História do Pensamento Econômico – Uma Perspectiva Austríaca – Antes de Adam Smith

0

História do Pensamento Econômico: Uma Perspectiva Austríaca Antes de Adam Smith

Autor: Murray N. Rothbard

Título original: Economic Thought Before Adam Smith: An Austrian Perspective on the History of Economic Thought

Editora Konkin, 1ª edição

Coordenação Editorial: Daniel Miorim de Morais

Tradução: Adriano Bernardes de Oliveira Jr., Alex Pereira de Souza, Carolina Lázaro, Caroline Andrade, Daniel Estevão, Daniel Miorim de Morais, Eric Matheus, Erick Kerbes, José Aldemar Santos Pereira Júnior, Júnior Percebon, Vitor Gomes Calado.

Capa: Raíssa Souza Abreu

Diagramação: Daniel Silva de Souza e Vitor Gomes Calado


Esta é uma das obras acadêmicas mais importantes de Rothbard. No primeiro volume (Antes de Adam Smith) , Rothbard traça a história da economia desde os antigos gregos até Adam Smith; e no segundo volume (Economia Clássica), ele discute a economia clássica britânica, a escola francesa do liberalismo clássico e o marxismo.

Rothbard rejeita a visão Whig, segundo a qual a história da economia é uma história de progresso constante. Ao contrário, ele vê a economia como uma batalha entre duas escolas de pensamento conflitantes. A correta explica os preços através do valor subjetivo: essa abordagem culmina na Escola Austríaca. A outra visão explica os preços por custo, especialmente o custo da mão de obra.

No primeiro volume, Rothbard destaca as grandes contribuições dos escolásticos espanhóis à tradição subjetivista. Outros grandes subjetivistas incluíam Turgot e Cantillon. Infelizmente, as teorias do custo do trabalho de Adam Smith tornaram-se a visão dominante, especialmente na Grã-Bretanha. Rothbard considera Smith como uma influência retrógrada na teoria econômica.

O segundo volume contém uma crítica brilhante da economia ricardiana, mostrando as restrições à teoria impostas pelo método estático e pseudomatemático de Ricardo. O sucessor de Ricardo, John Stuart Mill, é objeto de um retrato intelectual devastador. O marxismo é submetido a uma demolição impiedosa, e Rothbard mostra as raízes desse sistema na especulação metafísica. Os liberais clássicos franceses, como Bastiat, por outro lado, contribuíram para a escola subjetivista. Outro destaque deste volume é uma discussão da controvérsia bullionista: os pontos de vista das Escolas Bancárias e Monetárias recebem uma análise extensa.

Sumário

Introdução

Agradecimentos

Capítulo 1 – Os Primeiros Filósofos-Economistas: Os Gregos

Capítulo 2 – A Idade Média Cristã

Capítulo 3 – Da Idade Média à Renascença

Capítulo 4 – Os Escolásticos Tardios Espanhóis

Capítulo 5 – Protestantes e Católicos

Capítulo 6 – O Pensamento Absolutista na Itália e na França

Capítulo 7 – Mercantilismo: Servindo ao estado Absoluto

Capítulo 8 – O Pensamento Mercantilista Francês no Século XVII

Capítulo 9 – A Reação Liberal Contra o Mercantilismo na França do Século XVII

Capítulo 10 – Mercantilismo e Libertação na Inglaterra: dos Tudors à Guerra Civil

Capítulo 11 – Mercantilismo e libertação na Inglaterra: da Guerra Civil até 1750

Capítulo 12 – O Pai Fundador da Economia Moderna: Richard Cantillon

Capítulo 13 – A Fisiocracia na França de Meados de Século XVIII

Capítulo 14 – O Brilhantismo de Turgot

Capítulo 15 – O Iluminismo Escocês

Capítulo 16 – O Celebrado Adam Smith

Capítulo 17 – A Propagação do Movimento Smithiano

Ensaio Bibliográfico

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.