A Mentalidade Anticapitalista

0
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Introdução

A substituição dos métodos pré-capitalistas de administração econômica pelo capitalismo laissez-faire multiplicou os índices populacionais e elevou de maneira sem precedentes a média do padrão de vida, Hoje, a nação mais próspera será aquela que não tiver colocado obstáculos ao espírito da livre empresa e da iniciativa privada.  O povo dos Estados Unidos é mais próspero do que os habitantes de todos os outros países porque seu governo resistiu mais tempo, em relação aos governos de outras partes do mundo, a adotar uma política de obstrução dos negócios, não obstante, muitas pessoas e especialmente os intelectuais repelem o capitalismo com veemência.  Na sua maneira de ver, esta horrível forma de organização econômica da sociedade só trouxe desordem e miséria.  Outrora, os homens eram felizes e prósperos, nos bons velhos tempos que antecederam a Revolução Industrial.  Hoje, sob o capitalismo, o que predomina são os pobres famintos cruelmente explorados por grosseiros individualistas.  Para estes patifes, a única coisa que conta é ganhar dinheiro.  Não produzem coisas boas e realmente úteis, mas apenas o que proporciona altos lucros.  Envenenam os corpos das pessoas com bebidas alcoólicas e fumo, suas almas e mentes com histórias em quadrinhos, livros lascivos e filmes tolos.  A “superestrutura ideológica” do capitalismo é a literatura da decadência e da degradação, o show burlesco e a arte do strip-tease, os filmes de Hollywood e as histórias de detetive.

O preconceito e o fanatismo da opinião pública se manifestam com mais clareza pelo fato de ela vincular o adjetivo “capitalista” exclusivamente às coisas abomináveis, e nunca àquelas que todos aprovam.  Como poderia o capitalismo gerar coisas boas?  Tudo o que tem valor foi produzido apesar do capitalismo, mas as coisas ruins são excrescências do capitalismo.

A finalidade deste ensaio é analisar essa tendência anticapitalista e revelar suas causas e consequências.

 

Artigo anteriorA grande depressão americana
Próximo artigoA Mentalidade Anticapitalista
Ludwig von Mises foi o reconhecido líder da Escola Austríaca de pensamento econômico, um prodigioso originador na teoria econômica e um autor prolífico. Os escritos e palestras de Mises abarcavam teoria econômica, história, epistemologia, governo e filosofia política. Suas contribuições à teoria econômica incluem elucidações importantes sobre a teoria quantitativa de moeda, a teoria dos ciclos econômicos, a integração da teoria monetária à teoria econômica geral, e uma demonstração de que o socialismo necessariamente é insustentável, pois é incapaz de resolver o problema do cálculo econômico. Mises foi o primeiro estudioso a reconhecer que a economia faz parte de uma ciência maior dentro da ação humana, uma ciência que Mises chamou de 'praxeologia'.