A guerra contra os “não vacinados” indica o desespero das elites

1
Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Se trata de uma tentativa desesperada de demonizar e destruir o grupo de controle

A classe dominante está muito preocupada com os cidadãos que não são submissos.

Gostaria de chamar sua atenção para um mapa de comparação lado a lado que compara a pandemia COVID do ano passado com este ano. É uma verdadeira “imagem vale mais do que mil palavras” do Woke Zombie da Rational Ground:

#US # COVID19 19 de novembro de 2020 x 19 de novembro de 2021

A simetria é realmente incrível. E a conclusão, após mais de 600 dias de Histeria COVID, não poderia ser mais clara.

Nem uma única medida de mitigação ou supressão de “especialista em saúde pública”, incluindo as injeções COVID, fez algo significativo para resolver a realidade de que muitas pessoas adoecem durante a estação respiratória anual de sua área. Esta guerra global contra um vírus está acontecendo tão bem quanto a Guerra no Afeganistão que pretendia eliminar o Taleban.

Os lockdowns não conseguiram impedir um vírus.

O regime de uso universal de máscara fracassou em parar um vírus.

Os milhões e milhões de restrições sociais e fechamentos de empresas não conseguiram deter um vírus.

E agora está bem claro que as tão alardeadas vacinas de mRNA “milagrosas” não estão conseguindo deter um vírus.

Em vez de aceitar essa realidade, os governos mundiais estão dobrando, triplicando e quadruplicando a loucura. Apesar das taxas de conformidade incrivelmente altas, com uma estimativa de mais de 7,5 bilhões de vacinas COVID injetadas nos braços, a “cura” do mRNA não atingiu seus padrões reconhecidamente impossíveis de atingir.

No período de 6 meses, passamos de:

“Você não vai pegar COVID se tiver essas vacinas”

E “as pessoas vacinadas não pegam o vírus e não ficam doentes”

Dos arquivos de 6 meses atrás. A ciência mudou muito!

A Diretora do CDC proclama que as pessoas vacinadas não são portadoras do vírus, não ficam doentes e não transmitem o vírus.

Apenas um lembrete de quanto gaslighting está acontecendo hoje!

É oficial: pessoas vacinadas não transmitem COVID-19CDC A diretora Rochelle Walensky declarou esta semana que “pessoas vacinadas não são portadoras do vírus”.

E “todas as três vacinas são 100% eficazes contra hospitalização e morte

Para nossa realidade atual de outra temporada de lockdowns, restrições e as habituais e absurdas “medidas de saúde pública”.

Mais de 7,5 bilhões de vacinas aplicadas depois, aqueles de nós que acompanharam os dados de perto descobriram que todas as declarações mencionadas, endossadas pelos mais renomados funcionários públicos de Saúde do mundo, eram um absurdo completo. Mega bobagens. Elas não estavam nem remotamente perto de um pingo de verdade.

Hoje sabemos que as injeções funcionam como algo semelhante a um potencial profilático de 6 a 9 meses, com efeitos colaterais desconhecidos de longo prazo. A expiração da eficácia, que foi melhor observada por meio de nações pioneiras como Israel e Irlanda, trouxe o regime de injeção de reforço, mas nenhum reconhecimento por parte dos governos mundiais de que as doses parecem estar expirando. Os reforços foram vendidos com esta ideia estranha de que você pode obter “proteção extra”, embora tenha sido dito de que você já foi “totalmente vacinado”.

Funcionários públicos de saúde e grandes empresas farmacêuticas alavancaram essas meias verdades, como parte de uma campanha da CYA para políticos eleitos e de desvio de dinheiro para Pfizer, Moderna e todos aqueles interessados ​​em aplicar injeções experimentais em crianças de 5 anos de idade.

E o reforço, que tem exatamente a mesma formulação das injeções originais, sem surpresa parece ter a mesma falta de poder de eliminação de vírus das duas primeiras injeções.

Em Gibraltar 🇬🇮, o lugar mais vacinado da Terra, 100% da população está vacinada e 40% com reforço, mas:

Mas você e eu, infelizmente, não somos a maioria aqui. Aqueles de nós que estão pensando com clareza sobre esta questão são uma coalizão crescente, mas ainda enfrentamos uma batalha difícil.

Os governos mundiais, com a ajuda da Big Tech, têm convencido as massas, sem qualquer evidência legítima, que são os “não vacinados” os responsáveis ​​por nosso problema contínuo de COVID.

Confira a lógica usada pelo líder da Áustria, o primeiro país ocidental a impor vacinas COVID à toda a população.

“Aumentar a taxa de vacinação – e acho que estamos todos de acordo sobre isso – é a nossa única maneira de romper este ciclo vicioso de ondas virais e discussões de lockdowns para sempre”, o chanceler Alexander Schallenberg, que impôs um lockdown nacional ao seu país, disse à imprensa neste fim de semana. “Não queremos uma quinta onda, não queremos uma sexta e sétima ondas.”

“É com profundo pesar que tais medidas ainda tenham de ser tomadas.” – Chancellor Alexander Schallenberg

Polícia austríaca patrulha ruas e comércios à caça de não-vacinados

Áustria torna a vacina obrigatória com penalidades para os que resistem

Schallenberg está mentindo e ele sabe disso. As injeções não impedirão outra onda de doença. Essas “ondas” são simplesmente a realidade de um efeito respiratório sazonal que ocorre todos os anos. A classe dominante global vem mentindo para as massas há muito tempo. Eles preferem não admitir todos esses custos irrecuperáveis, então a elite política continuará a sustentar o mito de que as vacinas do COVID ainda são algum tipo de pó mágico que não são.

Aqueles que não foram submissos desde o início da Histeria COVID  representam a maior ameaça ao poder desses políticos maníacos. É por isso que eles estão nos atacando tão ferozmente. A elite política finge que se preocupa com COVID, mas não é o vírus que os mantém acordados à noite. São aqueles indivíduos incômodos que se recusam a se curvar – esses são os que estão na mira. O grupo de controle é a maior ameaça às pessoas no poder. Eles simplesmente não podem sobreviver às ramificações políticas causadas por um grupo de controle que se sai melhor do que os cidadãos que vivem esmagados por éditos e decretos destrutivos da Histeria COVID.

 

Artigo original aqui

1 COMENTÁRIO

  1. Interessante analogia. Neste sentido, não só indivíduos são cancelados, mas países também. Os políticos são de tal maneira genocidas e maníacos, que se pudessem, convenceriam as massas da importância de invadir a Suécia, o grupo de controle anti-histeria que será sempre um problema para a elite globalista.

    Vamos resistindo contra as picadas do demônio.