A Grande Divisão

0
Tempo estimado de leitura: 6 minutos

Robert Kennedy Jr. está concorrendo à presidência dos EUA. Eu não poderia estar mais animado. Então, vou dar a Bobby alguns conselhos não solicitados, que, se ele souber o que é bom para ele, não os seguirá.

Não vejo grandes problemas em fazer isso porque, mesmo que Bobby, nas primeiras horas da noite, quando a mente está vulnerável a ideias perigosas, considerasse seriamente seguir meu conselho, tenho certeza de que ele tem pessoas – ou seja, relações públicas, pessoal de campanha estrategistas, pesquisadores e assim por diante – que não hesitariam em chamá-lo de canto e desencorajá-lo de qualquer inclinação para seguir esses conselhos.

OK, antes de dar esse terrível conselho a Bobby, tenho que fazer a coisa da “revelação completa”. Sou um grande fã de RFK Jr. Geralmente não me envolvo em política eleitoral, mas, se eu fosse um democrata, com certeza votaria nele. Além disso, ele teve a gentileza de divulgar meu livro (coisa que não vai deixar seu pessoal de relações públicas feliz) e me convidar para seu podcast, RFK, Jr. The Defender, para falar sobre o totalitarismo do “Novo Normal”. Portanto, sou bastante tendencioso a favor de Bobby Kennedy. Acho que ele é um ser humano admirável e honrado. Eu adoraria vê-lo no Salão Oval.

Isso não vai acontecer, claro. As classes dominantes capitalistas globais nunca vão deixá-lo chegar perto do Salão Oval. Elas aprenderam a lição em 2016. Não haverá mais presidentes não autorizados. O pessoal da GloboCap acabou brincadeira e quer que a gente saiba que acabou a brincadeira. Isso é o que os últimos seis anos têm sido.

Como coloquei em uma coluna em janeiro de 2021

      “… Isso, basicamente, é o que acabamos de experimentar. As classes dominantes capitalistas globais acabaram de nos lembrar quem está realmente no comando, a quem os militares dos EUA respondem e com que rapidez eles podem remover a fachada da democracia e do estado de direito. Eles nos lembraram disso nos últimos dez meses, colocando-nos em prisão domiciliar, espancando-nos e prendendo-nos por não cumprir ordens, por não usar máscaras, por passear sem permissão, por ter a audácia de protestar contra seus decretos, por desafiar sua propaganda oficial, sobre o vírus, os resultados das eleições etc. Eles estão nos lembrando atualmente censurando a dissidência e desplataformando qualquer um que considerem uma ameaça às suas narrativas e ideologias oficiais… A GloboCap está nos ensinando uma lição. Eu não sei o quanto mais claro eles poderiam fazer isso. Eles acabaram de instalar um novo presidente fantoche, que nem consegue simular acuidade mental, em uma cerimônia trancada e protegida por militares, à qual ninguém foi autorizado a comparecer, exceto alguns membros das classes dominantes. Conseguiram algum epígono de Albert Speer para converter o Mall (onde o público normalmente se reúne) em um ‘campo de bandeiras‘ simbolizando ‘unidade’. Eles até fizeram a coisa ‘nazista’ Lichtdom. Para martelar o ponto, eles fizeram Lady Gaga se vestir como um dos personagens de Jogos Vorazes com um broche ‘Mockingjay’ e cantar o Hino Nacional. Eles transmitem esse espetáculo para o mundo inteiro.”

Isso soa como o comportamento de um aparato de poder supranacional inexplicável que está preparado para aguardar e deixar que Bobby Kennedy, Jr., ou Donald Trump, ou qualquer outra pessoa não autorizada, se torne o próximo presidente dos Estados Unidos?

Então, aqui está meu mau conselho para Bobby.

Foda-se eles. Eles não vão deixar você vencer, de qualquer maneira. Eles vão difamar você, ofender você, demonizá-lo, distorcer todas as outras coisas que você diz e geralmente mentir sobre quem você é, no que você acredita e o que você representa. Eles vão pintá-lo como um maluco, confuso, teórico da conspiração, fanático anti-vacina, não importa o que você faça. Se você diminuir o tom e tentar “curar a divisão” e “acabar com a divisão”, eles vão almoçar você e depois sentar-se para palitar os dentes com seus ossos. Você sabe, e eu sei, e o povo americano sabe, que as coisas que você diz que quer fazer como presidente – que eu sei que você sinceramente quer fazer como presidente e é louco o suficiente para realmente tentar fazer, ou seja, “acabar com a fusão corrupta de Estado e poder corporativo que está ameaçando agora impor um novo tipo de feudalismo corporativo em nosso país” – são coisas … bem, como Michael Corleone disse uma vez, que eles “usariam todo o seu poder para impedir que isso acontecesse.”

Então, foda-se isso e foda-se eles. Diga a verdade.

Não a verdade que seria aceita no horário nobre. Não é a verdade atenuada para o consumo convencional. A verdade. A verdade feia e sem verniz. A assustadora e louca verdade. A verdade raivosa, divisiva e sem censura.

Sim, existe uma “divisão”. Uma grande divisão. Um fosso. Um cisma. Um golfo. Um abismo. Uma fissura clara, escancarada e intransponível. Uma falha do tamanho do Grand Canyon na fundação da sociedade. Uma ruptura no próprio tecido da realidade.

Como observei em outra coluna de 2021, as classes dominantes capitalistas globais desativaram uma “realidade” e a estão substituindo por outra “realidade” … feudalismo corporativo, totalitarismo patologizado, corporativismo global ou o que quer que alguém queira chamar. Como quer que chamemos, todo mundo a sente. OK, vou ser desagradável e me citar novamente…

       “Durante a mudança da velha ‘realidade’ para a nova ‘realidade’, a sociedade é dilacerada. A velha ‘realidade’ está sendo desmontada e a nova ainda não tomou seu lugar. Parece uma loucura e, de certa forma, é. Por um tempo, a sociedade é dividida em duas, enquanto as duas ‘realidades’ lutam pelo domínio. ‘Realidade’ sendo o que é (ou seja, monolítica), esta é uma luta até a morte. No final, apenas uma ‘realidade’ pode prevalecer.”

O pessoal da GloboCap está prestes a implementar definitivamente sua nova “realidade”. Nessa “realidade”, um vírus apocalíptico (com uma taxa de sobrevivência de aproximadamente 99,7%) quase destruiu todo o planeta e teria, se não fosse pelas Medidas de Saúde de Emergência (ou seja, prisão domiciliar em massa, rituais de conformidade forçada, cancelamento de direitos constitucionais, censura da dissidência, propaganda oficial em uma escala que nem mesmo Goebbels poderia ter sonhado, fomento de histeria e ódio em massa, segregação e perseguição de uma subclasse designada como bode expiatório) imposta à sociedade por nosso governo reconhecidamente imperfeito, mas bem-intencionado e autoridades mundiais de saúde. Nessa “realidade”, as “vacinas” que eles forçaram a bilhões de pessoas (que não precisavam delas) são “seguras e eficazes” (apesar do fato, que até eles agora reconhecem, de terem prejudicado gravemente ou matado milhões de pessoas ). Nessa “realidade”, algumas centenas de apoiadores desarmados de Trump brincando no prédio do Capitólio eram uma “insurreição” ou “tentativa de golpe” ou … bem, você entendeu. Não há neonazistas na Ucrânia. Os russos explodiram seus próprios gasodutos. E assim por diante.

O que estou tentando dizer, Bobby, é que aqueles de nós que se recusaram a se converter à nova “realidade” – que eu suponho ser aproximadamente 25-30% da população global – não estamos procurando por um líder que possa “curar a divisão”. Estamos em uma luta. Estamos lutando pela realidade. Estamos lutando pelo que resta da realidade.

E, no momento, estamos levando uma surra.

Então, foda-se. O que você tem a perder? Jogue fora o manual. Demita seu pessoal de relações públicas. Vá para quebrar. Diga a verdade. Diga às pessoas o que estamos enfrentando. Que não é algo que uma eleição vai consertar. Que não é algo que um novo presidente possa consertar. Que não tem conserto. Que é uma luta do caralho. E não um de acordo com as Regras de Queensberry. Uma briga de bar com chutes nas bolas, dedo nos olhos, cadeiradas. E que às vezes, como agora, quando não há para onde correr… bem, você tem que ficar e lutar, mesmo sabendo que vai perder.

É isso. Esse é o meu mau conselho para Bobby. Esperançosamente, um de seus funcionários irá identificá-lo e excluí-lo antes que ele leia seu e-mail. Caso contrário, temo que ele possa ficar tentado a aceitá-lo. Ele já está se inclinando nessa direção. E… bem, você sabe como os irlandeses adoram uma boa luta.

__________________________________________

Adendo (30 de abril): Infelizmente, parece que Bobby viu meu conselho antes que um de seus relações públicas pudesse acessá-lo e excluí-lo de sua caixa de entrada…

 

 

Artigo original aqui

Leia também a resenha do livro de Robert Kennedy Jr. sobre Anthony Fauci aqui

Artigo anteriorTodos os impérios são mortais, o “Império Americano” também
Próximo artigoA coisa mais idiota que o império nos pede para acreditar
é um dramaturgo, romancista e satírico político premiado. Suas peças foram produzidas e fizeram turnê em teatros e festivais, incluindo Riverside Studios (Londres), 59E59 Theatres (Nova York), Traverse Theatre (Edimburgo), Belvoir St. Theatre (Sydney), o Du Maurier World Stage Festival (Toronto), Needtheater (Los Angeles), 7 Stages (Atlanta), Festival Fringe de Edimburgo, Adelaide Fringe, Festival de Brighton e Festival Noorderzon (Holanda), entre outros. Seus prêmios de redação incluem o 2002 First of the Scotsman Fringe Firsts, o Scotsman Fringe Firsts em 2002 e 2005 e o 2004 de Melhor peça de Adelaide Fringe. Sua sátira política e comentários foram apresentados no NPR Berlin, no CounterPunch, ColdType, The Unz Review, OffGuardian, ZeroHedge, Dissident Voice, The Greanville Post, ZNet, Black Agenda Report e outras publicações, e foram amplamente traduzidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui