Prova de vacinação – mais um avanço da Tirania Sanitária

0
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Se você deseja participar da sociedade de Oregon sem ser forçado a usar uma máscara, é melhor ter seus documentos em ordem.

O estado agora exige que os indivíduos exibam “prova de vacinação” se quiserem tirar as máscaras em ambientes fechados, anunciou a Autoridade de Saúde do Oregon.

As empresas que não verificam o status de vacinação precisarão manter um mandato de máscara.

Ao rejeitar uma abordagem mais prática e individual de liberdade que vimos nos Estados Unidos, as autoridades de Salem estão seguindo o caminho político fascista.

“O Oregon permitirá que as pessoas fiquem sem máscara fora de casa, mas exigirá que elas sejam totalmente vacinadas contra COVID-19 – e sejam capazes de provar isso – para abrir mão das máscaras na maioria dos ambientes internos públicos”, relata o Oregonian.

Sim, você leu corretamente. Oregon finalmente encerrou seu mandato de máscara ‘ao ar livre’, um ano e meio na paranoia Covid. E em troca de “conceder” a liberdade de respirar ar puro, eles agora serão forçados a mostrar “prova de vacinação” se quiserem participar da sociedade.

“Esperamos que os moradores de Oregon não mintam, trapaceiem e coloquem outros em risco, forjando um registro de vacina se não forem vacinados”, disse o epidemiologista do estado de Oregon, Dean Sidelinger, em uma entrevista com jornalistas locais. Sidelinger, um charlatão sedento por poder, fez fama no estado ao exigir o fechamento de empresas e instituições religiosas por longos períodos. Recentemente, ele perpetuou a mentira de que as escolas são vetores de transmissão.

Valeria a pena debater seriamente os méritos dessa loucura autoritária se de fato Oregon pudesse demonstrar que eles estavam “seguindo a ciência” neste assunto, mas é claro que esta ordem não tem nada a ver com ciência, e tudo a ver com poder e ao controle.

A ideia de que existe alguma ciência apoiando a exigência tirânica de documentos para “interromper a propagação” é totalmente infundada.

Dois pontos importantes:

Em primeiro lugar, não existe um estudo abrangente que mostre que as máscaras realmente funcionam na prevenção de COVID-19, portanto, a premissa para a política de máscara é falsa. Não há evidências de que as máscaras de tecido ajudem a impedir a propagação de uma partícula infecciosa submicroscópica. Na verdade, há mais evidências demonstrando que as máscaras podem atuar como um vetor de transmissão de doenças.

Em segundo lugar, se as vacinas funcionam para proteger as pessoas de consequências graves relacionadas ao COVID-19, qual é exatamente o sentido de exigir que as empresas obriguem os clientes a mostrar os certificados de vacinas? Sim, isso foi retórico. A paranoia Covid tem sido em grande parte nada mais do que uma desculpa para políticos e oligarcas acumularem mais poder. Se a vacina protege os indivíduos de pessoas que optam por não tomar a vacina COVID-19, então não há ameaça específica para ninguém, exceto aqueles que optam por não tomar a vacina. Não há ciência por trás da ideia de um passaporte de vacina COVID-19.

Parece que os próximos passos para o Oregon são óbvios. Isso pode vir na forma de um sistema de passaporte de vacina digital mais simplificado, como vimos em lugares como Nova York e Havaí (a boa notícia é que esses sistemas estão tendo muitas dificuldades). As pequenas empresas podem não conseguir encontrar recursos para verificar manualmente os cartões de vacina, já que muitas empresas com margens mais estreitas simplesmente não têm os recursos para adicionar um porteiro de passaporte de vacina à sua lista. Portanto, as empresas serão forçadas a automatizar e usar sistemas corporativos de passaportes de vacinas autoritários, como os projetados por empresas como IBM, Common Pass e Clear, entre outras.

Outro efeito colateral dessa política distópica fascista é a realidade de que as pessoas serão incentivadas a usar suas “credenciais de vacina” para complementar sua máscara, como uma “medida prática” para poder entrar no estabelecimento. Será entendido como o sinal de virtude final e um sinal de obediência completa à autoridade, caso os habitantes do Oregon tenham uma máscara e um cartão de vacina à mostra.

Com as políticas corruptas sendo impostas pelas autoridades estaduais, não deveria ser uma surpresa que nem todos no estado estão entusiasmados com as políticas promovidas por Salem. Na terça-feira, 5 condados de Oregon votaram a favor de deixar o estado e se tornar parte de Idaho.

 

 

Artigo original aqui