Ucrânia afirma que precisa de mais US$ 750 bilhões para ‘Reconstruir melhor’

0
Tempo estimado de leitura: 2 minutos

Um novo relatório de Kiev financiado pelos EUA avalia em US$108,3 bilhões os danos econômicos na Ucrânia, mas solicita uma quantia 7 vezes maior de US$750 bilhões para que o país possa “Reconstruir Melhor”.

A Escola de Economia de Kiev divulgou uma nova avaliação afirmando que a Ucrânia precisará de centenas de bilhões de dólares para “reconstruir melhor” após sua guerra contra a Rússia.

Em 1º de agosto de 2022, a nova atualização da instituição ucraniana calculou US$108,3 bilhões em danos econômicos da guerra, aproximadamente o equivalente ao produto interno bruto do país em 2020.

Mas, como você verá em um momento, esses danos são números inventados. Nesta era de loucura da impressão de dinheiro, a Ucrânia tem planos muito mais ambiciosos do que simplesmente substituir a infraestrutura danificada. Esses economistas “especialistas” estão prestes a fazer a conta disparar.

O estudo diz que a Ucrânia precisará de um mínimo de US$185 bilhões, quase o dobro do valor em danos, a fim de reparar a nação, citando o que eles chamam de “princípio Build Back Better”, “reconstruir melhor”. O slogan foi popularizado pelo Fórum Econômico Mundial e é usado pelos governos para se referir aos seus planos de impor a tirania digital e cumprir objetivos compatíveis com ESG.

A Ucrânia está buscando a “modernização de ativos que não sofreram danos e destruição”, acrescenta o relatório.

Notavelmente, o gabinete do presidente Volodomyr Zelensky citou anteriormente o número exato de US$750 bilhões, mas afirmou que era o custo total das perdas. “Agora estamos trabalhando em um plano de longo prazo para a recuperação da Ucrânia. Ele define a lista de programas nacionais de reconstrução. Incorporamos o princípio Build Back Better neste plano”, disse o vice de Zelensky no mês passado.

No final do relatório, descobrimos que a avaliação robusta de danos não é um esforço independente. Na verdade, é financiado pelo contribuinte norte-americano, através da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID).

A “avaliação” é apenas o documento mais recente que avança a campanha global contínua para solicitar fundos para a reconstrução, remodelação e “modernização” da Ucrânia, apesar do fato de a guerra estar em andamento. Houve um esforço conjunto no lobby de Washington e no espaço de contratação militar para obter fundos maciços para o esforço de “reconstrução”.

Enquanto isso, em Washington, o Congresso está começando a obter os votos para uma nova rodada de financiamento para a Ucrânia, mas muito poucos legisladores têm alguma ideia de onde os primeiros US$40 bilhões foram parar.

O governo Biden continua enviando assistência militar regular para a Ucrânia, esgotando os estoques dos EUA no processo, e não ajudou o país a virar a maré da guerra. Na segunda-feira, a Casa Branca autorizou um adicional de US$550 milhões em armamento para Kiev.

 

 

Artigo original aqui