Reconhecendo o óbvio: dados concretos de Israel revelam o fracasso da vacina

1
Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Durante todo este ano, Israel foi elogiado e admirado pela eficiência de sua campanha de vacinação. Hoje é um dos países mais vacinados do mundo, com mais de 80% de sua população adulta tendo sido injetada duas vezes.

Com uma taxa de vacinação tão alta, seria de se esperar que a Covid estivesse contida naquele país. Afinal, fomos informados de que as vacinas eram a maneira de acabar com a pandemia e com os relatórios iniciais da Pfizer mostrando eficácia de até 98%, Israel deveria estar em uma posição excelente hoje.

O mundo real, no entanto, é totalmente oposto ao que se esperaria.

Israel, uma das nações mais vacinadas do mundo, está tendo seus piores números desde o início da pandemia.

Aqui está uma citação de uma reportagem recente da CNBC News intitulado “Israel dobra as doses de reforço enquanto os casos diários da Covid estabelecem novo recorde”.

“Os casos de Covid-19 em Israel aumentaram drasticamente desde julho, apesar da alta taxa de vacinação. Os novos casos diários no país atingiram um máximo histórico de 12.113 em 24 de agosto, superando o pico de janeiro de 11.934. ”

Esta situação é confirmada por um artigo na NPR:

“Israel foi o primeiro país na Terra a vacinar totalmente a maioria de seus cidadãos contra o COVID-19. Agora, tem uma das taxas de infecção diária mais altas do mundo – uma média de quase 7.500 casos confirmados por dia, o dobro do que era há duas semanas. Quase uma em cada 150 pessoas em Israel hoje tem o vírus.”

E aqui está um relato de um meio de comunicação israelense:

“O país tem um dos níveis de vacinação COVID-19 mais altos do mundo, com cerca de 78% das pessoas com 12 anos ou mais totalmente vacinadas, principalmente com a vacina Pfizer. Ao mesmo tempo, Israel tem agora uma das taxas de infecção mais altas do mundo …”[ênfase adicionada]

Vamos esclarecer o que está acontecendo em Israel atualmente: pessoas totalmente vacinadas estão sendo infectadas com Covid-19 e, por sua vez, infectam outras pessoas totalmente vacinadas com esta doença.

Por favor, pondere isso com cuidado e, em seguida, pergunte a si mesmo: o que podemos concluir do fato de que um dos países mais vacinados do mundo tem uma das taxas de infecção de Covid mais altas do mundo?

Aqui está a conclusão inevitável: as vacinas que foram injetadas no povo de Israel não conseguiram protegê-los contra a Covid-19.

Em outras palavras, a vacina Pfizer, amplamente usada naquele país, mostrou-se ineficaz.

O governo de Israel reconheceu isso quando começou a administrar reforços em 30 de julho. Os reforços nada mais são do que a admissão pelas autoridades de saúde israelenses de que as vacinas originais não cumprem sua função protetora.

Eles, de fato, admitiram isso quando confrontados com dados do mundo real:

“Ao anunciar a decisão no domingo, as principais autoridades de saúde israelenses disseram que a eficácia da segunda dose da vacina Pfizer-BioNTech diminuiu seis meses após a administração, tornando necessário um reforço”.

De acordo com o Dr. Kobi Haviv, Diretor do Hospital Herzog em Jerusalém, as pessoas totalmente vacinadas respondem por 85-90% das hospitalizações em sua instituição. Dado que menos do que essa porcentagem da população israelense está totalmente vacinada, parece que a vacinação não apenas não evita que você contraia a doença, mas pode na verdade aumentar as chances de alguém se tornar um caso sério da Covid.

Os números de Israel também mostram que as pessoas vacinadas têm 27 vezes mais probabilidade de contrair Covid sintomático do que aquelas que adquiriram anticorpos naturais por infecção.

Em vez de ser um sucesso, a muito elogiada campanha de vacinação israelense foi um fracasso abismal.

Esta é a conclusão inevitável dos dados concretos que temos diante de nós.

A maioria das pessoas, entretanto, não consegue ver essa verdade óbvia, porque passaram por uma lavagem cerebral para acreditar que as vacinas são a saída para a pandemia. Os propagandistas das vacinas têm conseguido induzir dissonância cognitiva em suas vítimas.

É triste e preocupante ver essas mesmas vítimas fazendo fila como cordeiros para seus “reforços”, que são fabricados pelas mesmas empresas e pessoas responsáveis ​​por este desastre.

Após dezoito meses de implacável instigação e propaganda do medo, a capacidade cognitiva deles foi prejudicada a ponto de eles não conseguirem dar um sentido lógico às informações diante de seus olhos.

O que é pior, essas vacinas não são apenas ineficazes. Relatórios de graves efeitos colaterais e ferimentos têm chegado de todo o mundo. De acordo com um relatório emitido pelo Comitê do Povo de Israel (IPC), um grupo de especialistas em saúde israelenses, a vacina Pfizer/BioNTech tem o potencial de danificar praticamente todos os sistemas do corpo humano. Com base em dados extraídos do Escritório Central de Estatísticas e do Ministério da Saúde de Israel, o grupo estima que a taxa de mortalidade entre os vacinados é de cerca de 1: 5.000. Isso significaria que mais de mil cidadãos israelenses morreram desnecessariamente por causa das vacinas.

Vamos recapitular o que sabemos sem qualquer sombra de dúvida: um dos países mais vacinados apresenta atualmente uma das maiores taxas de infecção do mundo.

Que dedução podemos fazer com base nesses dois fatos amplamente divulgados e inegáveis?

É verdadeiramente lamentável que a maioria das pessoas hoje não consiga ver a verdade óbvia que está diante de nossos olhos.

Uma vez que todos somos forçados a tomar a vacina, pedimos a todos que considerem a realidade dos fatos.

A evidência vinda de Israel claramente expõe o fato terrível: a vacina da Pfizer não funciona. Ela não protege seus destinatários da Covid-19.

A Pfizer, no entanto, não é a única vacina com falha. Muito pelo contrário, parece ser uma das mais “eficazes” disponíveis, razão pela qual foi a primeira a receber total aprovação da Food and Drug Administration (FDA).

Por favor, pondere cuidadosamente todas as implicações disso.

 

Artigo original aqui

Leia também As vacinas não evitam casos graves de Covid ou morte

1 COMENTÁRIO

  1. Eu não estou preocupado se essas vacinas funcionam ou não. Não vou tomar mesmo.

    Mas o que realmente me tira o sono é saber que a ditadura covidiana vai admitir discretamente que elas não funcionam – assim como aceita mais de um ano depois, a origem chinesa -, e vai ampliar
    tudo o que já vem sendo feito contra
    os direitos naturais.

    Máscaras, distanciamento social, quarentenas e agora a vacina – coisas que qualquer ANCAP já sabia.

    Ou seja, nunca foi o Covid – 19