Saudações da “Nova Normal” Alemanha!

1
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Em 1 de abril de 1933, logo após Hitler ser nomeado chanceler, os nazistas encenaram um boicote às empresas judaicas na Alemanha. Membros da SA (“die Sturmabteilung” ou “Departamento de Tempestades”, como gosto de pensar) ficaram do lado de fora das lojas de propriedade de judeus com cartazes com letras góticas dizendo “Alemães! Defendam-se! Não compre de judeus!” O boicote em si foi um desastre total – a maioria dos alemães o ignorou e simplesmente continuou com suas vidas – mas foi o início da perseguição oficial aos judeus e do totalitarismo na Alemanha nazista.

Na semana passada, aqui na “Nova Normal” Alemanha, o governo (que, nem é preciso dizer, não tem nenhuma semelhança com o regime nazista ou qualquer outro regime totalitário) implementou um sistema de segregação social que proíbe qualquer pessoa que se recuse a se conformar publicamente a ideologia oficial do “Novo Normal” de participar da sociedade alemã. A partir de agora, apenas aqueles que têm um “passe oficial de vacinação” ou prova de um teste de PCR negativo podem sentar e comer em restaurantes, fazer compras em lojas “não essenciais”, ou ir a bares, ou ao cinema, ou onde quer que seja.

Aqui está um aviso do site da Prater, uma popular cervejaria ao ar livre em Berlim:

Caros clientes, a cervejaria ao ar livre Prater reabriu – o restaurante Prater permanecerá fechado por enquanto. Ao visitar a cervejaria ao ar livre, apresente um teste de corona negativo ou um certificado de vacinação ou recuperação. Não é possível fazer reservas na cervejaria ao ar livre. O registro de seus dados para o rastreamento de contatos necessário é feito no local através do aplicativo Luca ou com um pedaço de papel e caneta. Use uma máscara para quando não estiver à mesa. Sua equipe Prater

Claro, não há absolutamente nenhuma comparação válida a ser feita entre esses dois eventos, ou entre a Alemanha nazista e a “Nova Normal” Alemanha, nem eu jamais sugeriria que houvesse. Isso seria ilegal na “Nova Normal” Alemanha, pois seria considerado “relativizar o Holocausto”, para não mencionar ser “antidemocrático e/ou deslegitimar o estado de uma forma que ponha em risco a segurança“, ou o que quer que seja. Além disso, não é como se houvesse capangas das SA do lado de fora de lojas e restaurantes com placas dizendo “Alemães! Defendam-se! Não venda para os não vacinados e não testados!” É que agora é ilegal fazer isso, ou seja, vender qualquer coisa para aqueles de nós que a mídia e o governo têm sistematicamente estigmatizado como “negacionistas da Covid” porque não nos convertemos à nova ideologia oficial e nos submetemos à “vacinação” ou “testes”.

Protestar contra a nova ideologia oficial também é ilegal na Alemanha “Nova Normal”. OK, acho que provavelmente devo reformular isso. Certamente não quero desinformar ninguém. Protestar contra o “Novo Normal” não é proibido em si. Você está totalmente autorizado a solicitar uma autorização para protestar contra as “restrições da Covid”, com a condição de que todos os participantes do seu protesto usem uma máscara N95 e mantenham uma distância de 1,5 metros de todos os outros manifestantes com máscara… o que é como permitir protestos anti-racismo, desde que todos os manifestantes usem túnicas Ku Klux Klan e executem um karaokê coreografado de Sweet Home Alabama de Lynyrd Skynyrd.

Quem disse que os alemães não têm senso de humor?

Não quero destacar os alemães. Não há nada inerentemente totalitário, ou fascista, ou roboticamente autoritário e hiperconformista sobre os alemães, como um povo. O fato de que a grande maioria dos alemães bateu continência e começou a seguir ordens sem pensar, como fizeram na Alemanha nazista, no momento em que o “Novo Normal” foi introduzido no ano passado, não significa que todos os alemães são fascistas por natureza. A maioria dos americanos fez a mesma coisa. O mesmo aconteceu com os britânicos, os australianos, os espanhóis, os franceses, os canadenses e uma longa lista de outros. É que, bem, por acaso eu moro aqui, então observei a Alemanha se transformar na “Nova Normal” Alemanha de perto e pessoalmente, e isso definitivamente me impressionou.

A facilidade com que as autoridades alemãs implementaram a nova ideologia oficial e o quão fanaticamente ela foi adotada pela maioria dos alemães foi um choque. Eu tinha ingenuamente acreditado que, à luz de sua história, os alemães estariam entre os primeiros a reconhecer um movimento totalitário nascente baseado nas grandes mentiras goebbelsianas (isto é, estatísticas de “caso” e “morte” manipuladas de Covid) e resistiriam a ele em massa, ou pelo menos reservassem um momento para questionar as mentiras que seus líderes estavam latindo histericamente para eles.

Eu não poderia estar mais errado.

Aqui estamos nós, mais de um ano depois, e garçons e balconistas estão “verificando documentos” para fazer cumprir a nova ideologia oficial. (E, sim, o “Novo Normal” é uma ideologia oficial. Quando você tira a ilusão de uma praga apocalíptica, não há qualquer outra descrição para ela). Pessoas perfeitamente saudáveis ​​com máscaras médicas fazem fila nas ruas para serem experimentalmente “vacinadas”. Lojas e restaurantes falidos pelos lockdowns foram convertidos em “estações de teste PCR”. O governo está debatendo a “vacinação” obrigatória de crianças no jardim de infância. Esquadrões de trogloditas estão prendendo octogenários por fazerem piqueniques na calçada sem permissão. E assim por diante. Neste ponto, estou apenas sentado aqui esperando a notícia de que “campos de desinfecção” em massa estão sendo montados para resolver a “Questão dos Não Vacinados“.

Opa… lá vou eu de novo, “relativizando o Holocausto. “Eu realmente preciso parar de fazer isso. Os alemães levam isso muito a sério, especialmente com Israel sob ataque implacável pelo povo desesperadamente empobrecido que ele trancou dentro de um enorme gueto murado e está autodefensivamente fazendo uma limpeza étnica.

Mas, falando sério, não há nenhuma semelhança entre a Alemanha nazista e a Alemanha “Nova Normal”. Claro, ambos os sistemas suspenderam a constituição, declararam um “estado de emergência” nacional permitindo ao governo governar por decreto, inundaram as massas com propaganda insana e manipularam “fatos científicos”, protestos proibidos, dissidência criminalizada, implementado uma variedade de rituais públicos, e símbolos, e um sistema de segregação social, para fazer cumprir suas ideologias oficiais, e demonizar qualquer um que se recusasse a obedecer … mas, fora isso, não há semelhança, e qualquer um que sugira que existe um extremista social desviante perigoso que provavelmente precisa ser colocado em quarentena em algum lugar, ou talvez tratado de alguma outra forma “especial”.

Além disso, as duas ideologias são completamente diferentes. Um era uma ideologia totalitária fanática baseada em superioridade racial imaginária e a outra é uma ideologia totalitária fanática baseada em uma “praga apocalíptica” imaginária … então, do que diabos estou falando? Além disso, nada de suásticas, certo? Sem suásticas, sem totalitarismo! E ninguém está assassinando em massa os judeus, que eu saiba, e isso é o ponto crítico, afinal!

Então, não importa. Ignore todas as coisas malucas que acabei de falar sobre a “Nova Normal” Alemanha. Não se preocupe com o “Novo Normal” EUA também. Ou o “Novo Normal” da Grã-Bretanha. Ou “Novo Normal” em qualquer lugar. Seja experimentalmente “vacinado”. “Vacine” experimentalmente seus filhos. Prove sua lealdade ao Reich … desculpe, eu me referia ao capitalismo global. Ignore os relatos de pessoas morrendo e sofrendo efeitos adversos horríveis. Use sua máscara. Use para sempre. Deus sabe quais outros vírus existem por aí, apenas esperando para contaminar seus fluidos corporais e fazer com que você tenha uma doença parecida com uma gripe, ou interromper o seu auge dos seus setenta ou oitenta anos… Isso por si só é certamente o suficiente para justificar a reestruturação radical da sociedade para que se assemelhe a um parque temático de hospital de luxo administrado por fascistas paranoicos com rostos sorridentes em fantasiosos ternos Hazmat de grife.

Ah, e mantenha seus “documentos de vacinação” em ordem. Você nunca sabe quando terá que mostrá-los para algum funcionário no aeroporto, ou uma loja, ou restaurante, ou para seu chefe, ou seu locador, ou a polícia, ou seu banco, ou seu paquera do Tinder… ou alguma outra figura de autoridade “Nova Normal”. Quer dizer, você não quer ser confundido com um “negacionista da Covid”, ou um “anti-vacina” ou um “teórico da conspiração” ou algum outro tipo de desviante ideológico e ser banido da sociedade, quer?

 

Artigo original aqui

Artigo anteriorInflação: seu papel como gado leiteiro
Próximo artigoO empreendedor em uma sociedade imperfeita
é um dramaturgo, romancista e satírico político premiado. Suas peças foram produzidas e fizeram turnê em teatros e festivais, incluindo Riverside Studios (Londres), 59E59 Theatres (Nova York), Traverse Theatre (Edimburgo), Belvoir St. Theatre (Sydney), o Du Maurier World Stage Festival (Toronto), Needtheater (Los Angeles), 7 Stages (Atlanta), Festival Fringe de Edimburgo, Adelaide Fringe, Festival de Brighton e Festival Noorderzon (Holanda), entre outros. Seus prêmios de redação incluem o 2002 First of the Scotsman Fringe Firsts, o Scotsman Fringe Firsts em 2002 e 2005 e o 2004 de Melhor peça de Adelaide Fringe. Sua sátira política e comentários foram apresentados no NPR Berlin, no CounterPunch, ColdType, The Unz Review, OffGuardian, ZeroHedge, Dissident Voice, The Greanville Post, ZNet, Black Agenda Report e outras publicações, e foram amplamente traduzidos.