É hora de derrubarmos os ditadores ou sofreremos a aniquilação social

2
Tempo estimado de leitura: 4 minutos

“A civilização visa a padronização gradual de massas cada vez maiores de homens dentro de uma estrutura rigidamente mecânica – massas de“ homens comuns ”que pensam da mesma forma, se sentem iguais, prosperam em conformidade, estão dispostos a se curvar a vastas estruturas burocráticas e em quem os o instinto social predomina sobre o do indivíduo criativo. ”
Amaury de Riencourt, Introdução de “Os Próximos Césares”, Página 11

Parece que as pessoas em geral sempre buscaram o dominar os outros, desejaram uma “liderança” em vez de liderar a si mesmas, e esse fenômeno levou à tirania quase contínua das massas. Esse pensamento equivocado permitiu o abate de centenas de milhões de inocentes nas mãos daqueles que procuravam obter e manter o poder sobre os outros. Hoje estamos diante da maior ameaça à humanidade da história, tudo devido a essa necessidade equivocada de falsa liderança em meio a uma ameaça devido a uma mentira chamada Covid-19. É outro truque baseado no medo para permitir que os Césares modernos obtenham ainda mais poder, controle e dinheiro às custas do homem comum.

Para recuperar até um mínimo de liberdade nesta era de domínio oligárquico, o poder de poucos tem que ser pulverizado e espalhado pelos ventos. Isso exigirá um esforço gigantesco, mas o fracasso em cumprir essa missão resultará apenas em uma sociedade completamente desprovida de qualquer significado ou valor. Com um fracasso dessa magnitude, apenas o desespero, a escravidão e a morte permanecerão, enquanto poucos continuam a governar muitos com mão de ferro.

A suposição de poder reivindicada pela classe dominante tem sido relativamente fácil de alcançar, já que as massas patéticas continuam a aceitar a mentira estatista de “Nós, o povo”, como se os plebeus controlassem alguma coisa através do sistema político desonesto. Uma vez que o público aceitou a mentira do voto em massa como a fonte de seus direitos, que nada mais é do que um golpe corrupto “democrático” de decepção, o jogo acabou e o povo perdeu. A cumplicidade das pessoas em sua própria servidão permitiu a total perda de liberdade; portanto, em vez de lutar pelos direitos naturais, elas acreditam que podem pedir permissão aos seus governantes para viver como um rebanho livre. Um comportamento lamentável e passivo como esse facilita o trabalho de domínio totalitário pelos oligarcas.

Power concedes nothing without a demand. It never did and it never will.”
Frederick Douglass, Speech, Canandaigua, N.Y., 1857

Frederick Douglass acertou, pois sem demanda – demanda apoiada por ações – os poderosos nunca se dobrarão à vontade das classes mais baixas. Como qualquer coisa de valor, normalmente não é fácil de se obter. Para fazer aqueles que buscam poder e controle mudarem de ideia, ou melhor ainda, forçar a eliminação desse poder e controle, uma postura ofensiva apoiada por uma massa social deve ser evidente. Não estou recomendando a violência, mas estou tentando descrever a tenacidade necessária para alcançar o objetivo da liberdade. Todos devem estar dispostos a assumir o controle da besta da opressão chamada governo e eliminar seu poder. Isso pode ser realizado por meios pacíficos, mas raramente é uma tarefa fácil assumir o controle dos controladores, pois eles desejam muito sua posição de poder e nunca a abandonam, a menos que haja risco de grandes perdas. Para impedir a tirania, o povo deve estar disposto a resistir em massa ao governo, a fim de recuperar as liberdades que lhes foram tiradas.

Sempre me perguntam: “Qual é a sua solução e o que você fará sobre esse problema?” Isso me irrita, pois expõe a própria fraqueza que causou o problema, pois os que fazem essa pergunta estão procurando um líder ou governante para lhes dizer o que fazer. Foi assim que isso aconteceu em primeiro lugar, e certamente não é uma resposta para curar os males de uma servidão voluntária.

É possível que muitos indivíduos trabalhem juntos para impedir os tiranos, mas isso exige coragem e risco pessoal para alcançar o objetivo da liberdade e uma libertação das correntes da tirania do governo. Este país é governado de cima para baixo, com um grupo de elites no comando, enquanto um grupo de políticos nos níveis federal e estadual cumprem as ordens de seus chefes. Essa é a essência da oligarquia fascista que é o atualmente o nosso país. A dissolução desse grupo é obrigatória, e isso pode ser feito dividindo esse grupo que detém o monopólio do poder.

A descentralização do poder pode ser alcançada por meio de dissidência e rebelião pessoal e em grupo, pois esses são os elementos-chave necessários para destruir esse monstro chamado governo. Descentralize tudo. Toda energia centralizada é extremamente perigosa e não deve ser permitida. Uma vez que os poderosos possam ser marginalizados e dispersos, a descentralização deve continuar em todos os níveis. Todo o poder maior restante deve estar nas mãos das comunidades locais e, mesmo assim, nenhuma concentração de poder deve ser permitida. Isso pode parecer impossível, mas enquanto essa atitude prevalecer na mente do público, a continuação da escravidão em massa será o destino da sociedade.

Temos pouco tempo, pois a demolição controlada dessa pandemia fraudulenta de vírus continuará a levar a uma perdição fabricada criada pelo próprio estado que é voluntariamente apoiado por uma população fraca e irracional. Prisão domiciliar, falência econômica, ruína financeira, pobreza, restrições de viagem, dispositivos de monitoramento, passaportes de imunidade, dinheiro e rastreamento digital, vacinação forçada de venenos, chips implantados ou tatuagens, vigilância biométrica, pontuação social, lei marcial, brutalidade policial e “documentos” serão a norma.

As manchetes de hoje já estão expondo planos para uma segunda e terceira onda de tirania imediatamente após o atual confinamento, com a próxima neste verão e depois no outono. Mentirosos normalmente deixam escapar o que estão planejando, se prestarmos atenção. Eles já estão dizendo às massas que esse é o novo normal e que medidas novas e mais devastadoras estão por vir. Em outubro passado, o Evento 201 de Bill Gates, realizado pelas próprias pessoas que hoje pedem o aprisionamento domiciliar de toda população, ocorreu em plena luz do dia e não passou de uma prévia quase exata do que está acontecendo agora. Isso não foi coincidência, mas mentirosos expondo suas mãos e testando as águas para se preparar para a verdadeira agenda buscada, a da governança global e da dominação mundial. É este o mundo que desejamos para o futuro dos filhos? Não há meio termo, então o povo aceitará a escravidão ou lutará pela liberdade? Cada um de vocês, como indivíduos, deve decidir por si próprio antes que qualquer esforço legítimo de massa possa impedir esse ataque ditatorial. Será que nos darão liberdade ou nos darão a morte? Somente você pode decidir.

 

Artigo original aqui.

2 COMENTÁRIOS

  1. Texto sensacional. Realmente o que a população está deixando os parasitas estatais fazerem, é um verdadeiro absurdo. E é aquela velha máxima: “nada é tão permanente do que uma ação temporária do Governo”, então, a partir de agora, com certeza as coisas irão piorar e muito, principalmente no tocante a liberdade. Que o gado acorde enquanto é tempo!