Crestomatia rothbardiana

0
Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Título original: The Rothbard Reader

 Autor: Murray N. Rothbard

 Ano da publicação original: 2016

Editores: Joseph T. Salerno & Matthew McCaffrey

Tradução: Fernando Fiori Chiocca

Revisão: Gabriel de Camargo

Diagramação: Fernando Fiori Chiocca

Capa: Fernando Fiori Chiocca

Crestomatia, vem do grego khrestomátheia (khrestos, “útil” e matheimn, “saber”), e costuma significar o desejo de aprender, um livro com coisas úteis ou passagens selecionadas.

Crestomatia rothbardiana é uma coleção de textos de Murray Rothbard, selecionados por
Joseph Salemo, vice-presidente acadêmico do Mises Institute, professor emérito de economia da Pace University e editor do Quarterly Journal of Austrian Economics e por Matthew McCaffrey, ex-Mises Research Fellow e professor na Universidade de Manchester.
Como seu amado professor Ludwig von Mises, Rothbard escrevia tanto para o grande público quanto para profissionais. “A civilização e a existência humana estão em jogo, e para
preservá-la e expandi-la, a alta teoria e a erudição, embora importantes, não são
suficientes”, escreveu ele em 1993. “Especialmente em uma época de estatismo
galopante, o liberal clássico, o defensor do o livre mercado, tem a obrigação de levar a luta a
todos os níveis da sociedade.” Salerno e McCaffrey conseguiram reunir nesta coletânea
alguns artigos e trechos de livros que cumprem esta missão.

Sumário

Introdução

Seção I – Rothbard: homem, economista, e antiestatista

Capítulo 1: Murray Rothbard
Capítulo 2: Uma conversa com Murray N. Rothbard
Capítulo 3: Murray Rothbard no The New Banner

Seção II – Fundamentos das Ciências Sociais

Capítulo 4: A Disciplina da Liberdade
Capítulo 5: Implicações de juízo de valor da teoria econômica
Capítulo 6: Estatísticas: o calcanhar de Aquiles do governo
Capítulo 7: Ludwig von Mises e o Paradigma para Nossa Era

Seção III – Princípios de Economia e Intervenção Governamental

Capítulo 8: Fundamentos de valor e preço
Capítulo 9: Troca e Divisão do Trabalho
Capítulo 10: A Divisão do Trabalho Esclarecida
Capítulo 11: Monopólio e concorrência
Capítulo 12: Os diamantes são realmente para sempre?
Capítulo 13: O argumento da indústria nascente
Capítulo 14: Congestionamento nos aeroportos: um caso de falha de mercado?
Capítulo 15: O Problema dos sindicatos
Capítulo 16: Trabalho ilegal: o salário mínimo, mais uma vez
Capítulo 17: O mito da “reforma” tributária

Seção IV – Moeda, Sistema Bancário e o Ciclo Econômico

Capítulo 18: O essencial sobre Moeda e Inflação
Capítulo 19: Sobre a definição da oferta monetária
Capítulo 20: A deflação reconsiderada
Capítulo 21: Anatomia de uma corrida bancária
Capítulo 22: Lições da Recessão

Seção V – História do Pensamento Econômico

Capítulo 23: Mercantilismo
Capítulo 24: Frédéric Bastiat: Defensor do laissez-faire
Capítulo 25: A Economia Política de Keynes
Capítulo 26: A Escola de Chicago
Capítulo 27: Israel Kirzner e o homem econômico

Seção VI – História Econômica

Capítulo 28: Determinismo Econômico, Ideologia e a Revolução Americana
Capítulo 29: O Movimento Progressista
Capítulo 30: Insatisfação com o Sistema Bancário Nacional

Seção VII – Filosofia Política e Movimento Libertário

Capítulo 31: Propriedade e Troca
Capítulo 32: Guerra, Paz e o Estado
Capítulo 33: Notas sobre a Guerra de Nintendo
Capítulo 34: Sociedade sem Estado
Capítulo 35: Por que ser libertário?
Capítulo 36: Em defesa dos demagogos

Seção VIII – Críticas de filmes

Capítulo 37: O Poderoso Chefão
Capítulo 38: O Poderoso Chefão, Parte II
Capítulo 39: Blaxploitation
Capítulo 40: O policial durão
Capítulo 41: Desejo de matar
Capítulo 42: Cinema Paradiso