações de amor a quarentena: “vencer!”

‘Você não se importa com a vida humana!’

Os mentores da quarentena criaram um Pânico Moral ao fazer todos acreditarem que os lockdowns podem impedir as mortes. Qualquer um que se opusesse à ação desejada – quarentena – era rotulado de assassino, permitindo-lhes controle social total sem qualquer ação policial. Conveniente! Uma operação psicológica para todas as idades. Aqui está a verdade:

Pessoas que acreditam na imunidade do rebanho acreditam na ciência. A imunidade de rebanho desenvolvida por jovens e saudáveis ​​é o que poupa o número máximo de vidas dos mais vulneráveis. TRADUÇÃO: QUARENTENAS MATAM.

“O distanciamento social que não pode ser sustentado de forma permanente é outra história. Algumas pessoas acabarão sendo infectadas e, para cada jovem de baixo risco que evita a infecção, no final das contas haverá aproximadamente um idoso de alto risco adicional infectado, aumentando a contagem de mortes”.

Quanto mais rápido a imunidade coletiva for desenvolvida, mais rápido os idosos mais vulneráveis ​​poderão voltar às suas vidas sem medo. Isso é urgente, porque eles não têm muito tempo restante em muitos casos.

Então não. Não queremos matar a vovó. Você é quem está matando a vovó.

‘Esta doença causa efeitos de longo prazo na saúde!’ / ‘Há tanto que não sabemos!’

A força de um furacão é irrelevante para saber se podemos pará-lo ou não. Devemos demolir nossa cidade para “evitar os danos da tempestade”? Porque é isso que as quarentenas fazem. Com medo e desespero, estamos matando milhares e milhares de pessoas cujas vidas poderiam ter sido salvas. A exata mesma porcentagem da população pegará COVID, com quarentena ou sem quarentena, e atualmente estamos impingindo a maior parte desse fardo à classe trabalhadora e aos pobres, enquanto jovens profissionais ricos participam de reuniões no Zoom. Isso é injusto e nojento. Precisa parar.

“Há tanto que não sabemos.” É verdade, e isso nunca vai mudar. Nunca saberemos com certeza o que COVID19 ou qualquer outro vírus tem reservado para nós. Mesmo se soubéssemos todos os detalhes, não poderíamos parar a natureza.

Então lute. Diga a verdade. Não seja silenciado. Epiteto novamente:

“Depois de ter deliberado e determinado que um curso de ação é sábio, nunca desacredite seu julgamento. Apoie diretamente sua decisão. É bem provável que haja pessoas que não entendam suas intenções e até condenem você. Mas se, de acordo com seu melhor julgamento, você está agindo corretamente, você não tem nada a temer. Tome uma posição.”

 

Artigo original aqui.

5 COMENTÁRIOS