Discriminação – inevitável e prudente

1
Tempo estimado de leitura: 11 minutos

[Este artigo é a versão escrita da palestra Discrimination: Inescapable and Prudential, realizada na reunião da Property and Freedom Society em Bodrum, Turquia, no dia 13 de setembro de 2019]

Introdução

Vou falar sobre um assunto delicado, discriminação. Alguém de vocês é muito sensível? Se ofende facilmente? Bem, se você for, boa sorte.

Não é apenas um tópico sensível, mas também polêmico. Praticamente todos os pré-candidatos presidenciais democratas simplesmente não param de falar sobre isso. Joe Biden disse “O racismo foi integrado em todos os aspectos do nosso sistema.” Bernie Sanders declarou: “Iremos à guerra contra o racismo em todos os aspectos de nossas vidas”.

Todos nós sabemos que os políticos são pessoas muito sábias. Então, sou um louco por defender o preconceito e o direito de discriminar? Na verdade não. Argumentarei que o preconceito na verdade tem uma função social e econômica muito útil. Também explicarei por que as políticas antidiscriminação são contraproducentes.

Hoje em dia, se você imita um sotaque estrangeiro, ou conta uma piada sexista, ou menciona uma diferença de grupo, ou se recusa a fazer um bolo para um casamento gay, parece que é uma ofensa capital e é o prelúdio do ódio e da violência. Se você disser algo discriminatório, mesmo que tenha sido há 20 anos, se for uma piada, mesmo que seja em ambiente particular, você pode ser “cancelado”. Não importa quantos bebês focas fofos você tenha salvado na vida, você pode ter sua reputação completamente arruinada. Você tenta salvar sua reputação lembrando desesperadamente de suas credenciais não racistas. “Não, eu NUNCA poderia ser racista! Eu escuto rap”. Mas você é irredimível. É como uma inquisição moderna.

Expressar uma opinião discriminatória pode resultar em uma multa ou custar seu emprego. Os sites de mídia social podem excluir sua conta se você declarar que as mulheres transexuais ainda são homens. Os países podem negar sua entrada por declarações discriminatórias. Você pode até acabar na prisão, como aconteceu com uma mulher sul-africana que pegou uma sentença de dois anos.

Estou certo de que muitos de vocês se sentiriam culpados por sua própria discriminação, por suas próprias idéias preconcebidas, por suas preferências. E talvez você se sinta silenciado porque as pessoas o chamariam de racista, sexista ou homofóbico. Bem, espero que esse artigo aumente sua confiança.

No início deste ano, publiquei The Discrimination Myth, um livro que desmascara 14 mitos relativos ao preconceito, exclusão, igualdade e segregação. É algo um tanto quanto politicamente incorreto, mas, surpreendentemente, as pessoas não ficaram com raiva de mim, então devo estar fazendo algo errado.

O que se entende por discriminação?

Então, o que realmente é discriminação? As pessoas associam isso a tudo que é mau: ódio, violência, xenofobia, misoginia, xingar as pessoas, etc. A definição oficial, entretanto, sugere algo não tão mal assim: distinção injusta. Excluir alguém com base nas características do grupo ou traços irrelevantes. Mas isso é um pouco vago, não é? O que parece injusto para mim pode ser perfeitamente razoável para você.

Quero deixar claro que, ao defender o direito de indivíduos e empresas de discriminar, não defendo a discriminação do governo como o apartheid ou as leis de Jim Crow. Não quero menosprezar toda discriminação. Ela pode ser muito dolorosa, estúpida e imoral. Além disso, reconheço que algumas pessoas sofrem muito mais discriminação do que outras.

No entanto, para pessoas que amam a liberdade como nós, a liberdade de associação é essencial. Excluir alguém deve ser legal, por qualquer motivo, a qualquer hora ou em qualquer lugar. Embora às vezes possa ser moralmente erradas, não deve ser proibido. Pois você não precisa de um bom motivo para NÃO se associar a alguém. Você não precisa fornecer uma razão, é disso que se trata a liberdade.

As leis antidiscriminação e nossa cultura igualitária criaram uma sociedade cada vez mais totalitária e hipersensível, na qual o governo interfere em nossas decisões com quem queremos nos associar, quem contratar e demitir, que salários pagamos, para quem vendemos, quais anúncios sem esteriótipos são permitidos. A quem permitimos acesso no nosso evento ou propriedade. Também limitou nossa liberdade de expressão e criou uma sociedade cada vez mais com falta de humor.

Deixe-me dar alguns exemplos. A rede de restaurantes Hooters é conhecida por suas garçonetes seminuas. Anos atrás, o Hooters foi condenado a pagar 3 milhões de dólares pelo horrível crime de contratar apenas mulheres jovens. Em outro caso, um site de namoro cristão foi multado por não incluir o namoro gay. Um confeiteiro cristão foi multado por se recusar a fazer um bolo para um casamento gay. Cinquenta anos atrás, a maioria das pessoas consideraria isso totalitário, mas agora é realidade.

E recentemente, no Canadá, Jessica Yaniv apresentou nada menos que 29 queixas de discriminação a um Tribunal de Direitos Humanos contra várias casas de depilação. Jessica é uma autodenominada “mulher” transgênero que queria que depiladoras fizessem depilação em suas virilhas e foi recusada. O que acontece é que Jessica ainda tem as “jóias da família” penduradas. Sem surpresa, as senhoras se recusaram a depilar seus testículos.

Disparidade é discriminação

George Orwell disse certa vez: ALGUMAS ideias são tão ABSURAS que SÓ OS INTELECTUAIS acreditam nelas. E, de fato, muitos intelectuais progressistas pensam que qualquer disparidade de grupo nos resultados sociais é um sinal claro de discriminação e marginalização. Por exemplo, se os CEOs de empresas são predominantemente homens, é porque as mulheres são discriminadas. Se a renda média dos negros é menor do que a dos brancos, isso ocorre porque os brancos discriminam os negros. O mesmo vale para as disparidades em relação aos vencedores do Oscar, prêmio em dinheiro de Wimbledon, obras de arte em museus, tudo.

No entanto, todos podem observar facilmente que os grupos diferem em talento, motivação ou circunstâncias, desde que você tenha dois olhos e pelo menos o mesmo número de células cerebrais.

Pegue o talento. Homens e mulheres são quase igualmente inteligentes em média, mas os homens superam as mulheres em testes de QI no nível de gênio. Isso pode explicar por que os homens dominam as ciências, matemática e engenharia.

Considere a motivação: de acordo com pesquisa feita pelo site de namoro OkCupid, os homens tendem a preferir a beleza e a juventude nas mulheres, enquanto as mulheres valorizam a renda e o status profissional dos homens. Há essa atriz holandesa não tão talentosa, Tatjana Simic, que ainda teve uma carreira de sucesso no cinema. Em uma entrevista recente, ela explicou o segredo de seu sucesso: “Eu teria sido cabeleireira e não atriz se não fosse pelos meus peitos grandes”. Fiel aos estereótipos, ela se aranjou com um multimilionário quinze anos mais velho. Feministas reclamam que as mulheres são muitas vezes consideradas “objetos sexuais”, mas esquecem de apontar que os homens são “objetos de sucesso” e, portanto, mais motivados do que as mulheres para se destacar e ganhar uma alta renda. E, para as mulheres, significa que um aprimoramento na carreira às vezes implica um aprimoramento dos seios.

Resultados diferentes também podem ser o resultado de diferenças nas circunstâncias. Você sabia que os tubarões são terrivelmente sexistas? De acordo com o Arquivo Internacional de Ataque de Tubarão, mais de 90% de todas as vítimas de ataque de tubarão são do sexo masculino. E aqueles tubarões horríveis são até racistas também. Porque 95% de suas vítimas são brancas? Prova definitiva de sexismo e racismo flagrantes. A explicação mais plausível é, entretanto, que os machos brancos nadam com os mais frequentemente.

Por que todos nós discriminamos

Portanto, nem todas as diferenças de resultados são devidas à discriminação. Mas a discriminação ainda é galopante. Suponha que você se aproxime de um beco escuro em seu caminho para casa à noite; todos nós já passamos por isso, e você percebe um grupo de estranhos ali. É importante para todos se há quatro skinheads parados ali ou quatro velhinhas em vestidos floridos. Mesmo que seu nome seja Bernie Sanders, lutando contra a discriminação, você vai discriminar por idade, sexo e aparência. No caso dos skinheads, Bernie provavelmente fará um desvio. E com senhoras idosas ele pode seguir em direção a elas. Por que então é mau quando os empregadores usam a mesma lógica?

Portanto, é inescapável e prudente discriminar, ter preconceito. Se não existisse, eu o inventaria. Eu diria, descobri essa coisa capaz de mudar a vida. Eu chamo isso de preconceito. O que você faz é, se você tem informações limitadas sobre alguém novo e precisa decidir se vai se envolver ou não, então projeta características de suposto grupo nesse indivíduo. Suas decisões irão melhorar dramaticamente. Pode ser usado para publicidade, combate ao crime, contratação de pessoal, prevenção de doenças. É fantástico!

Em nenhum outro lugar existe uma discriminação tão flagrante e aberta como nos sites de namoro. Em seus perfis, os indivíduos listam descaradamente suas demandas e desejos em relação a idade, altura, peso, educação, aparência, etc. Homens baixos muitas vezes são imediatamente rejeitados por muitas mulheres, embora possam possuir habilidades muito práticas e possam ser grandes amantes. Geralmente, os gays reclamam da discriminação por parte de heterossexuais. Isso é irônico, porque em sites de namoro gays, os homens manifestam descaradamente suas preferências: gordos não’, ‘afeminados não’, etc. Com códigos culinários, os homens indicam quem não precisa responder: ‘Sem arroz’ (isso é asiáticos), ‘Sem tempero’ (latinos) ou ‘Sem curry’ (homens indianos), e você pode adivinhar o que significa ‘Sem chocolate’ (negros) . Esses homens odeiam esses grupos? Eles são elegíveis para se tornarem membros da Ku Klux Klan? Claro que não. Geralmente, discriminação não é sinônimo de ódio.

Todos nós julgamos e excluímos as pessoas por sexo, etnia e religião. Portanto, acho que somos, de certa forma, todos racistas e sexistas, se é que os termos significam alguma coisa. Também gostamos de sair com pessoas como nós. Isso está errado? Ninguém reclama É que os praticantes de ioga geralmente não ficam bêbados com os Hells Angels, e você não vê freiras dando moshs do palco com hard rockers … não é?

Nós até discriminamos grupos dos quais fazemos parte. Como os homens são muito mais propensos ao crime do que as mulheres, discriminamos os homens para nos mantermos seguros. Mas se você contratasse um guarda pessoal, provavelmente discriminaria em favor dos homens. Até o ativista americano negro pelos direitos civis Jesse Jackson disse uma vez: “Não há nada mais doloroso para mim (nesta fase da minha vida) do que andar na rua e ouvir passos … depois virar e ver alguém branco … e me sentir aliviado.”

Quanto ao crime. Há muitas reclamações sobre perfis étnicos. Mas o perfil de idade e gênero já é uma ferramenta muito útil para combater o crime. Se a polícia caça um assassino em série, não começa interrogando agressivamente velhinhas nos asilos.

Caindo em desgraça

Portanto, é muito difícil não discriminar ou não usar discurso discriminatório. Até mesmo os progressistas lutam com isso, o que geralmente é engraçado. Por exemplo, logo após a morte da atriz de Star Wars Carrie Fisher – essa não é a parte engraçada, essa é a parte triste – o comediante Steve Martin gentilmente tuitou “Quando eu era jovem, Carrie Fisher era a criatura mais linda que eu já tinha visto. Ela acabou sendo espirituosa e brilhante também.” Você e eu não conseguimos encontrar nada de errado com isso. Mas as feministas ficaram indignadas! Era sexista porque ele mencionou sua beleza antes de seu talento. Que horror! O que você acha que Martin fez? Ele humildemente se desculpou e deletou o tweet.

Para nós, isso pode ser uma fonte de boas risadas, ver todas essas pessoas maravilhosas que competem para ver quem é o mais tolerante e politicamente correto atacando umas as outras. Pode ser a cura para a depressão.

Portanto, até mesmo fazer elogios pode causar problemas. Mas, ao fazer a coisa errada, você também precisa ser igualitário. Charly Rose, o famoso jornalista de televisão americano, foi acusado de assédio sexual em 2017 por funcionárias. O mais notável é que ele foi criticado por uma funcionária negra por ter assediado apenas mulheres brancas, o que provou que Charly era racista. Portanto, meu conselho para você é: se você planeja assediar mulheres – não que eu apoie isso mas – por favor, seja inclusivo. Ou melhor ainda, assedie os homens também. Não, animais e plantas não. Ainda!

Hipocrisia esquerdista

Você pode pensar que a esquerda nunca discrimina intencionalmente. Eles nunca seriam hipócritas, não é? Bem, os meios de comunicação progressistas se envolvem com o racismo e o sexismo numa boa. Dentre os numerosos exemplos, dou alguns destaques. Em 2018, o renomado jornal The Washington Post publicou um artigo de opinião intitulado: Por que não podemos odiar os homens. Isso não era sátira, não era um click bait. E a revista Time publicou um artigo: “Por que as mulheres são melhores em tudo”. Mmm, eu não sabia disso. A popular revista online Buzzfeed está no topo disso. Em 2014, os visitantes puderam ler sobre ’29 coisas que os brancos arruinaram’. Em 2018 esse número subiu para: ’37 coisas que os brancos precisam parar de estragar’. Eu me pergunto qual será o número deste ano.

O ator negro Jamie Foxx certa vez brincou “Eu mato todos os brancos do filme, como é bom isso”. Eu acho que é uma boa piada. Sem indignação pública. No entanto, se as cores fossem invertidas, Jamie Foxx teria instantaneamente ainda menos oportunidades de emprego do que um estudante de artes liberais.

A algumas centenas de metros da minha casa fica uma academia fitness “apenas para mulheres”. Mas eles nunca são processados. Se eles substituíssem “Somente para mulheres” por “Somente para homens” ou “Somente para brancos”, isso causaria um ultraje internacional. E as feministas alguma vez protestaram contra a injustiça do alistamento militar, que escraviza milhões de homens para serem bucha de canhão? Elas gostam de reclamar de poucas mulheres em cargos mais altos, mas não defendem a paridade de gênero para coletores de lixo, limpadores de fosas, moradores de rua, etc.

Se pudéssemos transformar essa hipocrisia em comida, não haveria mais fome neste mundo.

Contraproducente

O que poucas pessoas percebem é que as leis antidiscriminação são contraproducentes. Considere o seguinte caso.

Uma mulher muçulmana, Samantha Elauf, de Oklahoma, fez uma entrevista de emprego na rede de moda Abercrombie & Fitch. Ela foi preterida para o cargo porque usava um lenço na cabeça. A empresa de moda emprega códigos de vestimenta rígidos para seus representantes de vendas. Samantha entrou com um processo por discriminação religiosa e recebeu US $ 20.000 por danos econômicos e emocionais.

No entanto, essas decisões têm consequências indesejadas. As empresas provavelmente responderão a isso evitando candidatos com sobrenomes que soem árabes. Se as pessoas forem proibidas de discriminar em uma característica específica, elas farão uma discriminação mais ampla. Por causa das leis anti-discriminação, muçulmanos como Samantha são agora considerados processos judiciais ambulantes. Eles podem ganhar o direito de exigir comida halal na cantina, intervalos para orações, não servir álcool, etc. A propósito, não quero implicar com os muçulmanos, certamente não aqui na Turquia. É apenas um bom exemplo. Portanto, devido às leis antidiscriminação, homens brancos heterossexuais não religiosos se tornaram os candidatos a empregos mais apreciados em empresas (por coincidência, alguém como eu). Você corre menos risco de reclamações de discriminação e processos judiciais. Claro, nenhuma empresa vai admitir isso, elas vão elogiar publicamente a “Santíssima Trindade” da “igualdade”, “diversidade” e “inclusão”. Se eu processasse por discriminação, seria motivo de chacota. Eu sou a personificação de um opressor. As pessoas diriam. Você é um maricas. Vire homem!”.

Discriminação governamental

Se o governo fosse sério sobre a redução da discriminação, ele abraçaria a liberdade individual e o mercado livre.

Primeiro, aboliria toda a legislação antidiscriminação, porque é contraproducente.

Em segundo lugar, todas as leis de ação afirmativa devem ser abolidas. Isso não precisa de mais explicações aqui, eu acho. Na Holanda, é chamado de Discriminação Positiva. Mas para mim não parece tão positivo.

Em terceiro lugar, abolir todas as leis que indiretamente promovam a discriminação. Dou alguns exemplos.

– O salário mínimo obriga as empresas a excluir os pouco qualificados e inexperientes, muitas vezes minorias.

– Os empregadores são obrigados a pagar licença médica. Isso os obriga a discriminar pessoas doentes, deficientes, idosas e obesas.

– Os proprietários devem se acomodar aos costumes religiosos de seus inquilinos. Um senhorio canadense teve que pagar não menos que 12.000 dólares porque ele não tirou os sapatos ao entrar no quarto do inquilino. Portanto, os proprietários tendem a excluir certos grupos religiosos, como os muçulmanos.

Existem muito mais dessas leis. Portanto, você pode argumentar que o estado causa mais discriminação do que todos os Homens Brancos juntos.

Conclusão

Portanto, em conclusão. preconceitos e generalizações são indispensáveis ​​e podem servir a uma função social e econômica útil. Em essência, trata-se de evitar pessoas, otimizar escolhas, não é sobre violência, não é necessariamente sobre ódio também.

A legislação anti-discriminação é um insulto à liberdade. É incompatível com uma sociedade livre. É totalitário. Estraga a comédia e cria uma sociedade polarizada, dividida em classes oprimidas e opressoras. Uma sociedade onde as pessoas competem nas Olimpíadas da Opressão. “Não, eu sou mais oprimido do que você, você não tem o direito de falar!” “Não, vocês dois calem a boca! Pois eu sou negro, gay e mulher.”

O movimento antidiscriminação está interessado na identificação, não na qualidade. Para eles, as pessoas precisam ser selecionadas com base em suas características, não em suas realizações e capacidades. Sua ideologia não é sobre ‘igualdade perante a lei, mas sobre resultados iguais.

Eles falam sobre tolerância, mas não se referem à nossa ideia de tolerância, ou seja, “viver e deixar viver”, mas sim associação forçada e coerção governamental. A obrigação de se associar a alguém, mesmo quando essa outra pessoa se considera um gato, como a norueguesa chamada Nano. Suponha que você administre um pet shop para gatos e Nano apareça para exigir seus serviços!

Não podemos melhorar a sociedade forçando as pessoas a se associarem. Na verdade, o melhor remédio contra o conflito social e o ódio é a liberdade de evitar um ao outro.

Espero que você não se sinta mais intimidado e amordaçado por acusações de racismo, sexismo e homofobia. Nossos oponentes definiram e ampliaram esses termos, para usá-los como uma arma para calar a boca de todos que não concordam com sua ideologia igualitária. O poder político deles é, portanto, muito menor do que seu parece.

Você não precisa se sentir culpado se tiver preconceitos e preferências. Você não precisa se desculpar por isso, você ainda pode ser educado e gentil com as pessoas.

Eu sugiro que combatamos os ativistas antidiscriminação com a inconsistência de seus argumentos, sua hipocrisia oportunista, sua indignação seletiva, sua ignorância intencional, sua sinalização de virtude desavergonhada. Vamos lutar pelo nosso direito inato à livre associação, para decidirmos por nós mesmos com quem negociamos e comercializamos, para viver em paz com quem quisermos, com base no acordo mútuo.

1 COMENTÁRIO