A formação de um ditador global

0
Tempo estimado de leitura: 4 minutos

Klaus Schwab, fundador do Fórum Econômico Mundial (FEM), é ex-membro do Conselho Consultivo da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável. Ele também é o líder do Grande Reinício, e se vê como o ditador da nova ordem mundial.

O FEM se reúne anualmente em Davos, na Suíça, e inclui CEOs, líderes culturais e políticos, bilionários e outros globalistas de renome.

Eles discutem igualdade de gênero, mudanças climáticas e a reformulação do capitalismo em um sistema econômico mais feudal que eles chamam de capitalismo de stakeholders, ou capitalismo de partes interessadas.

O site do FEM afirma: “O objetivo da organização sem fins lucrativos é envolver os principais líderes políticos, empresariais, culturais e outros da sociedade para moldar as agendas globais, regionais e da indústria”.

Transição do capitalismo para o socialismo

O Grande Reinício é um termo cunhado em um livro de 2011 do economista Richard Florida e adotado com entusiasmo por Schwab no contexto da Agenda 2030 das Nações Unidas.

Eles planejam determinar “o estado futuro das relações globais, a direção das economias nacionais, as prioridades das sociedades, a natureza dos modelos de negócios e a gestão dos bens comuns globais”. Eles planejam transformar a estrutura social, econômica e política dos “sistemas operacionais” do mundo – capitalismo, livre mercado e democracia.

O “capitalismo de stakeholders” – com o setor privado rigidamente controlado pelo governo – substituirá o capitalismo. O livre mercado é considerado injusto e enviesado para a vantagem de uma classe empresarial exploradora. A democracia é vista como um arranjo político ineficiente. Ela falha, pois depende da incapacidade do homem comum de saber o que é melhor para ele.

Os ditadores são arrogantes.

O filósofo do FEM, Yuval Noah Harari, diz que “os humanos não servem para nada e as elites precisam vigiá-los digitalmente.

Durante uma apresentação de 2018 na reunião anual do Fórum Econômico Mundial, intitulada O futuro será humano? Harari disse que vê um futuro onde a tecnologia da informação e a biotecnologia se fundem, permitindo hackear seres humanos.

Harari afirma que os algoritmos conhecerão os humanos melhor do que eles mesmos.

Aqui está ele:

O mundo não democrático

A China alertou repetidamente que a democracia está falhando. É o que eles querem. Isso é o que o FEM também quer.

Você pode ver por que Donald Trump é uma ameaça. America First é o oposto do que eles querem ver acontecer.

O vulgar Schwab quer o Grande Reinício – uma reconstrução do mundo – “para criar um mundo mais inclusivo, resiliente e sustentável daqui para frente”.

Sem liberdade também

Não há espaço para propriedade privada ou transporte privado, sem liberdade de expressão, aceitação da vacinação universal, apenas energia verde e sem religião também.

A sociedade deles terá capitalismo ESG e tudo será sem dinheiro em espécie. Os sistemas monetários sem dinheiro vivo permitem que as elites o controlem e o usem para punir. A elite escolherá os vencedores e os perdedores.

Schwab, com a ajuda da OMS, escolherá a próxima pandemia e o próximo lockdown para controlar os EUA e outras “nações livres”. Eles podem melhorar os seres humanos com biossegurança, microchips e bebês projetados. É tudo hitleriano, mas além dos sonhos de Hitler. Agora temos computadores para rastrear e controlar.

Schwab não deixará uma boa crise ser desperdiçada e planeja manipular tudo.

O marxista que ajudará a governar

O príncipe Philip, um membro do FEM, uma vez contemplou: “Temos uma oportunidade de ouro para tirar algo de bom da crise”, o que pode “tornar as pessoas mais receptivas a grandes visões de mudança” e redefinir a economia global em direção à “sustentabilidade”.

O primeiro-ministro marxista canadense Justin Trudeau, um aliado de Schwab, está manipulando o Canadá em um estado totalitário para coincidir com o movimento global. Dirigindo-se às Nações Unidas, Trudeau afirmou que “esta pandemia proporcionou uma oportunidade de redefinição. Esta é a nossa chance de acelerar nossos esforços pré-pandemia para reimaginar sistemas econômicos que realmente abordem desafios globais como pobreza extrema, desigualdade e mudanças climáticas.”

Ainda hoje, o ditador Trudeau suspendeu o direito de possuir uma arma no Canadá.

O Papa Francisco é uma parte do Grande Reinício e está pedindo um mundo de fronteiras abertas mais acolhedor. Ele é um teólogo da libertação e um ditador benevolente. Ele quer o Grande Reinício porque não sabe do que está falando.

Os bilionários que voam em seus jatos particulares para Davos não são problema para o Papa, apenas as pessoas comuns que querem manter suas liberdades e sua nação soberana.

Uma 4ª Revolução Industrial

Em seu livro COVID-19: The Great Reset, de julho de 2020, em coautoria com Thierry Malleret, Schwab considera o vírus um pretexto providencial para refazer o mundo e desencadear uma “quarta revolução industrial” que eliminará a propriedade privada, restringirá as viagens e irá estabelecer um estado de vigilância em que todos são chippados e monitorados.

Os autores admitem que o COVID-19 não é “uma ameaça existencial”. É “uma das pandemias menos mortais que o mundo experimentou nos últimos 2.000 anos.” No entanto, é um veículo oportuno para mudanças sociais e econômicas.

Os lockdowns nos preparam para a conquista globalista.

Schwab disse durante o evento deste ano: “Temos os meios para impor o estado mundial”. Leve essas palavras a sério.

Reconstruir melhor

Eles planejam reconstruir o mundo melhor para si mesmos. O resto de nós pode servi-los. E talvez eles nos joguem algumas migalhas ou “colaborem” conosco se tivermos sorte.

“O futuro está sendo construído por nós”, afirmou Schwab ao abrir o evento deste ano. Durante seu discurso, ele pressionou pelo capitalismo de partes interessadas, que é uma forma feudal de comunismo. Não é capitalismo de jeito nenhum. Isso é a menos que você considere a elite possuindo tudo e você possuindo apenas o que eles permitem que você tenha, como o capitalismo.

Isso está acontecendo – pesquise e decida por si mesmo.

 

Leia The Great Reset, A Quarta Revolução Industrial ou o mais recente The Aftermath of the COVID-19 Pandemic.

O aspirante a ditador

Essas pessoas são malucas. Schwab é o maior imbecil de todos, mas isso não os torna menos perigosos ou eficazes.

Eles podem usar várias coisas para nos controlar – pandemias, ataques cibernéticos, políticas ambientais. O resultado final para eles é todo o lucro e poder que o mundo pode dar.

Cada um desses membros leais do FEM jurou lealdade a Schwab e não podem servir a dois senhores. Eles abandonaram suas nações e seus povos. Eles não se importam com a soberania.

O plano é ter um pequeno número de tecnocratas globalistas não eleitos governando nos governando. Eles planejam uma ordem internacional baseada em regras. Tal ordem não pode existir em um país livre.

O Fórum Econômico Mundial odeia a classe média e os senhores feudais planejam nos subjugar – se puderem.

Nunca devemos nos submeter a ditadores.

 

 

Artigo original aqui